Tamanho do texto

Sabe aquela parte do corpo que você sabe que sempre vai surgir uma espinha? Conheça as razões para isso acontecer e aprenda a previnir

Women's Health

Você pode prever quando a acne vai aparecer com a mesma precisão da data da sua próxima menstruação? Se a resposta for sim, provavelmente há uma razão para você ficar sempre com uma espinha no mesmo lugar.

Leia também: Saiba a verdade por trás de 5 mitos sobre acne na mulher adulta

Mulher se olhando no espelho e apertando uma espinha
shutterstock
Especialista explica que ter espinha sempre no mesmo lugar pode ser sinal de um cisto

“Felizmente, existem algumas atitudes que podem te ajudar a acabar com esse ciclo vicioso”, diz Joshua Zeichner, médico e diretor de pesquisa clínica e cosmética em dermatologia do Mount Sinai Hospital (EUA). Aqui está o que você precisa saber sobre aquela espinha difícil de combater – e como bani-las para sempre.

1. Ela pode realmente ser um cisto

“Espinhas que incham e nunca ficam externas são notórias por aparecerem no mesmo local”, diz Zeichner. Elas se desenvolvem quando seu poro, que tem a forma de um tubo longo, se ramifica e faz com que o óleo faça um desvio de seu caminho para a superfície da pele .

“Quando isso acontece, o óleo forma uma forma de “balão” sob a pele e infla e desinfla dependendo de quanto óleo você está produzindo”, acrescenta Zeichner. “Se você tem grandes cistos, que podem deixar cicatrizes, seu médico pode prescrever uma pílula anticoncepcional, espironolactona ou antibióticos”, diz Estee Williams, dermatologista em Nova York (EUA).

Para o cisto ocasional, Williams recomenda um tratamento tópico. “Os limpadores podem fazer muito”, diz. “A acne geralmente requer produtos para deixar a pele”. Procure produtos especiais que contenham ácido glicólico, salicílico ou peróxido de benzoíla.

Leia também: Espremi, e agora? 4 dicas para evitar manchas de espinhas na pele

2. Você não está tirando a espinha do jeito certo

“Se você alguma vez apertou uma espinha até que ela estourou, é possível que todo o pus não tenha sido removido. Isso significa que a espinha pode ficar inflamada novamente”, diz Zeichner. A irritação ou bactérias expostas também podem causar outra espinha no mesmo lugar. “Pode parecer que é a mesma espinha, mas não é”, completa.

É mais fácil falar do que fazer, mas a melhor coisa para tratar uma espinha externa é: nada. Espremê-la pode levar a cicatrizes, a menos que você deixe para um profissional. Mas se você não resistir, Zeichner recomenda o uso de um tratamento com ácido salicílico para remover o excesso de óleo e evitar que o seu poro fique novamente bloqueado.

3. Seus hábitos sujos podem ser culpados

Tem o hábito de tocar seu rosto quando está estressada? E nunca desinfetar seu celular? Essas espinhas são chamadas de acne mecânica, ou seja, a acne causada pelo calor, atrito e pressão contra a pele.

“Além de manter as mãos longe do seu rosto, tente limpar seu telefone semanalmente ou entre longas sessões de bate-papo”, diz Deanne Mraz Robinson, professor clínico assistente de dermatologia do Yale New Haven Hospital (EUA).

4. Acne de menstruação é real

Se você acredita que as espinhas surgem de acordo com seu período, você está certa. “É devido à ativação androgênica das glândulas sebáceas”, diz Robinson. “Ocorre na mesma área em nossa face em que os andrógenos ativam nossas glândulas sebáceas.” O que significa que suas bochechas, queixo e pescoço estão bem na linha de fogo.

Leia também: “Pior fase”, diz Ana Hickmann sobre seus erros antes do tratamento para acne

Você pode lidar com as drásticas mudanças hormonais de dentro para fora. “Muitas vezes usamos espironolactona, um bloqueador de andrógenos, com ou sem controle de natalidade para ajudar a aliviar a acne hormonal”, diz Robinson.