Tamanho do texto

Americana Sophia Chen conta que passava maquiagem todos os dias para cobrir as marcas da psoríase e diz como conseguiu deixar de se esconder

Sophia Chen, de 20 anos, é uma atleta e estudante do Colorado, nos Estados Unidos. A jovem desenvolveu psoríase, uma doença de pele, aos 16 anos, e desde então não vivia sem maquiagem.

Leia também: Mulheres inspiradoras: coreógrafa ensina sobre autocuidado através da dança

undefined
Arquivo pessoal
Sophia Chen usava maquiagem para esconder a psoríase, uma doença de pele comum em crianças e jovens

“Todas as manhãs antes da escola, eu acordava às seis da manhã para cobrir estrategicamente as manchas. Eu nunca passei um dia sem cobrí-las, mesmo que estivesse jogando futebol”, diz Sophia ao Daily Mail sobre a doença de pele .

Além da maquiagem , ela recorria a blusas com mangas compridas para esconder o corpo. A rotina se repetia, até que muitas pessoas começaram a elogiar a pele dela e a jovem, gradativamente, parou de tentar encontrar uma solução.

Atualmente, Sophia não usa produtos para cobrir as manchas e revela se sentir melhor com seu corpo. Na entrevista, ela relata como mudou sua percepção sobre a doença. “Minha colega de quarto amou e me disse que eu parecia uma chita”, fala a estudante.

Modelo Winnie Harlow, que tem vitiligo, em um balanço no meio do mar
Reprodução/Instagram/@si_swimsuit
A super top Winnie Harlow tem vitiligo e é uma inspiração para Sophia Chen

“Além disso, Winnie Harlow, modelo com vitiligo, está se tornando extremamente popular e minha pele é semelhante a dela”, completa Sophia.

A atleta evidencia a importância dos comentários positivos das pessoas que convivem com ela para a mudança de pensamento, explicando que todos acham legais as manchas no corpo e exaltam a pele dela.

“Um dos meus amigos disse que elas [as manchas] se parecem com constelações na minha pele. Outro cara que conheci disse que eram ‘sexy’”, declara Sophia, que ainda assegura que agora ama sua pele.

“Com certeza pode ficar irritante quando está coçando, mas quando não está, eu adoro isso. Especialmente quando começa a cicatrizar e torna minha pele bronzeada. Eu adoro a aparência dela”, explica a estudante.

Leia também: De biquíni neon, Thais Carla fala sobre autoestima: "Eu me amo e você?"

Sophia e a doença de pele

undefined
Arquivo pessoal
Sophia Chen desenvolveu psoríase aos 16 anos e usava maquiagem até para jogar futebol

Ainda em entrevista ao portal britânico, Sophia Chen relata como foi sua reação ao ver a psoríase se espalhar pelo corpo. “Eu tive psoríase com 16 anos e, no início, eu pensei que era uma picada de inseto, por isso não me preocupou muito”, falou.

Ao procurar dermatologistas, ela recebeu o diagnóstico de psoríase gutata, que consiste em pequenas feridas na pele e é mais comum entre crianças e jovens com menos de 30 anos. Muitos médicos chegaram a recomendar que a atleta fizesse sessões de quimioterapia e até bronzeamento artificial para curar as lesões.

“Eu chorava quase todos os dias, o que realmente deixou minha mãe devastada. Na época, eu não tinha confiança e em alguns dias nem queria ir à escola por causa disso. Eu tentei cremes que um dos médicos me receitou e foi exaustivo aplicá-lo em cada pequeno ponto no meu corpo. Um trabalho extremamente tedioso e não fez nada para me ajudar”, desabafa Sophia.

Leia também: Sardas no rosto exigem cuidados especiais? Veja dicas de especialista

Ao consultar outros especialistas na área, Sophia foi alertada sobre a possibilidade das lesões estarem atreladas a sua alimentação. Pensando nisso, ela cortou laticínios, glúten e álcool da dieta na tentativa de curar a pele e, de acordo com a garota, isso de fato ajudou.

A jovem estudante finaliza a entrevista expondo seu desejo de passar uma mensagem a todas as pessoas do mundo: “Eu quero mostrar aos outros que eles não precisam se esconder atrás de nada, e podem se abraçar pelo que são, não importa com o que estão lidando”.

“Fomos feitos únicos e é isso que nos faz bonitos. Quando eu era mais jovem, eu estava sempre tentando me encaixar nos padrões sociais, mas no final, isso abalou minha confiança e foi exaustivo”, disse ela sobre a doença de pele . “Minha vida está cheia de felicidade agora que posso aceitar e amar meu corpo do jeito que é”, completou Sophia.

    Leia tudo sobre: maquiagem