Tamanho do texto

Em entrevista ao Delas, mulheres falam sobre a aceitação dos fios naturais

O aparecimento dos primeiros cabelos brancos pode assustar muitas mulheres, independente da idade. Seja aos 20 anos ou depois dos 50, enfrentar essa fase nem sempre é fácil por conta de todo tabu existente e, muitas vezes, elas recorrem às tinturas por anos para esconder os fios grisalhos com outros tons.

mulheres com cabelos brancos arrow-options
Arquivo pessoal
Por diversos motivos, essas mulheres assumiram os fios brancos. E elas estão arrasando por aí

No entanto, muitas já decidiram aposentar as colorações e passaram a assumir a beleza dos cabelos brancos – e por vários motivos. Para mostrar casos reais, a reportagem do Delas reuniu 15 depoimentos de mulheres incríveis que decidiram  parar de pintar as madeixas e valorizá-las em sua tonalidade natural. 

1. “Foi a melhor decisão que eu tomei”

Ivone Ribeiro arrow-options
Arquivo pessoal
Ivone Ribeiro conta que, por trabalhar como cabeleireira por anos, não aguentava mais sentir o cheiro das colorações

“Sou cabeleireira, tenho 58 anos e 30 de profissão, e tenho visto muitos casos de clientes minha se queixando das colorações e da ardência que elas causam no couro cabeludo, e era também meu problema. Já não suportava mais passar por isso a cada 20 ou 30 dias.

E como tenho contato com as colorações diariamente no salão, passei a não suportar mais o cheiro delas. Por isso, decidi parar de colorir meus cabelos e foi a melhor decisão que tomei. Em agosto, faz um ano e adoro como ficou meu cabelo.” - Ivone Ribeiro

2. “Uma liberdade maravilhosa”

Cilene Calheiros arrow-options
Arquivo pessoal
Cilene Calheiros diz que, depois que parou de pintar os fios, ele ficou mais maleável e sedoso: "Uma liberdade maravilhosa"

“Cabelo mais maleável, sedoso, sem ter que se preocupar em pintar. Uma liberdade maravilhosa. Enfim, tudo de bom!!!!! Tenho 52 anos e faz 1 ano e 4 meses.” - Cilene Calheiros 

3. “Fiquei surpresa com a cor natural do meu cabelo”

Márcia Moita arrow-options
Arquivo pessoal
Márcia Moita explica que, após deixar a tintura de lado, ficou surpresa com a cor natural do seu cabelo

“Eu sempre dizia que ia deixar meu cabelo natural aos 60 anos. Mas, aos 56, tomei a decisão de não usar mais tinturas, pois cresce muito rápido e precisa de retoque. Fiquei surpresa com a cor natural do meu cabelo. Lindo. Muitos elogios e questionamentos também. É libertador. Mas não vou dizer que foi fácil. Tinha dias que me olhava no espelho e queria comprar a tintura. Mas eu consegui e estou muito feliz.” - Márcia Moita

4. “Me sinto ótima”

Elizete Xavier arrow-options
Arquivo pessoal
Elizete Xavier decidiu parar de pintar os cabelos depois que a filha se mudou para outro país e ela entrou em depressão

“Minha história começou quando minha filha decidiu se mudar para a Austrália. Foi muito difícil para mim! Quase entrei em depressão, tive ajuda médica, mas eu vi que dependeria só de mim mudar esta situação. Foi quando eu decidi para de pintar os cabelos. Eu sempre fui muito apegada ao meu cabelo comprido e jamais imaginaria passar a máquina, mas foi o que eu fiz.

Teve o significado de mudança, desapego a coisas que não são importantes e um fortalecimento da mulher que sou. Me sinto ótima!! E vitoriosa!! Bom, e com relação a minha filha, peço a Deus que cuide dela e que ela continue feliz com sua escolha e sua nova vida. Como diz a sabedoria popular, os filhos são para o mundo!” - Elizete Xavier 

5. “A opinião alheia nunca me preocupou”

Amauride Machado arrow-options
Arquivo pessoal
Amauride Machado explica que, após ficar desempregada, a falta de dinheiro a fez aceitar seus cabelos brancos

“A minha decisão de não pintar os meus cabelos veio quando fiquei desempregada, na época com 58 anos. A falta de grana me encorajou a aceitar minha nova realidade: cortar, usar lenços e, por fim, deixá-los tão natural que só uso shampoo sem sal. Não uso condicionador e não matizo. A opinião alheia nunca me preocupou. Farei 65 anos. Gosto muito de mim e dos meus cabelos.” - Amauride Machado 

6. “A única pessoa que eu teria que agradar seria eu mesma”

Leonida Spindola arrow-options
Arquivo pessoal
Leonida Spindola diz que pintar os cabelos não iria amenizar suas rugas e, atualmente, recebe muitos elogios pela atitude

"Tenho 63 anos e há 5 resolvi não pintar mais meus cabelos. Falei pro meu filho: ‘não vou mais pintar o cabelo, e ele disse: mãe, faça o que achar melhor.’ Fui muito criticada e desanimei da vida, mas falei: pintar o cabelo não iria amenizar minhas rugas e que a única pessoa que eu teria que agradar seria eu mesma.

Hoje, recebo muitos elogios. Minhas irmãs e muitas amigas também aderiram ao natural. Amo ser como sou. Sei que temos que ser uma mulher de atitude, pois não é pra qualquer uma ter essa atitude. Viva a liberdade. Parabéns a todas as mulheres de atitude.”  - Leonida Spindola

7. “Sou apaixonada por meus grisalhos”

Ivoneia Ferreira arrow-options
Arquivo pessoal
Ivoneia Ferreira conta que, após experiência com uma cabeleireira, ela percebeu que sua raiz era quase 100% branca

“Tenho 60 anos. E sempre achei lindo cabelos grisalhos . Comecei a ter cabelos brancos muito cedo. Resolvi fazer luzes para não pintar, apenas retocar a raíz. Cada vez aumentava a quantidade de luzes e de brancos também. Um dia, fui retocar a raíz e a cabeleireira usou a colocação errada, ficou arroxeado.

Resolvemos, então, retirar toda a coloração. Daí, descobri que minha raiz estava quase 100% branca. Gostei. Fiz um corte bem estiloso. E, para minha surpresa, fiquei com a aparência de bem mais jovem do que sou. Recebo muitos elogios por onde passo.” - Ivoneia Ferreira

8.  “Me sinto plena e extremamente feliz”

Sílvia Dis Santis arrow-options
Arquivo pessoal
Após enfrentar um problema de saúde, Sílvia ficou com os cabelos brancos e, desde então, decidiu não pintá-los mais

“Em 2015, fui diagnosticada com um câncer de intestino. Tinha acabado de fazer 52 anos. Era loura e tinha mechas californianas. Fiz a cirurgia para a retirada do cólon sigmoide e, depois, implantei um cateter para fazer doze sessões de quimioterapia. Os meus cabelos não caíram, mas ficaram brancos e, depois disso, nunca mais os pintei. Hoje, quase completando 56 anos, me sinto plena e extremamente feliz com os meus charmosos gris!” - Sílvia Dis Santis 

9. “É uma liberdade maravilhosa”

Irani Ferreira Santos Bona arrow-options
Arquivo pessoal
Para Irani Ferreira, ter os cabelos sem tintura é uma liberdade maravilhosa, mas ressalta que no começo não foi fácil

“Estou com 62 anos. Amo meus cabelos sem tintura, totalmente natural. É uma liberdade maravilhosa! Quando decidi parar com a tintura, falaram que eu ficaria muito envelhecida. Mas foi ao contrário todos gostaram e elogiaram muito meus cabelos. Claro que no começo não é nada fácil. Cortei bem curto...cortava todo mês. Amo demais.” - Irani Ferreira Santos Bona

10. “Me arrependo muito de não ter assumido antes”

Suely Mello arrow-options
Arquivo pessoal
Suely Mello diz que transição foi dura, mas hoje aceita seus fios grisalhos e gosta do que vê quando se olha no espelho

“Tenho 68 anos E decidi assumir meus cabelos brancos tem 4 anos mais ou menos. A transição foi dura, mas me arrependo muito de não ter assumido antes. Liberdade total Eu usava tintas desde os 30! Ultimamente, me via na obrigação de retocar a raiz praticamente toda semana. Ninguém merece! Me aceitei e gosto do que vejo ao me olhar no espelho.” - Suely Mello

11. “Cansei da escravidão da química”

Junia Prado Teixeira arrow-options
Arquivo pessoal
Junia Prado Teixeira começou a tingir aos 41 anos e se arrepende disso; ela tem 73 e assumiu os brancos há dois

“Tenho 73 anos e há dois assumi meus brancos. Cansei da escravidão da química! Tenho dois arrependimentos: o primeiro, de ter começado a tingir aos 41 anos. E o segundo, de não ter parado há mais tempo!” - Junia Prado Teixeira 

12. “As marcas do tempo em nosso corpo nos deixam mais bela”

Máxima Moraes da Silva arrow-options
Arquivo pessoal
Máxima Moraes da Silva afirma que não ser "levada por paradigmas sociais é libertador"

“No próximo mês, completo 57 anos e faz algum tempo que nutria desejo de deixar minha madeixas naturais, ou seja, com grisalho natural, porque desde os 37 anos já apresenta cabelos brancos . Mas, sabe aquela ‘máxima’ que cabelo branco para mulher envelhece e para o homem e charmoso, pois é... Além disso, minha mãe, hoje com 86 anos, não admitia que eu abandonasse a pintura das minhas medidas. 

E eu, como uma filha obediente, continuava me rendendo à indústria dos cosméticos, e todo esse blá, blá, social que coloca você em caixinhas. Ah, claro! Além da fala da minha mãe. Bem, mas quando completei 56 anos, resolvi dar um basta a tudo isso. Porque as marcas do tempo em nosso corpo nos deixam mais bela. Não ser levada por paradigmas sociais é libertador. E aí estou eu com minha madeixas grisalhas. E muito feliz.” - Máxima Moraes da Silva 

13. "Me libertei"

Érika Senra arrow-options
Arquivo pessoal
Érika Senra é professora de yoga e, há quase dois anos, resolveu assumir os cabelos brancos

"Sou professora de yoga. Sempre pintei os cabelos de preto, cor que tinha na juventude. Daí, fui tentando passar pra castanhos e não combinavam comigo. Como gosto de usar produtos naturais , sem sulfatos e parabenos, e a tinta, mesmo sem amônia, tem muita química, resolvi parar de usar. Há um ano e 10 meses me libertei!" - Érika Senra 

14. "Tenho o maior orgulho dos meus grisalhos"

Sonia Carvalho arrow-options
Arquivo pessoal
Sonia Carvalho tem orgulho dos cabelos pintados e, em seu depoimento, diz que não se vê com os fios pintados

"Eu nunca gostei de nada que me dê trabalho, e gosto de tudo bem natural, sem maquiagem e sem tintura. Curto muito meus grisalhos e tenho o maior orgulho dos meus grisalhos. Não me vejo com meus cabelos pintados " - Sonia Carvalho

15. "Muito feliz com meus gris"

Katia Silene Pereira Santos arrow-options
Arquivo pessoal
Katia Silene Pereira Santos está feliz com os cabelos brancos e é mais uma mulher inspiradora na lista

"Na minha primeira mecha, eu tinha 12 anos. Por volta dos trinta, tentei esconder 2 vezes, mas não deu certo. Hoje, com 50, muito feliz com meus gris." - Katia Silene Pereira Santos