Tamanho do texto

A mulher afirma que, poucas horas depois de ir na pedicure, erupções começaram a aparecer em seu pé esquerdo; ela cobrou os gastos do salão

Chelsea Lloyd, do Tennessee, nos Estados Unidos, afirma que uma simples ida a uma pedicure a deixou com uma infecção bacteriana grave no pé esquerdo. Segundo informações do metro.co.uk , a mulher diz que, quatro horas após pintar as unhas dos pés com esmalte, erupções começaram a aparecer em sua pele. 

Leia também: Mulher perde unhas dos pés após frequentar pedicure de peixes

bolhas no pé arrow-options
Reprodução/Facebook
Mulher, que vive nos Estados Unidos, afirma que pedicure a deixou com bolhas enormes e dolorosas no pé esquerdo

Dois dias depois, as erupções se transformaram em bolhas enormes e, segundo Chelsea, dolorosas. Após procurar ajuda, o médico disse que ela havia contraído infecção por estafilococos (causada por bactérias) e precisaria seguir um tratamento específico, incluindo antibióticos, cremes e injeções, que lhe custou US$ 500 (aproximadamente R$ 2 mil). 

Diante de toda a situação, a mulher foi ao salão que fez o procedimento e mostrou as bolhas no pé. A proprietária do estabelecimento lhe ofereceu um cheque para cobrir o custo de pedicure e algumas das despesas médicas, o que totalizou quase R$ 1,3 mil. No entanto, Chelsea precisou desembolsar mais R$ 830 por antibióticos após uma reação alérgica. 

Leia também: Após erro de manicure, dedo de mulher incha, fica preto e quase é amputado

Em entrevista ao canal de TV WZTV , Susan Nguyen, gerente do salão, disse que se ofereceu para pagar a segunda conta médica se a cliente concordasse em assinar um documento confirmando que essa seria a última vez que ela lhe pediria dinheiro pelas despesas médicas, mas Chelsea recusou. 

Leia também: Aqui está o motivo pelo qual você está com unhas amareladas

Susan também afirmou que, apesar do pagamento da primeira conta médica, a mulher em questão não contraiu a infecção bacteriana em seu salão. As bolhas saíram e Chelsea, por sua vez, tinha planos para processar o estabelecimento, mas desistiu depois de analisar e ver que não poderia arcar com os custos de um advogado.