Bullying, roubo e sequestro estão entre os riscos aos quais a família se expõe ao divulgar imagens inadequadas na internet

O rosto todo lambuzado pela primeira papinha, a folia na hora do banho ou o tablet novinho em folha da criança. São tantas as situações engraçadas ou fofas que os pais compartilham nas redes sociais que fica difícil passar um dia sem topar com essas fotos. Mas internet não combina com ingenuidade. Quem quer compartilhar imagens na rede precisa entender que este é um ato permanente e cheio de riscos.

>> Confira, na galeria abaixo, os 10 tipos de fotos dos filhos que os pais não devem compartilhar nas redes sociais:

“A primeira coisa que todos os pais devem ter em mente é que é extremamente difícil controlar as imagens divulgadas na internet. Depois de publicada, ela poderá ficar online para sempre, mesmo que eles apaguem o arquivo”, alerta Marcos Ferreira, especialista em segurança da informação da TrustSign, empresa focada em soluções de segurança na internet.

Leia também: Como compartilhar fotos dos seus filhos com segurança

Se os pais decidiram compartilhar fotos da vida pessoal da família, Marcos ressalta a importância de configurar corretamente os perfis em redes sociais. “O primeiro cuidado que devemos ter é verificar e ajustar as configurações de privacidade da rede social que utilizamos para que somente amigos possam ver as fotos. Não custa também perder alguns segundos e olhar atentamente para a foto. Verifique se a imagem mostra informações pessoais, como placa de veículo ou nome da escola das crianças, antes de publicá-la.”

Tanto cuidado tem razão de ser. “Com a exposição de suas fotos na internet, as crianças ficam vulneráveis a perigos como olhares maliciosos, redes de pedofilia, facilidade para roubos e sequestros, além de futuros casos de bullying. O que no início parece ser uma publicação inofensiva pode acabar virando um pesadelo”, alerta Bianca Kenschikowski de Borba, coordenadora de Marketing e Novos Negócios da Seekr, empresa especializada em monitoramento de redes.

Agradecimentos: Marcos Ferreira, especialista em segurança da informação da TrustSign,empresa focada em soluções de segurança na internet; Bianca Kenschikowski de Borba, coordenadora de Marketing e Novos Negócios da Seekr, empresa especializada em monitoramento de redes.

Veja ainda:
Qual o vídeo de crianças mais fofo da rede?
Site com fotos de crianças chorando por motivos inusitados faz sucesso

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.