Bebê explorando
Photo by Brina Blum on Unsplash
Bebê explorando

Bebês e crianças em desenvolvimento são pequenos exploradores. Tanto na  própria casa quanto em novos ambientes,  eles querem usar os cinco sentidos para aprender ao máximo sobre aquela novidade - gosto, textura, reações, sons, entre tantas possibilidades. Porém nem sempre os objetos de exploração escolhidos são seguros, resultando em acidentes domésticosBastam poucos segundos para uma criança cair, se cortar, se queimar ou colocar na boca algo que coloque em risco sua vida.

De acordo com o Ministério da Saúde, durante a pandemia houve um  aumento de 112% destes eventos . A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) relata que  acidentes domésticos estão entre as principais causas de morte de crianças no país. Diante desse cenário, a pergunta "será que minha casa é segura?" deve ser feita por quem planeja ter e quem já tem filhos de forma rotineira, especialmente porque pequenos ajustes na rotina, como a adoção de travas e protetores, são importantes estratégias de prevenção.

Para a pediatra Aline Motta de Menezes, mais de 90% dos acidentes podem ser evitados. Por este motivo, de acordo com a profissional, o termo "acidente" não é utilizado na pediatria, mas sim "lesões não intencionais", sendo que muitas delas são consideras graves ou pode ocasionar a morte. 

1) Observe a segurança da casa antes da chegada do bebê

Para além dos  itens de enxoval e montar o quarto ideal , é essencial pensar em questões de segurança desde o momento em que a família decide aumentar. "Gosto de reforçar isso porque não existe uma idade certa para os acidentes começarem. A questão é que eles vão se modificando conforme a faixa etária e o desenvolvimento da criança, conforme ela vai ganhando habilidade motora e intelectual", comenta. Portanto, já nos primeiros meses de vida, o bebê correrá riscos se não contar com espaços pensados para ele.

2) Observe cada ambiente individualmente

Segundo a especialista, considerando incidência nos domicílios, os locais mais perigosos podem ser classificados na seguinte ordem: cozinha, banheiro, corredor, escada, quarto, sala.

A checagem dos cômodos deve ser feita separadamente, pois cada um possui sua particularidade (fogo na cozinha, fios no escritório, vaso sanitário no banheiro). "Além de deixar a casa preparada, é importante criar o hábito de verificar se tudo se mantem em ordem. Mais importante do que saber prestar primeiros socorros para a criança é prevenir que acidentes aconteçam".

Você viu?


3) Ensine noções de segurança para a criança 

As crianças devem adquirir conhecimento sobre prevenção desde pequenas, já que acidentes podem acontecer em questões de segundos, especialmente nos momentos de exploração e brincadeira.

"A noção de segurança é algo cultural. Trabalhos recentes mostram que a postura dos pais reflete em atitudes mais seguras em relação aos filhos, impactando automaticamente nesses acidentes ou lesões não intencionais (que é o termo mais adequado). Um exemplo disso são os pais que usam o cinto de segurança e tendem a lembrar com maior facilidade como se faz o uso correto de cadeirinhas ou cinto nos seus próprios filhos. Então, é interessante correlacionar essa cultura que vem dos pais e que deve ser explorada desde muito cedo", comenta Aline.

4) Tenha a casa organizada como um todo

Um ambiente organizado e previsível favorece a criação de ciclos diários e de uma rotina com mais segurança. A consequência é que, aos poucos, uma rotina se torna mais tranquila para o crescimento da criança. "Para se desenvolver a criança precisa se sentir segura, e isso vem por meio de locais organizados e que oferecem previsibilidade. Dessa forma, ela consegue identificar aos poucos onde ficam seus brinquedos e sabe que no dia seguinte seus objetos estarão lá. De forma natural, ela se sente tranquila para iniciar um novo ciclo de sono, entre outros hábitos que vão sendo estabelecidos", comenta.

Aline reforça que isso também está relacionado ao afeto que a criança atribui às pessoas e tudo que fazem parte do entorno dela. Essa noção de que tudo está seguro e minimamente organizado sempre vai ser interessante para que ela possa se desenvolver plenamente.

5) Invista em acessórios de segurança

Para tornar a casa um local mais seguro, além de criar uma cultura de segurança, apostar em acessórios como travas e protetores são estratégias práticas e eficientes. Especialmente quando os pequenos começam a andar, explorar a casa, abrindo portas e puxando objetos. Abaixo separamos algumas sugestões:


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários