Tamanho do texto

É muito comum ter manchas na pele, e especialista afirma que quem as tem não pode deixar de consultar um dermatologista

Quem nunca teve uma mancha na pele? De todas as cores e formatos, as manchas são universais e podem surgir em qualquer parte do corpo. Até as simples sardas no rosto são consideradas manchas e é importante sempre verificar a origem de cada uma delas.

Sarda é um dos tipos mais comuns de manchas na pele
Getty Images
Sarda é um dos tipos mais comuns de manchas na pele

Mas você já parou como aparecem as manchas na pele ? A dermatologista Michele Haikal explica: os pigmentos que dão cor à pele são os melanossomos e eles ficam dentro de células chamadas melanócitos, que estão localizadas na união entre as camadas da pele denominadas de pele e epiderme. 

“Os melanócitos são células de defesa que têm ‘braços’. Eles lançam estes braços à superfície da pele quando se sentem agredidos”, fala Michele. Isso resulta nas manchas. 

Esta agressão à pele pode vir por raios de sol , radiação e até mesmo o calor. As células de defesa estão protegendo o corpo do câncer de pele – que pode ser causado pelos mesmos motivos da mancha.

Além da exposição solar, principal causa das manchas, o fator hormonal também é bastante determinante no surgimento delas. A dermatologista ainda afirma que machucados, queimaduras e cicatrizes, até aquelas causadas pela acne, provocam marcas na pele. Os melanócitos acabam denificados e por isso se hiperpigmentam, causando a hiperpigmentação pós-inflamatória.

Manchas mais comuns

Além dessa hiperpigmentação em machucados, as sardas são um dos tipos mais comuns de sinais do rosto. Apesar de também serem influenciadas pela exposição ao sol, as efélides – nome científico para a sarda – têm muita ligação com a predisposição de casa pessoa. “Elas saem facilmente pois estão nas camadas mais externas da pele, mas voltam também com muita facilidade”, explica a dermatologista.

O melasma também é um tipo muito comum de marca da pele . Esse problema é mais comum em mulheres e um dos fatores agravantes são os hormônios. 

Com o avanço da idade, surgem as manchas senis, como comenta Michele: “Elas vêm devido a todo aquele sol tomado durante a vida, e são aquelas que aparecem nas mãos e rosto dos idosos”, além dos braços, colo e ombros.

Tratamento

Cada tipo de mancha tem uma maneira diferente de ser tratada. O primeiro passo é visitar um dermatologista. Ele irá analisar o que causou a mancha e como ela deve ser tratada. De acordo com Michele, os tratamentos divergem em cada tipo de mancha e dentro de cada caso ainda existem subdivisões que também podem alterar a forma de tratá-las.

O melasma, como fala Michele, é tratado de acordo com a profundidade e também é associado a um ajuste hormonal. Já as efélides, ou sardas, geralmente são mais superficiais e, portanto, o melhor procedimento costuma ser o laser de gás carbônico, também ajustado para a forma que atinja apenas a superfície da pele. 

Entre os tratamentos mais comuns estão peelings químicos, luz intensa pulsada, laser  de gás carbônico e até injeções locais com substâncias que tratam a mancha, informa a especialista. Também é possível fazer tratamento em casa, com ácidos e cremes  específicos. 

"Por que decidi parar de esconder minha mancha de nascença no rosto"

Até um mesmo aparelho pode servir para tratar de formas diferentes, lesões diferentes, mas existe uma recomendação que deve ser a mesma, como explica a dermatologista: "Todos os tratamentos devem ser associados a uso de ácido prescrito e protetor solar tópico de dia no mínimo de três em três horas e também o uso de protetor solar oral."

Como prevenir 

Algumas manchas na pele podem aparecerer por fatores hereditários ou hormonais, mas outras podem ser evitadas . Para isso, especialistas indicam a combinação protetor solar e hidratação. 

Previna e combata as manchas e rugas que aparecem nas mãos com a idade