Tamanho do texto

Especialista em emagrecimento explica a importância de se exercitar e praticar atividades físicas para reduzir os riscos do corpo flácido

A flacidez é uma das questões estéticas que mais incomodam as mulheres, principalmente quando aparecem nos braços, causando o famoso o "tchauzinho", ou na barriga, formando a temida "pochete". Combater a flacidez nem sempre é fácil, mas alguns hábitos simples podem ajudar.

Leia também: Tchau, dietas! 10 dicas para emagrecer sem sufoco e restrições no cardápio

como combater a flacidez arrow-options
shutterstock
A flacidez na barriga é uma das queixas mais feitas pelas mulheres, mas uma junção de hábitos ajuda a combatê-la

É comum que as pessoas queiram combater a flacidez apenas por conta da aparência. No entanto, vale lembrar que, embora incomode, é algo que acontece naturalmente no corpo com o passar do tempo. É uma das consequências do envelhecimento. 

"Após os 25, 30 anos começamos a perder massa magra por alterações hormonais (processo natural do corpo) e, a consequentemente, a flacidez muscular aparece. A única maneira de evitar ou retardar ao máximo esse processo é com atividade física e nutrição adequada", explica Dani Buscariol, profissional de Educação Física especialista em emagrecimento para mulheres e criadora do site Exercício em Casa .

No caso específico das mulheres, a gestação e o efeito sanfona também contribuem com o aparecimento da " pochete ", uma vez que engordar e emagrecer demais gera uma pele mais flácida.

Outro fator que proporciona às mulheres sofrerem mais com a flacidez é a quantidade menor de hormônios responsáveis pelo aumento de massa magra. Além disso, má nutrição, excesso de peso corporal, sedentarismo, tabagismo, exposição exagerada ao sol e propensão genética também ajudam.

Leia também: Kelly Key mostra treino de 30 minutos para tonificar músculos e secar gordura

Onde a flacidez pode surgir?

A especialista enfatiza que o corpo todo está suscetível a apresentar a flacidez muscular , caracterizada pelo enfraquecimento do músculo e a perda gradativa de fibras. Contudo, é mais comum que apareça na barriga, na parte interna da coxa, no bumbum, na parte de trás dos braços e na mama.

Dani diz que, em relação aos músculos, não há "um local do corpo com mais dificuldade" para combater esse aspecto, porém existem lugares específicos em que a gordura fica mais acumulada e ocasiona a flacidez, e um deles é a barriga.

"Existem muito adipócitos (que são as células de gordura) e por isso, este local, fica mais volumoso e com aspecto mais flácido. Essa gordura, dependendo da quantidade estocada, pode entrar nos órgãos. Por este motivo, as mulheres relatam mais dificuldade de eliminar a flacidez na barriga ", afirma Dani.

Como combater a flacidez?

mulher fazendo prancha arrow-options
shutterstock
Indica-se praticar ioga, treinar prancha e praticar exercícios com foco no abdômen para combater a flacidez

Não tem nenhuma fórmula mágica para combater a flacidez, mas pode-se dizer que o segredo é uma junção de atividades físicas com alimentação balanceada. "O principal nutriente que faz o reparo da fibra muscular e evita ou ameniza a flacidez é a proteína", pontua a especialista.

"No entanto, para que o músculo utilize essa proteína consumida através dos alimentos, ele precisa de estímulos constantes, que somente o exercício físico pode proporcionar. Sem atividade física a pessoa pode consumir quanta proteína desejar que, se não houver o estímulo causado pelo treinamento físico, essa proteína não será utilizada e acabará sendo excretada pelo corpo", complementa.

Dani ainda indica as melhores opções para colocar na rotina. "Os alimentos que mais contém proteína são carnes, peixe e ovos e no reino vegetal são as oleaginosas, como castanhas, amêndoas e o pistache, quinoa, aveia, feijões e tofu", sugere.

Em relação aos exercícios, ela destaca a ioga, que ajuda a melhorar a respiração, treinamento de pranchas e atividades físicas com foco no abdômen. Dani garante que, se a pessoa seguir essas orientações, em 30 dias "uma mudança animadora" acontece e em três meses será possível notar os resultados positivos.

Leia também: Jejum intermitente ajuda a emagrecer? Conheça os riscos e benefícios do método

Por que é importante acabar com a flacidez muscular?

A especialista salienta que as pessoas não dão a devida importância para a massa muscular e só pensam em "construir músculos quando estão motivadas a melhorar o corpo estético", contudo, ela tem funções vitais.

"Perdemos massa muscular a cada década a partir dos 30 anos, principalmente o corpo feminino, que tem menos hormônios que favorecem o ganho de músculos em relação ao do homem", esclarece.

Além disso, Dani Buscariol conta que combater a flacidez previne doenças cardiovasculares e diabetes. "A massa muscular também evita lesões, quedas em idosos, acelera o metabolismo, mantém ou aumenta a massa óssea, prevenindo a osteoporose, e estimula a queima de gordura mantendo a relação entre músculo e gordura em níveis adequados", finaliza.

    Leia tudo sobre: