Rodolffo, do BBB 21, teve atitudes consideradas típicas da masculinidade tóxica; confira os momentos mais marcantes dos brothers
Reprodução/TV Globo
Rodolffo, do BBB 21, teve atitudes consideradas típicas da masculinidade tóxica; confira os momentos mais marcantes dos brothers




As situações vividas por participantes do  BBB 21 estão levantando discussões sobre as experiências que a sociedade passa atualmente, desde  relacionamentos abusivos até homofobia e xenofobia . Algo que também esteve muito presente no reality show foram ações dos participantes homens motivadas pela ideia de masculinidade tóxica .

Segundo Renan de Paula, cofundador da sex shop Dona Coelha e criador de conteúdo sobre masculinidade e sexualidade, a  masculinidade tóxica é um conjunto de comportamentos e estereótipos que, somados, formam a opinião social sobre o que é ser um homem.

“Essa masculinidade é tóxica especialmente porque em qualquer situação que fuja ao padrão é ridicularizado e forçado a estar dentro dele, como homens que não gostam de futebol ou que não têm uma libido tão alta, por exemplo”, afirma.


É importante falar sobre masculinidade tóxica porque esses padrões machucam tanto o próprio homem, já que o força a fazer uma série de coisas que não quer, até as pessoas que vivem ao redor, como familiares, cônjuges e pessoas amigas.

Pensando nisso, selecionamos 8 momentos do BBB 21 em que se pode perceber que as ideias da masculinidade tóxica estão muito presentes e praticadas pelos homens do programa.

1- Falas homofóbicas de Rodolffo após Fiuk usar vestido em festa

Um dos assuntos mais comentados nos últimos dias, as falas do cantor sertanejo Rodolffo em relação ao estilo de Fiuk causaram tanto incômodo que renderam até mesmo indicação direta ao paredão pelo líder da semana, o economista Gilberto.

Gil do Vigor, por ser gay, afirmou ter se incomodado com o sentido homofóbico das falas em relação ao vestido -- além do questionamento da roupa, Rodolffo pergutou a Sarah como levaria um homem de vestido em uma balada em Goiânia.

Essa fala de Rodolffo revela um traço marcante da  mentalidade homofóbica do cantor e da masculinidade tóxica, que se trata de um estranhamento excessivo e repreensivo a tudo que é feminino ou ao que foge da norma heteronormativa (como homens de vestido e maquiagem, por exemplo).

“Existe um modelo mental que se chama Caixa do Homem, e tudo que a gente deve ser, usar, falar está ali. Se alguém foge disso, existe uma pressão para que voltem para dentro da caixa por parte de outros homens e até mulheres”, explica De Paula.

Além disso, a masculinidade tóxica diz que a todo instante é preciso provar que é homem por meio de roupas, forma de falar e de se expressar. Não é um vestido ou um delineador de gatinho que vai fazer com que a identidade de gênero ou orientação sexual de alguém mude, mas a forma como essa pessoa se sente e se vê no mundo.

2- Arthur se sente idiota por estar apaixonado por Carla Diaz

O relacionamento entre Arthur e Carla Diaz causa reflexões tanto nos fãs do reality quanto dentro do BBB 21, já que o casal vive protagonizando momentos polêmicos. Após brigarem e terem “terminado” o relacionamento dentro da casa , Arthur foi atrás de Carla para dizer que estava apaixonado, mas não queria estar.

O motivo, ele explica, é não saber lidar com isso. Ele havia passado diversos dias tratando a atriz de maneira grosseira e indiferente, atitudes muito comuns em relacionamentos abusivos .

Por toda vida, mulheres são ensinadas a esperar pelo amor romântico e são incentivadas a buscar por um “príncipe encantado”, enquanto homens aprendem que devem ser livres e evitar relacionamentos amorosos. "A masculinidade tóxica não permite que o homem seja carinhoso, delicado, emotivo. Todas essas características fazem parte da gente e, quando elas não existem, nos desajustam”, explica De Paula.

Com isso, muitos reprimem seus sentimentos e são ensinados a se expressar através, principalmente, por meio da raiva, que faz com que ele mantenha a imagem de “homem durão”, mas sufoca como ele realmente se sente. “Isso é incentivado desde pequeno. Se um garoto chora, por exemplo, o pai cronometra e dá a entender que podemos chorar, mas não por muito tempo. Essa situação entre Arthur e Carla é muito comum com a maioria dos homens”, afirma.

3- Arthur tenta forçar beijo em Carla Diaz

Durante a mesma conversa, Arthur em diversos momentos tentou fazer com que Carla Diaz o beijasse. Ela tentava se desvencilhar e virar a cabeça para o lado, mas o instrutor de crossfit continuava a puxando para perto. Fãs do programa perceberam ainda que o brother tocava a atriz de maneira muito grosseira e parecia ter muita força.

Você viu?


4- Arthur e Caio se machucaram feio em uma prova, mas não queriam assumir

Ok, a gente sabe que todos os brothers em um reality, cujo prêmio é de R$1,5 milhão, vão fazer de tudo para conseguir chegar até a final e faturar o dinheiro, mesmo que isso machuque. Foi o que aconteceu com Arthur e Caio em uma prova do Líder em que o instrutor de crossfit deslocou o ombro e o fazendeiro fraturou o tornozelo.

Mas você já parou para pensar no que isso pode significar para homens e para os egos deles? Arthur passou diversos momentos afirmando que “era um merda por ter desistido da prova, desvalorizando todo seu esforço em outros momentos. As “fraturas”, para os homens de masculinidade tóxica, são “símbolos” que provam que aguentaram ficar em uma situação até o fim e de que foram “homens o suficiente” para isso.

5- Arthur parece se importar demais com o tamanho de seu órgão sexual

Outra ideia muito presente quando o assunto é masculinidade tóxica é a de virilidade, que erroneamente é associada pelos homens ao pênis e seu tamanho. Por isso, é muito comum que eles usem o tamanho do órgão para se sentirem confiantes. É o caso de Arthur, que na última semana afirmou com muito orgulho que eu pênis mede 24 cm.

No entanto, seu órgão sexual também foi motivo de baixa autoestima: na primeira temporada da edição, Tiago Leifert brincou que, ao ter ido para debaixo do edredom com Carla Diaz, teria sido preciso um “emoji pequeno” para cobrir seu pênis. O brother se ofendeu com a fala.

6- Caio e Rodolffo se incomodam com “jeito” de Gilberto e João

Ainda no início do jogo, alguns brothers héteros pareceram se incomodar com a expressão de gênero e orientação sexual de Gilberto e João Luiz. Rodolffo e Caio eram os principais e comentaram diversas vezes sobre como eles são “estranhos” ou “exagerados”. Rodolffo, aliás, chegou a comentar que gosta de homens gays, só que “mais contidos”.

Esse comportamento movido por homofobia era geralmente expressado no queridômetro, em que os dois passaram a dar corações para todos, menos para os dois brothers. Para homens que estão imersos nessa ideia de masculinidade tóxica, os homens gays são considerados ameaças e causam incômodo por não fazerem jus a um determinado tipo de comportamento ou jeito de ser. Cabe aos homens aceitarem que identidades de gênero e orientações sexuais diferentes das deles existem e merecem respeito.

7- Lucas Penteado pressiona Kerline a ficar com ele

Nas duas primeiras semanas de BBB 21, o ator Lucas Penteado e a criadora de conteúdo Kerline tiveram um mal entendido. Em uma festa, Lucas entendeu que Kerline queria ficar com ele, mas a sister negou e disse que não tinha interesse. O ator ficou chateado e começou a pensar que a rejeição teria acontecido porque ele é negro e Kerline é uma mulher branca, o que causou diversos questionamentos e impactos em sua autoestima.

Apesar de seus sentimentos serem válidos e uma séria discussão relacionada ao racismo, o ator ainda tentou fazer a sister se sentir mal por tê-lo rejeitado. Querendo ou não, esse é um aspecto da masculinidade tóxica, que faz com que homens sintam que, se estão afim de uma mulher, ela obrigatoriamente precisa corresponder. Para resolver essa questão fora do BBB 21, Kerline afirmou que tentou entrar em contato com Lucas para conversar sobre o que passaram na casa, mas diz que o ator não respondeu .

8- Nego Di aconselha Arthur a “tocar a flauta” para Carla Diaz enquanto ela dorme

Ainda na primeira temporada do reality, uma fala de Nego Di causou desconforto em alguns telespectadores do BBB 21. Ao dar conselhos para Arthur, que até então não tinha ficado com Carla Diaz, o humorista diz para o instrutor de crossfit se deitar ao lado dela e “tocar a flauta”. A conotação da frase era sexual, e deu a entender que Arthur deveria se masturbar ao lado da atriz, que estava dormindo.

Além de reforçar a ideia equivocada de que o homem pode fazer qualquer coisa com uma mulher, independentemente de seu consentimento, Nego Di incentiva fortemente uma conduta baseada em assédio sexual, que é crime e pode render até 2 anos de prisão.

Mesmo que a ação não tenha sido executada, a incitação foi incômoda por abordar a maneira como a masculinidade tóxica objetifica mulheres, tornando-as relevantes aos homens apenas para a satisfação de seus prazeres.  Nego Di se justificou após sua saída do reality show, negando que a frase tenha sentido sexual e que foi só uma brincadeira.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários