Dia Nacional da Mamografia: saiba mais sobre a importância do exame
Reprodução: Alto Astral
Dia Nacional da Mamografia: saiba mais sobre a importância do exame

Este sábado (5) é o Dia Nacional da Mamografia. A data vem para conscientizar sobre a importância de realizar o exame para prevenir e rastrear a tempo um possível  câncer de mama. Ao longo da pandemia pela Covid-19, muitas pessoas tiveram seus exames e checkups de saúde cancelados, especialmente as mulheres.  Estima-se que mais de 2,8 milhões de mulheres não fizeram este exame de rastreio nesse período. Com isso, só o estado de São Paulo esperava que mais de 18 mil casos fossem notificados em 2021.

O câncer de mama é o tipo que mais afeta as mulheres brasileiras.  Um levantamento do Instituto Nacional do Câncer (Inca), mostrou que, em 2020, 49.692 casos de câncer de mama foram identificados. Já em 2021, até o mês de agosto, mais de 108,8 mil pacientes passaram por tratamentos da doença.

Mamografia 

A mamografia é uma radiografia das mamas feita por um equipamento de raios X, o mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas nas mamas. O exame não evita o surgimento do tumor, mas é eficiente para detectar o câncer de mama ainda não-palpável clinicamente, com menos de 1cm, que apresenta um bom índice de recuperação se tratado adequadamente. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), as populações que contam com acesso à mamografia preventiva periódica, têm o número de mortes pelo câncer de mama diminuído de 15% a 45%. 

Com isso, notamos a importância do diagnóstico precoce, que fornece ao paciente maior chance de cura e aumento da sobrevida, pois possibilita a intervenção antes do desenvolvimento do câncer ou em suas fases iniciais, quando o tratamento é mais efetivo.

Quando fazer a mamografia

No Brasil, órgãos de saúde como a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) recomendam a mamografia anual para as mulheres a partir dos 40 anos de idade. Tal medida difere das recomendações atuais do Ministério da Saúde, programa de rastreamento populacional do Inca, que sugere o rastreamento bianual, a partir dos 50 anos.

Mulheres com prótese de silicone, gestantes e lactantes (as duas últimas, em caso de lesões suspeitas) devem realizar a mamografia com recomendação de seu médico. Já mulheres com parentes de primeiro grau com câncer de mama antes dos 50 anos, devem iniciar o rastreio 10 anos antes do recomendado.

Leia Também

Atualmente não é recomendado o autoexame das mamas como técnica a ser ensinada às mulheres para rastreamento do câncer de mama. Estudos sobre o tema demonstraram baixa efetividade e possíveis danos associados a essa prática. Entretanto, segundo o mastologista Jan Pawel Andrade, o autoconhecimento das mulheres sobre seus corpos continua sendo importante para detecção precoce da doença.

“A mulher deve ser estimulada a conhecer o que é normal em suas mamas e a perceber alterações suspeitas de câncer, por meio da observação e palpação ocasionais de suas mamas, em situações do cotidiano, sem periodicidade e técnica padronizadas”, afirma.

Como se preparar para o exame

No dia da mamografia, não é recomendado o uso de produtos como desodorante ou talco na região das mamas e nem nas axilas. 

Como é o exame de mamografia

Mamografia
Getty Images
Mamografia

Na ocasião, a paciente é posicionada em pé, de forma que o seio fique entre as duas placas do mamógrafo, que fará a compressão da mama para a captura das imagens.

Como prevenir o câncer de mama

Como aliados, as mulheres podem contar com alguns métodos de prevenção como:

  • Comer alimentos que contenham vitamina A e reduzir as gorduras;
  • Manter o peso corporal adequado e uma rotina de alimentação saudável;
  • Praticar atividades físicas;
  • Reduzir o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Só tomar hormônios com acompanhamento médico;
  • Realizar o autoexame mensal, que ajuda na identificação de tumores maiores;
  • Pedir orientação médica, caso tenha ocorrência de câncer de mama na família;
  • Realizar testes genéticos, que identificam a predisposição genética ao câncer de mama.  

É desejável que os cuidados com a saúde façam parte da rotina. Anualmente, as mulheres devem realizar a mamografia e sempre seguir as formas de prevenção e detecção precoce.

** Luciana Teixeira Morais é jornalista formada desde 2016, com experiência em reportagens para mulheres, UX writer, SEO e mídias sociais. No iG, escreve para os canais Delas e Receitas, além de uma coluna sobre maternidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários