Contamos tudo o que você precisa saber sobre a touca difusora
Acervo pessoal
Contamos tudo o que você precisa saber sobre a touca difusora



A finalização e  definição dos cabelos cacheados e crespos pode ser um grande desafio para quem está passando por uma transição capilar ou até para quem se sente perdido na hora de testar novas técnicas. Nos últimos meses, a touca difusora (também conhecida como touca elefante) ganhou popularidade nas redes sociais por praticidade e conferir mais definição aos fios.

A touca difusora nada mais é do que uma touca de cetim. No entanto, seu diferencial está na extensão de tecido que permite que a saída de ar do secador seja acoplada. O ar cria uma espécie de redoma e faz com que a touca infle de ar e esquente, o que promete agilizar o tempo de secagem da raiz às pontas.

A facilidade da touca difusora pode atrair quem não tem muita paciência ou tempo livre e precisa finalizar os cabelos rapidamente. Para quem é multitarefa ou só não quer passar o tempo todo segurando o secador, é possível deixá-lo em uma superfície plana durante a secagem.


Por fim, a touca promete entregar fios muito mais definidos e com menos frizz, já que o cetim não causa atrito nos cabelos, mantendo o formato natural. Há relatos de que os resultados são ainda mais satisfatórios do que os de quem usa difusor. Vale lembrar que apesar de ser um produto muito mais utilizado e indicado por crespas e cacheadas, a touca difusora pode ser usada por todos os tipos de cabelo.

Conhecendo a touca difusora

Conheci a touca difusora nas redes sociais, mais especificamente no Instagram. Vi diversas pessoas que sigo exibindo a touca nos stories e diversos vídeos no Reels, aqueles vídeos curtos da rede social, de pessoas exibindo o antes e depois. Achei curioso e não demorei muito para comprar a minha.

Abri uma caixa de perguntas no meu Instagram para saber a opinião de quem estava usando a touca, o que me ajudou a basear minha opinião para essa reportagem. Descobri que muita gente teve dificuldade de encontrá-la em perfumarias ou farmácias. Tive que comprar a minha pela Internet e paguei R$29,90, além de um frete de R$10.

Lavei o cabelo no mesmo dia que a touca chegou. Lavei como de costume e tirei o excesso com uma camiseta de algodão — uma das  dicas poderosas para evitar o frizz . A touca não pode ser usada com os cabelos muito molhados, mas tentei não deixar tão seco para não “estragar” o teste.

O primeiro teste

Antes de enfiar os cabelos dentro da touca, passei o creme de pentear e o ativador de cachos que uso normalmente. Penteei e amassei os fios. Em seguida, coloquei tudo dentro da toca e encaixei o secador na entrada. Comecei direto no jato quente, fiquei segurando o secador por alguns minutos. É estranho porque, com a touca, não dá para saber o quão seco o cabelo está. Esse "feeling" começa a surgir mais para frente, conforme você vai se habituando com a prática.


Você viu?

Deixei a touca por cerca de 20 minutos sem alterar a temperatura do secador. No fim, obviamente, a touca e o couro cabeludo estavam bem quentes. Chegou a me dar um pouco de dor de cabeça e tontura.

Quando tirei a touca, vi que o cabelo estava quase seco, mas não totalmente seco. Realmente percebi que os cachos estavam bem definidos, mas “deslocados” do lugar onde ficam geralmente devido ao jato de ar. Organizei com a mão e passei um óleo capilar, que ajuda a manter os fios saudáveis. O iG Delas tem uma matéria sobre como usar os óleos capilares e quais são suas principais funções .

O frizz realmente foi embora! Os fiozinhos praticamente não apareceram. Por outro lado, a touca tirou um pouco do volume dos fios. Isso é normal devido à ação do cetim, já que é preciso causar um pouco de atrito para conseguir o volume. É possível fazê-lo voltar usando um pente garfo ou pentes mais finos na raíz (fiz a segunda opção). Também dei algumas mexidinhas com os dedos no couro cabeludo para soltar os fios.

Aprimorando o uso

Depois do primeiro uso, fiquei um pouco frustrada por não ter me sentido tão satisfeita e fui fazer algumas pesquisas para saber como outras pessoas estavam usando a touca. A dica mais valiosa (apesar de parecer um pouco óbvia) foi em relação à temperatura.

Da segunda vez que testei, comecei com uma temperatura morna. Depois de dois minutinhos, deixei no quente. Caso sentisse algum desconforto, como a dor de cabeça que senti antes, colocava por alguns minutos no jato frio ou até parava por alguns segundos. Ao terminar, deixei no jato frio por mais dois minutos para resfriar os fios. Vinte minutos se mostrou um bom tempo para deixar o fio mais seco — apesar de até hoje não ter conseguido secá-lo completamente.

Outra dica que ajudou com a recuperação do volume foi balançar um pouco a cabeça. Não se preocupe, a touca tem um elástico que a deixa bem presa na cabeça. Fui alternando a posição na cabeça para que os fios caíssem de forma diferente dentro da touca e, assim, começar a soltá-los ainda no processo de secagem. Não deu aquele volumão, mas foi alguma coisa.

O lado positivo da experiência toda é realmente o conforto e a possibilidade de fazer outras coisas enquanto se seca o cabelo. Comecei a levar um banquinho para o banheiro para ficar sentada. Deixo o secador ou na pia ou entre as pernas, dependendo do alcance. Com as mãos livres, posso ler um livro, usar o celular ou só ficar plena com a certeza de que não preciso mais segurar meu secador para secar o cabelo.

Melhor que o difusor?

Como disse lá em cima, eu cheguei a abrir uma caixa de perguntas no meu Instagram para saber o que amigas e pessoas que sigo acharam da touca difusora. Recebi muitos relatos que dizem que a touca realmente facilita a vida, mas não é lá grande coisa. Enquanto algumas disseram que o tempo de secagem aumentou, outras afirmaram que ainda preferem o resultado obtido com o difusor, mesmo sendo mesmo prático que a touca. 

A touca difusora é muito bacana para salvar tempo e pela praticidade, mas concordo que tendo a ficar muito mais satisfeita quando uso o difusor. Isso porque o difusor consegue me dar volume ao mesmo tempo que define meus fios. O lado ruim seria o pouco de frizz que é comum aparecer, mas não é nada alarmante comparado ao resultado de secar o cabelo sem esses dois jeitos de finalizar.

Em outro teste, tentei fazer o uso da touca difusora para fazer a secagem mais pesada e, depois, entrei com o difusor. O resultado não foi tão diferente do que seria se eu apenas tivesse usado o difusor, então não acho que vale a pena o trabalho.

O veredito


Não, eu não senti todo o hype da touca difusora que senti nas redes sociais. No entanto, isso não me fez achar a touca um produto ruim, tampouco que vou descartar seu uso no dia a dia. Ela será muito bem usada por mim nos dias em que estiver indisposta (lê-se com preguiça de finalizar o cabelo), no frio ou quando precisar de mais praticidade.

As dores de cabeça não me deixaram ainda e é comum que eu me sinta meio tonta ao fazer a secagem com a touca. Não me pressiono e vou até onde consigo ir. De qualquer forma, nunca fui de secar o cabelo completamente com secador porque gosto de deixá-lo terminar de secar naturalmente.

Mesmo que eu não tenha gostado do resultado, o fator definição é um grande ponto positivo. Chega a ser bem impressionante como uma touca consegue fazer com que os cachos fiquem todos ajeitadinhos no lugar. A touca difusora vale a pena e deve agradar muitas que, como eu, gostam de fazer as coisas de forma mais prática e menos trabalhosa possível. Se pudesse dar um conselho seria para não ir com tanta sede ao pote.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários