Veja como acertar e o que levar em consideração na hora de decidir fazer uma tatuagem

Tatuagens que possam ser escondidas podem ser feitas em qualquer pessoa, como os lacinhos feitos por Cláudia Tostes
Divulgação
Tatuagens que possam ser escondidas podem ser feitas em qualquer pessoa, como os lacinhos feitos por Cláudia Tostes
Seja ao completar 18 anos ou na terceira idade, a primeira tatuagem vem sempre com um frio na barriga. Como saber se está fazendo tudo certo? Tatuadores experientes dão dicas de como se preparar para a primeira – e para as próximas -- e evitar arrependimentos.

Onde fazer e o que tatuar?
O tatuador Janser, da Good Luck Tattoo , é categórico: “A escolha da sua tatuagem vai determinar suas chances de felicidade”. Exageros à parte, ele explica que é preciso saber o que se quer da vida para escolher a tatuagem que vai acompanhar nos acompanhar. “O local tem que coincidir com o que a pessoa tem em mente na vida. Se ela trabalha no ramo financeiro, não adianta a tatuagem ser mais exposta, no pescoço. Um médico fazer uma caveira com uma faca cravada pode não passar muita segurança para os pacientes”, brinca Janser.

Referências ajudam o tatuador a entender exatamente o que o cliente quer. Mas o pulo do gato é dar liberdade para ele criar. “A pessoa pode trazer uma referência, mas criamos um desenho exclusivo, que só ela vai ter”, diz Sergio Pisani, do estúdio Tattoo You . “Tatuagem é um trabalho artístico. Uma cópia apaga essa dimensão”, afirma a tatuadora Cláudia Tostes .

O que os desenhos significam?
Janser costuma avisar o cliente sempre que percebe que a tatuagem pode ter algum significado forte ou peculiar a determinado grupo. “Às vezes uma mulher vem tatuar uma pimentinha por achar que combina com seu gênio forte, e muda de ideia quando comento que isso é um código para mulher “ardida” na cama”, exemplifica o tatuador.

Para Pisani, ao contrário, o importante é o que o desenho significa para a pessoa. “Tatuagens de cadeia, da máfia russa ou da Yakuza têm um significado específico associado ao grupo, como um código. Mas são apenas desenhos”, afirma. De qualquer forma, é recomendado pesquisar, sobretudo quem tatua símbolos, como ideogramas orientais. “A fonte precisa ser muito bem pesquisada. Existem muitos sites que colocam informação errada de sacanagem”, diz Janser. “Você procura o símbolo para família e está escrito Coca-Cola.”

A gata siamesa gravada pela tatuadora Cláudia Tostes foi uma homenagem da dona à pet
Divulgação
A gata siamesa gravada pela tatuadora Cláudia Tostes foi uma homenagem da dona à pet
Com que traço eu vou?
Cada tatuador tem um estilo, geralmente ligado a uma escola de tatuagem. “É importante escolher um tatuador que trabalhe bem no estilo que você quer”, explica Cláudia. Indicações e portifólio são fundamentais nessa hora, para conhecer o trabalho do profissional escolhido.

Se eu fizer mais de uma, elas precisam combinar?
Pisani acredita que mesmo quem começa com uma tatuagem pequena, sem grandes pretensões, pode acabar se apaixonando e fazendo várias. “Por isso eu converso, mostro as possibilidades e faço a tatuagem de modo que ela possa aceitar outras no mesmo contexto”, afirma. No caso de tatuagens próximas, pode ficar esquisito colocar lado a lado um desenho tribal e um ideograma japonês. “Elementos que não têm nada a ver, próximos, não ficam harmoniosos”, diz Cláudia.

A tatuadora lembra que é comum querer aumentar uma tatuagem, acrescentando um elemento, como uma borboleta à uma flor. A mesma ideia vale para tatuagens próximas: é interessante que elas “conversem”.

O que não fazer?
Nada é proibido, mas nomes de namorados ou pactos não são recomendados. “Nomes e pactos de qualquer natureza com frequência provocam arrependimentos se ou quando a relação muda. De cada dez nomes que eu faço, metade eu tenho que apagar”, diz Janser. Já Cláudia é mais flexível. “Não recomendo tatuagens muito grandes: se fizer o nome do noivo de lado a outro nas costas e ele te trair, vai fazer o quê?”, diz a tatuadora. “Por outro lado acho muito bacana pactos entre amigos. Só de fazerem a tatuagem no mesmo dia, isso já garante um significado especial, que continua valendo, mesmo se a amizade mudar ou acabar”, diz a tatuadora.

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA O @DELAS NO TWITTER

“Oriento não tatuar também escudos de time de futebol ou qualquer desenho que possa comprometer a sua segurança”, alerta Alessandro Dell'Arno, do Da Tribo Tattoo . “Um cliente já me procurou para cobrir uma tatuagem de torcida organizada que ele tinha nas costas, por ter tomado uma pedrada durante um passeio sem camisa na praia com a familia. Ele nem viu de onde veio a pedra que o atingiu.” Ele diz que já foi fuzilado por olhares de mulheres apaixonadas, por se recusar a tatuar nomes de namorados, noivos ou maridos. “Costumo sugerir um desenho que remeta a alguma lembrança legal do casal.”

Tatuagens coloridas ficam mais visíveis  em peles claras. Tatuagem feita por Cláudia Tostes
Divulgação
Tatuagens coloridas ficam mais visíveis em peles claras. Tatuagem feita por Cláudia Tostes
Dá para mudar de ideia depois?
Quem tatua precisa ter em mente que a marca é definitiva. Mas, mesmo que ela tenha sido bem pensada e feita com convicção, se por algum motivo se tornar indesejada, há duas opções: cobrir ou remover a laser, ambos processos sem resultados garantidos. “Desenhos muito grandes ou escuros são mais difíceis de apagar”, lembra Cláudia.

Colorida ou sombreada?
“Tatuagem sombreada é perfeita para pele morena. Cores ficam mais vivas em peles claras”, afirma Pisani. Contudo, as coloridas são mais difíceis de apagar, no caso de algum arrependimento. “Há excelentes técnicas de remoção de tatuagem, mas cores, principalmente verde, são difíceis de apagar”, lembra Jansen.

Dá para saber como vai ficar antes de tatuar?
Muita gente flerta com a ideia por meio de tatuagens temporárias. “É comum, após alguns experimentos com henna, o cliente partir pra uma tatuagem definitiva”, diz Alessandro. No caso das definitivas, antes de fazer a tatuagem, o desenho é transferido para a pele com um decalque. “Se com o decalque a pessoa ainda tem dúvidas fortes, há grandes chances de arrependimento”, diz Janser. “É nessa hora que a pessoa deve pedir para refazer o desenho e mudar detalhes, até ficar do jeito que quer”, diz Pisani.

Par ou ímpar?
Há um mito de que tatuagens em número par trariam azar. “Essa história é uma simples superstição. Quem evita passar por baixo de escadas não deve ter número par de tatuagens para manter a boa sorte”, diz Alessandro.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.