Canadenses descobriram relação entre preocupação diária e inteligência verbal; estudo será publicado em fevereiro

Preocupar-se pode ser um sinal de um certo tipo de inteligência. E quem garante isso são pesquisadores canadenses da Universidade Lakehead, em Ontario, no estudo “Is the worrying and ruminating mind a more intelligent mind?” , que será publicado em fevereiro. 

Uma equipe liderada por Alexander Penney entrevistou 126 universitários. Eles responderam questionários para descobrir o quanto eles se estressam com os acontecimentos diários em suas vidas. Em um momento da pesquisa, por exemplo, os estudantes disseram o quanto concordavam com a afirmação “Estou sempre preocupado com alguma coisa” .  

++ MAIS: Veja abaixo 29 frases que as pessoas ansiosas cansam de ouvir:

Após a análise das respostas, Penney e sua equipe descobriram uma relação entre preocupação e inteligência verbal. No passado, a sociedade acadêmica já mostrou que os sintomas de ansiedade e depressão estão negativamente associados aos índices de inteligência. Segundo os  pesquisadores canadenses, no entanto, esses estudos não consideravam o estresse e não testavam a ansiedade do indivíduo. 

Penney concluiu que os entrevistados que mais repetiram eventos passados em suas mentes foram os que mais ficaram abaixo no ranking da inteligência não verbal. Ele conta:

“É possível que indivíduos mais verbalmente inteligentes são capazes de considerar os acontecimentos passados e futuros com maior riqueza de detalhe, ruminando pensamentos e preocupações. Indivíduos com maior índice de inteligência não verbal podem ser mais fortes no processamento de sinais não verbais das pessoas que interagem no momento, diminuindo a necessidade de se repensar os encontros sociais”.

Em outras palavras, os verbalmente inteligentes são atormentados diariamente pela memória por causa dos detalhes. Já os que são melhores para captar sinais não verbais encontram mais informações no momento do fato e tem menos necessidade de refazer eventos em suas cabeças. Uma boa notícias aos preocupados. 

Leia mais:
Ansiedade nem sempre é prejudicial
Faça o teste e descubra qual o seu grau de ansiedade
Até que ponto sua ansiedade é normal?

>>> Curta a página do Delas no Facebook e siga o @Delas noTwitter <<<

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.