Tamanho do texto

A mãe ia dos EUA para a Holanda e ficou chocada com o que ouviu da aeromoça. Ela reclamou com a empresa, mas disseram que essa é a norma

Shelby Angel‎, dos Estados Unidos, fez um desabafo no Facebook sobre uma situação desagradável que protagonizou ao amamentar a filha no avião. A mãe ia de São Francisco para Amsterdã em um voo da KLM Royal Dutch Airlines e não hesitou em manifestar sua indignação com a abordagem de uma das comissárias da empresa.

Leia também: Mãe se diz orgulhosa por amamentar filho de 4 anos e divide opiniões na web

comissária de bordo diz para mãe arrow-options
shutterstock
Mãe ouve de comissária de bordo que precisa "se cobrir" para amamentar a filha em voo. Empresa se pronuncia sobre o caso


A norte-americana elaborou um texto e divulgou na página oficial da empresa no Facebook. Ela afirma que a publicação é um alerta para todas as mães que quiserem  amamentar seus filhos em um voo da companhia. "Não voe com a KLM! Há um mês atrás eu estava voando com minha filha de um ano em um voo da KLM de São Francisco para Amsterdã. Foi o terceiro voo em que estive com ela. Eu a amamentei, isso a acalma, a ajuda a dormir e a deixa confortável", conta a mãe.

Shelby explica que a criança não gosta de ser coberta e que ela faz o que pode para ser discreta na amamentação. "Antes mesmo de decolar, fui abordada por uma comissária de bordo carregando um cobertor. Ela me disse: 'Se você quer continuar amamentando, precisa se cobrir'", relembra.

A mãe tentou argumentar que a filha não gosta de ser coberta e alegou que isso "a incomodaria quase tanto quanto não amamentá-la", porém a comissária não recuou e afirmou que, se alguém reclamasse, o problema seria dela.

"Ninguém reclamou. Em nenhum dos voos que eu levei minha filha. Na verdade, ninguém nunca reclamou comigo sobre a amamentação em público . Exceto a atendente desse voo", declara ela na postagem.

Leia também: Mãe infértil consegue amamentar filha adotiva e celebra: "Realmente emocionante"

KLM diz que essa é a política da empresa

Segundo Shelby, a divergência entre elas foi o suficiente para a comissária nem olhar mais em seus olhos o restante da viagem. Quando retornou para os Estados Unidos, a mãe enviou uma reclamação à empresa KLM e registrou o ocorrido.

A resposta da companhia aérea, contudo, não foi a esperada por ela. "Me disseram que eu precisava ser respeitosa com pessoas de outras culturas e que a resposta desta comissária de bordo estava em conformidade com a política da empresa", pontua a mãe, indignada com a devolutiva.

Para finalizar o texto, a norte-americana se mostra revoltada com a postura da organização. "Em vez de defender e proteger as mães que amamentam e nossos filhos, a KLM prefere manter valores antiquados que envergonham os corpos das mulheres", diz ela.

"Espero que todos que pensem em um voo com seu filho em fase de amamentação possam escolher uma companhia aérea que respeite a autonomia corporal e o direito de cuidar de nossos filhos da melhor maneira que sabemos", acrescenta.

Leia também: Perigoso? Mãe diz que crianças não devem ficar sozinhas em público e abre debate

O relato se tornou viral na web

A publicação de Shelby rendeu quase duas mil reações e teve mais de mil comentários, a maioria deles eram de pessoas chocadas com a atitude da empresa. Alguns declararam que a amamentação em público é normal e não deve ser motivo de escândalo.

"Respeitar a cultura dos outros é engraçado. Significa que se você for em companhias aéreas do Oriente Médio, terá que cobrir o corpo com um pano preto da cabeça aos pés", sugere um. "Em que século nós estamos? Como isso ainda pode acontecer? Amamentar um bebê é uma coisa natural! E meu bebê também não gosta de ser coberto. Vergonha, KLM!", comenta outra internauta.