Depois de longos sete meses, continuamos em quarentena. E agora, como isso está afetando nossas mente e a dos nossos filhos?

criança em isolamento social
FreePik/freepic.diller
A quarentena e o isolamento social trouxe consequências para o emocional de crianças e adultos

Esses efeitos dos tempos de isolamento social e quarentena não são bons para ninguém. As crianças perderam muito: perderam o convívio social de amigos, parentes, professores e outros; perderam a antiga e estabelecida rotina escolar; alguns perderam parentes dos quais nem sequer puderam se despedir; perderam espaço físico para brincar. Ou seja, perderam demais.

Como a mente de uma criança reage a toda essa perda? Ninguém reage bem ao que estamos vivendo hoje, isso é um fato, mas nós, adultos, temos a nosso favor a informação e o amadurecimento, e isso faz diferença. A criança está vivendo somente de meias verdades e informações selecionadas que são passadas pelos pais, e isso faz com que  estejam ainda mais inseguras com a situação.

A insegurança das crianças pode ser transmitida por meio de irritabilidade, pesadelos, apatia, nervosismo, dificuldade de concentração, aumento da quantidade de comida, aumento enorme no tempo em frente a aparelhos eletrônicos e desânimo para atividades físicas. Todos esses sintomas, juntos ou separados, podem levar a patologias conhecidas, tais como, estresse, ansiedade e depressão. 

A pandemia do novo coronavírus já é considerada um evento traumático em massa, ou seja, um único trauma que ocorre ao mesmo tempo para milhares de pessoas. Os efeitos desse trauma ainda não são totalmente conhecidos e estão se desenvolvendo justamente neste momento.

Outros dois exemplos de trauma coletivo que posso dar são o ataque às Torres Gêmeas, nos Estados Unidos, e as guerras mundiais, mas mesmo esses enormes traumas os quais a humanidade sobreviveu não são nem um pouco parecidos ao que vivemos hoje. As consequências da pandemia estão se iniciando agora, e nós sofreremos consequências e nossos filhos também.

Como lidar com os traumas da pandemia?

Para fortalecer sua mente, faça pequenas mudanças no seu dia a dia a partir de agora. Comece filtrando as informações que chegam até você, pois informações controversas aumentam a angústia pela falta de conhecimento da doença e suas consequências.

Ocupe-se com filmes e livros de ficção. Temas que fujam um pouco da realidade fazem sua mente relaxar.

Inicie uma atividade relaxante, uma coisa nova e que te desafie, isso te dará expectativa de futuro.

Compartilhe coisas boas. Pensamentos e atos positivos são contagiantes.

Estimule e pratique exercícios físicos. Cansar o corpo ajuda a relaxar a mente.

Faça terapia. Quando sentir a necessidade de extravasar ou perceber que já não “aguenta mais”, procure ajuda terapêutica. Existem associações e grupos que podem ajudar.

Tratando bem a sua mente, você poderá ajudar seu filho a tratar da dele. 

É momento de cuidar de nós mesmos

Geralmente levamos para a vida adulta os traumas da infância, mas algumas situações são tão traumatizantes tão difíceis que podem nos marcar em qualquer idade. Quando essas situações acontecem, precisamos parar e elaborar, ou seja, parar e tentar entender o que está acontecendo e o que isso está causando em nossa vida, em nossa mente.

Somente fazendo isso podemos entender, superar e continuar. Entretanto, às vezes não conseguimos fazer isso sozinhos, precisamos de ajuda. Se você alguma vez já pensou em procurar ajuda de um terapeuta em qualquer momento de sua vida, não existe momento mais propício para isso do que este momento.

Trate a sua mente e trate também a mente de seu filho. Não internalize os problemas psicológicos, porque eles voltarão através de problemas físicos. 

    Veja Também

      Mostrar mais