criança assustada
FreePik/@drobotdean
É normal as crianças sentirem medo, mas os pais devem saber como lidar com certas situações

O medo é natural do ser humano. Também conhecido como instinto ou instinto de preservação, o medo real e normal nos ajuda nas situações difíceis ou perigosas. Mas como lidar com crianças que têm medo de tudo? Ou como saber se esse medo é normal ou está acima da média para crianças da mesma idade?


Do que temos medo? 

Normalmente temos medo de tudo que é desconhecido, aquilo que não vemos, não ouvimos, ou simplesmente não sabemos o que é. Quando uma criança nasce, tudo, ou quase tudo, é desconhecido para ela, então é normal que tenha medo de algumas coisas como:

  • medo de barulho
  • medo de estranhos
  • medo do escuro
  • medo de ficar sozinho
  • medo de luz forte

A criança vai então crescendo e alguns medos desaparecem e outros surgem:

  • medo do médico
  • medo de trovão
  • medo de palhaços
  • medo de pessoas fantasiadas em geral
  • medo de se machucar
  • medo de perder os pais
  • medo de cachorro
  • medo do monstro ou do lobo mau


Todos esses medos são normais, desde que não atrapalhem a rotina da criança. Quando o medo é exacerbado, persistente e extremo, ele é chamado de fobia, e a fobia limita o dia a dia da criança.

Medo x fobia

Uma criança que por exemplo foi mordida por um cachorro, naturalmente tem medo de cachorros. Entretanto, se essa criança se torna incapaz de ficar perto de um cachorro ou passar por um na rua, mesmo acompanhada pelos pais, isso é fobia.

Essa criança tem o medo natural por animais, associado ao fato da dor e do trauma da mordida, alimentado pelo desconhecimento que possa ter de outros animais e, algumas vezes, incentivada pelos pais e outras pessoas que a todo momento reforçam o fato de que ela tem medo por que já foi atacada, ou seja, apresentam uma justificativa plausível para esse medo.

Os pais e o medo das crianças

Os pais, sem nenhuma intenção, costumam alimentar o medo do filho. É comum eles dizerem: "Você vai cair e se machucar”, "Não vai lá que é perigoso” ou "Lá tem um  homem mau”. São essas e várias outras advertências que damos ao filhos que, na verdade, são combustível para alimentar o medo natural.

Trabalhe os medos de seu filho. Veja alguns exemplos de como fazer isso: 

  • em cada situação, mostre que não há motivo para ter medo
  • fale com a criança sobre o que está trazendo o medo
  • ouça realmente o que a criança está querendo dizer
  • não ignore o medo da criança
  • não estimule o medo
  • mostre ao seu filho que pode contar com você para vencer o medo
  • ajude seu filho a compreender a importância de enfrentar o medo e não somente senti-lo
  • estimule o enfrentamento dos medos
  • ensine pensamento positivo frente ao medo
  • elogie o comportamento corajoso


É fundamental que você mostre a seu filho que você também tem medos, que todos sentem medo de alguma coisa em algum momento de sua vida, mas é muito importante aprender a lidar com isso. Isso é que é o amadurecimento: trazer a criança para a realidade e não ter medo daquilo que ela ainda não conheceu.

    Veja Também

      Mostrar mais