Segredo da soberania delas em provas físicas do reality pode estar em determinação tipicamente feminina, dizem especialistas

Aguentar horas em posições incômodas, sob água ou calor, sem poder parar de se mexer ... As provas de resistência do Big Brother Brasil parecem feitas sob medida para os sempre presentes fortões do elenco. Mas o resultado é outro: são as mulheres que dominam as provas fisicamente mais árduas do reality show.

Na edição atual, todas as competições de resistência não apenas foram vencidas por mulheres, como elas também foram as segundas colocadas. E o BBB11 não é diferente dos demais. Desde que a Globo começou a contabilizar os registros das provas, as mulheres são as maiores vencedoras das provas de resistência, com 57% das vitórias.

“As mulheres podem ter menos força física, mas, falando de provas de resistência onde a força física pese menos que a determinação mental, elas superam os homens exatamente por esse fator: determinação. O cérebro feminino tem maior poder de vencer dificuldades exatamente pela determinação”, afirma o psiquiatra e professor de psicologia Alexandre Saadeh, da PUC de São Paulo.

Milena Fagundes venceu metade das provas de resistência do BBB9 – apenas uma foi vencida por um homem em toda a temporada. “Acredito que o corpo apenas segue as ordens da mente, e se a ordem é “resista”, o corpo obedece”, diz. “Sempre fui muito determinada, e quando tenho um objetivo, nada me para. Nas entrevistas da cadeira elétrica eu já avisei que daria trabalho nas provas de resistência, e que só sairia delas desmaiada. Mas, desistir, nunca!” ressalta Milena, cuja única preparação física era malhar na academia.

Os aspectos da força física nem sempre podem ser considerados elementos importantes. Mas afirmar que a força masculina é quantitativa e da mulher qualitativa gera discussão entre os psicólogos. Alguns preferem dizer que o ser humano pode responder de formas diferentes, ou seja, é possível existir mulheres com forças mais quantitativas e homens com força qualitativa.

No geral, Saadeh acredita que, assim como a força muscular é uma característica masculina, a perseverança e a determinação são mais comuns entre as mulheres.

O psicólogo Wilson Montiel explica que “a parte masculina está relacionada ao que chamamos de animus: atitudes e iniciativas, a força, no sentido de trabalho de equipe. Enquanto a parte feminina ou “anima”, seria, por exemplo, a comunicação, a intuição, o sentimento, o jogo no sentido de estratégia subliminar, ou de seduzir, intuir”.

Competitivas
Outro detalhe apontado pelos psicólogos é a natureza competitiva que pode ser vista principalmente entre mulheres. Saadeh argumenta que “as mulheres competem das mais diferentes formas, mas sempre de maneira discreta e com componentes mentais. Já os homens gostam de competições objetivas, claras, diretas, geralmente levando em consideração esforço físico ou destreza”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.