O minimalismo consiste em ter apenas o necessário em casa
Reprodução/Pixabay
O minimalismo consiste em ter apenas o necessário em casa


 O minimalismo  consiste em ter uma vida mais prática, leve e eliminando excessos para manter apenas o essencial. Tema de documentários como "Minimalismo Já", que estreou neste mês na Netflix, o minimalismo também é tendência na  decoração e na arquitetura.


Mas como ter um lar minimalista? O iG Delas conversou com a decoradora Débora Realista e com a arquiteta Virna Carvalho para entender melhor o estilo e também os benefícios de ter uma casa minimalista. 

O que caracteriza uma casa minimalista?

Segundo Débora, a casa minimalista valoriza a praticidade e organização. "Tudo tem uma função bem definida, o ambiente com uma decoração que valoriza a beleza natural de cada mobiliário, objeto, roupas, etc. Mas é importante ressaltar que ter uma casa minimalista é um conceito que vai além da decoração. É um estilo de vida", afirma.

Para Virna, as casas minimalistas têm arquitetura mais "clean". "Com formas geométricas, geralmente retas e bem definidas, porém simples e harmônicas em seus ambientes internos e externos. A decoração deve ser sempre leve e com uso de móveis com design interessante".

Segundo a profissional, a ideia é que o ambiente tenha apenas o necessário, mas que ele seja o mais agradável possível. "O uso de cores e revestimentos neutros, vidros e metais ajudam a criar essa atmosfera clean nas fachadas, deixando a construção mais leve e moderna", diz.

Não sabe como começar? Tudo é o primeiro passo

Virna aponta que é preciso mudar o comportamento e a forma de ver o mundo. "É importante desapegar um pouco de seus pertences. É percebendo que não se tem a necessidade de ter tantas coisas que a vida fica mais leve. Isso reflete na decoração com poucos móveis e sem exagero de objetos, assim os que permanecem é porque tem um significado, um grande valor".

Você viu?

Débora ensina os primeiros passos para quem tem interesse em adotar esse estilo de decoração. "Faça uma grande limpeza, uma faxina nos armários, gavetas, nos objetos de decoração, etc. Você pode fazer um cômodo por vez. Comece retirando tudo dos armários e separando tudo em caixas e classifique: manter, doar, jogar fora. Mantenha somente o que você realmente necessita".

A decoradora prossegue: "Nesse momento você deve desapegar, libertar a mente, abra espaço sempre e eliminando os excessos de todos os tipos em prol de uma casa onde 'menos é mais'. Você não precisa se desfazer de tudo o que possui, mas tudo o que você possui precisa ter serventia valorizando o que realmente usa".

Um lar minimalista não é um lar vazio

"Você pode decorar e ter móveis, mas a decoração deve transmitir algo agradável, sem poluições visuais. Nada de acumular móveis, roupas, livros e ter ambientes sobrecarregados e cheios de estímulos visuais. Isso geralmente provoca ansiedade aos moradores e acumula facilmente sujeira no cômodo", diz Débora. 

Virna lembra que é preciso ter objetos funcionais em casa. "Os projetos de interiores precisam ser ricos em mobiliário funcional, de forma a organizar em menor espaço possível todos os objetos necessários para o dia a dia. Por outro lado devemos evitar os excessos, manter apenas o essencial e assim conseguir o equilíbrio. As casas minimalistas precisam ser práticas e funcionais para ajudar o dia a dia intenso da vida moderna", indica.

Menos é mais: minimalismo traz benefícios

Virna acredita que a sensação de organização é um dos maiores benefícios ao ter um ambiente minimalista. "Com uma casa onde tudo está à mão e muito organizado, não se perde tempo procurando coisas e naturalmente isso evita estresse e desgaste", aponta.

Outra vantagem é que limpeza diária se torna mais rápida. Com facilidade você arruma e coloca tudo no lugar. "Com isso você vai ter tempo para curtir a família e fazer o que quer mas nunca conseguia porque está sempre cansada. Você ganha qualidade de vida" diz Débora. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários