A coach de relacionamento americana Mary Miranda, de 36 anos, decidiu encarar a menstruação de forma diferente e passou a usar seu sangue em tratamentos faciais, trabalhos artísticos e até para regar as plantas. Isso tudo aconteceu após ela passar por diversos problemas e quase perder o útero. O intuito dela agora é mostrar para as mulheres que é possível ter uma boa relação com o período menstrual. 

Mary Miranda
Reprodução/Twitter
Mary Miranda


A primeira menstruação de Mary aconteceu aos 12 anos e ela passou boa parte da adolescência sofrendo com dolorosos e irregulares períodos menstruais. Segundo divulgado pelo site ‘Mirror’, a coach disse que passou anos se sentindo “envergonhada e enjoada com o sangramento mensal” até descobrir um ritual chamado “Moon Blood”.

Em 2006, a americana foi diagnosticada com um cisto e precisou remover o ovário direito. Depois disso, Mary foi aconselhada a tomar pílula anticoncepcional para evitar que o mesmo acontecesse com o ovário esquerdo, mas após dois anos, em 2008, ela decidiu parar porque não queria hormônios sintéticos no seu corpo.

Com isso, a menstruação de Mary voltou com diversos efeitos colaterais. Ela decidiu ir ao médico para tentar resolver o problema e acabou descobrindo um mioma. A americana passou por uma cirurgia e, com medo de descobrir mais problemas, ela procurou um jeito natural de cuidar do seu sistema reprodutivo.

Nova relação com a menstruação

Mary Miranda
Reprodução/Twitter
Mary Miranda


O “Moon Blood” é um ritual que convida a mulher a valorizar, acolher e honrar a menstruação. Ao saber disso, Mary mudou sua relação com o corpo e passou a fazer todos os meses um tratamento facial usando seu sangue menstrual, que ela deixa por até 30 minutos no rosto, e ainda aproveita o sangue para pintar e regar as plantas.

“Na minha opinião, nossas educação, sociedade, patriarcado e religião influenciaram muito a forma como as mulheres se sentem e agem em torno de seus períodos”, declarou. “A palavra menstruação é uma fonte de vergonha, repulsa e pecado para muitas mulheres, porque é um tópico que não é discutido, é tabu, é visto como algo grosseiro, impuro, nojento e deve ser mantido sob o tapete.”


Mary acredita que as mulheres muitas vezes são condicionadas a pensa que são “loucas, mal-humoradas e descontroladas emocionalmente” só porque estão na TPM. “Eu estava prestes a fazer uma histerectomia há dois anos e nunca mais menstruar. Orei todos os dias e pedi que meu útero e ovário esquerdo fossem salvos. Prometi honrar e adorar meu ventre e menstruação com reverência todos os meses se fossem salvos”, contou a americana que se recuperou.

Mesmo com medo de como as pessoas reagiriam, a coach resolveu expor nas redes sociais tudo o que faz com seu sangue menstrual para incentivar outras mulheres. “O sangue menstrual é curativo, possui propriedades anti-inflamatórias e é rico em nutrientes e minerais como zinco, cobre, magnésio, cálcio, sódio, ferro, nitrogênio, fósforo e potássio. Minha pele sempre fica mais suave, mais nutrida e brilhante. Eu notei que ajudou a melhorar as cicatrizes da minha pele causadas pela acne”, afirma.

Desde que começou a seguir esse ritual holístico, Mary tem períodos menstruais regulares que duram de três a quatro dias. “Eu acredito muito que me reconectar com meu corpo, útero e período menstrual me ajudou a melhorar e curar meus problemas de saúde reprodutiva, e isso me permitiu abraçar ainda mais minha menstruação”, concluiu.

    Veja Também

      Mostrar mais