Tamanho do texto

Cansada de seu antigo emprego, Asstyn viu no mundo pornográfico a oportunidade de ganhar dinheiro e ainda incentivar o “body positive”

Depois de passar anos entediada, trabalhando em um escritório convencional e dedicando a vida ao cuidado dos filhos, uma norte-americana decidiu abandonar seu estilo de vida antigo e monótono e partir para uma mudança radical. Ela deixou seu emprego tradicional para investir em outra carreira que transformaria sua vida para sempre: a de atriz pornô plus size.

Leia também: Modelo plus size fala sobre pressões da carreira: "Precisa ter a barriga lisa"

Atriz pornô plus size deixou o emprego convencional e agora fatura uma fortuna gravando conteúdo adulto
Reprodução/Instagram @asstyndangermartyn
Atriz pornô plus size deixou o emprego convencional e agora fatura uma fortuna gravando conteúdo adulto

Além do crescimento pessoal, apesar de inusitada e até arriscada, a transição fez com que ela passasse a faturar uma fortuna. Desde que iniciou no ramo do entretenimento adulto como atriz pornô plus size, ela passou a arrecadar o equivalente a R$ 3,8 mil por cena que filma.

Com medidas totalmente fora do padrão estético social imposto, Asstyn, como é conhecida, tem 44 anos, dois filhos, e agora se identifica como uma “ BBW ” - sigla em inglês usada para se referir a mulheres grandes e bonitas.

Natural da Pensilvânia, nos Estados Unidos, ela diz que sua vida melhorou drasticamente desde que se tornou artista de conteúdo adulto. Para ela, a transformação vai muito além do sucesso financeiro.

Asstyn diz que espera que compartilhar sua história encoraje outras mulheres gordas a pensarem em ingressar na indústria do entretenimento e a se verem como mulheres interessantes e sensuais.

A coragem que teve em mudar de vida também é outra inspiração para quem não se sente feliz com o que tem no momento, mas tem medo de arriscar.

Antes de estrelar no segmento erótico, ela conta que costumava ficar muito entediada com seu emprego tradicional, onde trabalhava por 8 horas, 5 dias por semana e tinha um salário pouco atrativo.

“No meu antigo emprego, eu ficava atrás de uma mesa o dia todo, ouvindo pessoas reclamando, ganhando cerca de 30 mil libras por ano [aproximadamente R$ 150 mil]”, diz ela ao Daily Star .

Hoje, se Asstyn gravar apenas uma única cena por mês, durante oito meses, ela consegue ganhar o mesmo que recebia durante um ano quando tinha um trabalho sem graça e cansativo.

Leia também: Após 20 anos escondendo cicatrizes de acne, modelo faz relato de aceitação

Ideia de se tornar atriz pornô plus size

Apesar de não ter sido incentivada no início, Asstyn fala que hoje recebe apoio de fãs para continuar como atriz pornô
Reprodução/Instagram @asstyndangermartyn
Apesar de não ter sido incentivada no início, Asstyn fala que hoje recebe apoio de fãs para continuar como atriz pornô

Asstyn conta que tudo começou quando ela conheceu um homem em um site de namoro. Ele trabalhava no setor adulto e recomendou que ela procurasse saber mais sobre a indústria de filmes eróticos. O rapaz comentou que ela poderia encontrar trabalho como uma estrela pornô plus size .

Foi então que ela começou a pesquisar sobre o mundo da pornografia e ficou surpresa com a forma como esse meio pode ser empoderador para mulheres com diversos tipos de corpos. "Eu não sabia que havia esse tipo de ‘setor’ na indústria erótica, e nunca tinha ouvido falar sobre ‘BBW’ antes, mas eu realmente gostei de todo o aspecto de positividade corporal envolvido no conceito”, afirma.

No início, ela conta que sofreu muito preconceito quando falava que iria começar a atuar em outra área. "Eu não recebi muitos comentários positivos, o que realmente impactou em mim", desabafa.

Asstyn também tinha medo de como seria trabalhar em um meio que ela julgava ser machista e opressor para a mulher. “Eu tinha uma ideia muito distorcida em minha mente sobre o que era a indústria do entretenimento adulto focado em mulheres gordas. Estava preocupada se essas mulheres maiores seriam ridicularizadas."

Mas assim que passou a envolver no assunto e viu as fotos e vídeos, resolveu arriscar. "Estava claro que elas estavam sendo verdadeiramente apreciados”, comenta.

“Feminista sex-positiva”

A carreira de atriz pornô fez com que a norte-americana incentivasse a aceitação do corpo para outras mulheres
Reprodução/Instagram @asstyndangermartyn
A carreira de atriz pornô fez com que a norte-americana incentivasse a aceitação do corpo para outras mulheres

Depois de pesquisar e se aprofundar no tema, em 2017, Asstyn decidiu que faria sua primeira incursão no setor da pornografia. Ela começou compartilhando suas próprias fotos no Twitter, o que logo atraiu a atenção de empresas de entretenimento adultos por conta de seu perfil diferente do padrão.

“Eu estava um pouco nervosa com tudo isso no começo, mas também senti que tinha vivido minha vida por outras pessoas por tanto tempo que era hora de eu viver para mim mesma”, admite.

Ela ainda ressalta que teve que superar muito medo sobre a percepção de outras pessoas em relação a ela e sua nova profissão, tendo em vista que além de estar exibindo seu corpo, também lidava com o fato de ser uma mulher envolvida com pornografia, o que faz com que muitas pessoas a julguem de maneira errada.

"Eu estava presa no passado pela preocupação sobre o que as outras pessoas diriam - mas agora considero minha própria felicidade acima do que outras pessoas pensam a meu respeito", fala.

Desde que abandonou sua vida antiga, Asstyn montou seu próprio site e começou a passar o tempo na frente da câmera. A estrela pornô espera espalhar uma mensagem de "positividade sexual", tornando seus vídeos o mais realista possível.

“Eu me considero uma feminista sex-positiva”, dispara. “Eu não concordo com a vergonha e o estigma em torno da sexualidade feminina em nossa cultura e odeio esse padrão. É por isso que faço o melhor que posso para não fingir orgasmos. Eu quero dar foco ao prazer das mulheres, assim como acontece com os homens.”

Apesar de receber alguns comentários de haters, seu trabalho é, na maioria das vezes, recebido com apoio por homens e mulheres. Ela acredita que seu passo na indústria de entretenimento adulto foi positivo, e avisa a quem critica sua carreira que não planeja desistir tão cedo.

Leia também: Amigas posam de biquíni para responder críticas sobre diferentes tipos de corpos

“Está sendo uma aventura e eu quero continuar”, declara a atriz pornô . “Eu adoraria ver mais tipos de corpos aceitos em todos os sentidos”, e acrescenta afirmando que “no resto da sociedade, não é frequente você ver uma mulher gorda exibindo seu corpo” e que quer mudar isso através do seu trabalho.

    Leia tudo sobre:
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas