Tamanho do texto

Chef americana e apresentadora brasileira Rafa Brites relataram sofrer com comentários de desconhecidos sobre suas posturas depois da maternidade

O período da gestação é muito esperado por algumas mulheres, que não veem a hora de exibir suas barrigas por aí. Entretanto, algumas pessoas passarem achar um absurdo essa prática e ficam extremamente incomodadas ao ver uma grávida usando biquíni, e ainda mais absurda essas mesmas mulheres compartilharem fotos em que aparecem usando o traje em suas redes sociais.

Leia também: Mãe cria "botão do abraço" para primeiro dia de aula menos traumático

Tanto Daphne Oz, que está grávida e já tem outros dois filhos, e Rafa Brites, mãe de Rocco, sofrem com cobrança dos outros
Instagram/Reprodução
Tanto Daphne Oz, que está grávida e já tem outros dois filhos, e Rafa Brites, mãe de Rocco, sofrem com cobrança dos outros

É esse o problema que a chef americana Daphne Oz, conhecida por suas participações em programas de TV, está passando no momento. Ao compartilhar um vídeo seu, em que exibe sua barriga de grávida usando um biquíni ao lado da filha, logo surgiram comentários criticando a  da mãe .

Leia também: Mãe acha que dá a luz uma menina, mas volta com bebê do sexo masculino para casa

“Meu Deus, por favor coloque alguma roupa. Você aparece em um bom programa, e aí surge pelada. Triste. Nós já sabemos que você é bonita, mas, por favor, não apareça pelada”, escreveu um dos usuários da rede social Instagram, onde Daphne compartilhou o vídeo.

Em entrevista ao site "Daily Mail", a chef afirma ser importante para as mães poderem se sentir sexy. “Vez ou outra eu compartilho uma foto minha usando biquíni, e toda vez alguém comenta coisa do tipo ‘minhas crianças veem isso!’, e eu fico ‘cara, estou de biquíni. Minha filha está na foto. Isso não é pornografia. Qual o seu problema?’.”

A post shared by D A P H N E O Z (@daphneoz) on

Daphne acredita que há uma ideia de puritanismo que cerca a maternidade, mas acha tudo isso muito tolo. “Parte de mim só consegue pensar: ‘como você acha que eu fiquei grávida? Como você acha que isso aconteceu?’.”

A americana alerta outras mães e outras pessoas também que ser mãe não significa deixar de ser você mesma. Ela afirma que não quer chamar atenção das outras pessoas mostrando seu corpo, mas que apenas acredita que isso pode encorajar outras mulheres a amarem seus corpos.

Problema continua após a gravidez

A post shared by Rafa Brites (@rafabrites) on

Infelizmente, o problema parece não acabar após o nascimento da criança. Recentemente, a apresentadora Rafa Brites compartilhou um texto em seu Instagram pedindo para as pessoas não canonizarem as mães.

“Engraçado, depois que virei mãe tenho sentido uma cobrança por uma postura angelical, imaculada e assexuada. Qualquer movimento numa dança, decote ou entornada em um copo de gin escuto: Olhaaa a mamãe do Rocco aí curtindo adoidado. Em um festival de música eu já pra lá de Bagdá escuto: Quero ver acordar pra cuidar do baby hein!! Nossa batom vermelho? Seu filho vai ficar com ciúmes da mamãe... entre outros vários comentários infelizes, a maioria machistas e vindo de mulheres”, inicia o relato.

Rafa também afirma que não é culpa de ninguém isso, já que existe um “inconsciente coletivo de acreditar que a mulher, ao virar mãe, por ser algo tão divino e sagrado, passe a ser cândida”. Para ela, a maternidade só reforçou a ideia de como ela é mulher, e a autoconfiança que surgiu daí a tornou ainda mais sensual.

Leia também: Mulher tira filha de 10 anos da escola para ensiná-la a ser mãe e dona de casa

“Ao contrário do que a sociedade gostaria, eu perdi ainda mais o pudor. Busco o prazer. Amo mais o meu corpo. Me sinto uma pessoa muito mais interessante. Não consigo ter ciúmes das menininhas novinhas lindas em uma festa. Não preciso agradar ninguém. Não tenho mais tempo para o mais ou menos. Meu comportamento e meu bom senso sempre foram e continuarão regidos pelos meus valores. Detesto a posição de mãe mártir. Vítima. E é uma armadilha fácil se cair.”

Ela ainda lembra da cobrança em cima das mães separadas, que sofrem muito mais com a pressão da sociedade. Grávida ou não, seja no século passado ou em 2017, as mães são sempre cobradas.

    Leia tudo sobre: Gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.