Confira o glossário
Pexels
Confira o glossário


Durante anos, a palavra  gorda era vista como algo pejorativo. Quando queriam ofender uma mulher , em muitos casos, usavam o termo como se fosse uma ofensa . A filósofa e artista Malu Jimenez, gorda, feminista e doutora em Estudos de Cultura Contemporânea pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) explica que a linguagem utilizada muitas vezes acaba humilhando ou sendo violenta e pessoa comete deslizes sem perceber o que está falando, pois repete preconceitos que nem se dá conta. 


Nos últimos anos, além da ressignificação da palavra gorda - que passou a ser usada por ativistas para descrever um tipo físico - surgiram outros termos para abordar a diversidade de tamanhos, como plus size , midsize, além de alguns movimentos como  body positive e body neutrality.

Para ajudar a entender melhor esses termos e o que cada um deles significa, preparamos este glossário relacionado à diversidade de corpos. Confira. 

  • Gorda maior X Gorda menor

Gordo maior é a pessoa que tem perdas estruturais. Além da gordofobia, ela tem direitos e acessos básicos negados na sociedade, como no transporte público, equipamentos médicos e hospitalares.

Você viu?

Gordo menor é a pessoa que é considerada gorda pela sociedade, passa por situações gordofóbicas - tem dificuldade de encontrar roupas, por exemplo - mas ela não sofre com questões estruturais, de acessibilidade. Ela cabe nos lugares e por isso tem menos dificuldades sociais.

  • Patologização do corpo gordo

Significa associar os corpos gordos à doença - nesse caso, a obesidade. "Nós, pesquisadores dos Estudos do Corpo propomos uma revisão desse olhar patologizador desses corpos, porque é um dos pilares do estigma da gordofobia", explica Jimenez.

  • Gordice 

Se você fala “ai, eu fiz uma gordice”, saiba que esse é um termo que deve ser abolido, pois é gordofóbico. Quando você usa o termo gordice, acaba reforçando a ideia de que toda pessoa gorda come demais ou se alimenta mal, o que não é necessariamente verdade. Assim como existem pessoas magras que se alimentam mal, existem pessoas gordas que se alimentam bem.

  • Body positive

Traduzindo livremente do inglês, body positive significa basicamente imagem positiva do corpo. Na prática, é basicamente ter um olhar positivo e honesto não apenas sobre o seu corpo, mas com os outros também. Significa aceitar que existem diferentes biotipos e que não é necessário caber dentro do padrão que é imposto pela sociedade. 

  • Body neutrality

Essa vertente começou a ganhar força em 2015, após um vídeo da terapeuta americana Anne Poirer viralizar nas redes sociais. A palestra em questão ela comenta sobre o body positivity, que prega o amor próprio, mas diz que para muitas mulheres é uma coisa difícil de ser construída.

A especialista então apresenta a body neutrality, que aborda mais a ideia de se preocupar menos com a imagem e focar mais nas experiências. Ela sugere que uma coisa mais fácil para as mulheres fazerem, é aceitar os corpos e ter uma atitude mais neutra possível diante deles. 

  • Midsize

Nem gorda, nem magra. Muitas mulheres ficavam nesse limbo, sem saber onde se encaixar. O termo midsize, usado para moda e/ou mercado, surgiu para suprir essa necessidade, apesar de ainda ser pouco difundido no Brasil. O corpo midi está no meio termo da pessoa “padrão” e do corpo “plus size”; ele se refere às mulheres que usam o tamanho 40 ao 48. Não deve ser usado para caracterizar pessoas.

**Matéria de Naiana Ribeiro com Paola Churchill

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários