Seja na troca de experiência com amigas ou até na pornografia, às vezes aprendemos e levamos adiante algumas ideias sobre sexo que nem sempre são verdade. Muitas vezes, sem nem saber, conceitos distorcidos refletem na relação sexual e atrapalham na hora do prazer. Que tal repensar o que você sabe sobre o tema e deixar o que não é verdade em 2019?

Leia também: 5 posições sexuais diferentes para testar em 2020

casal de beijando na cama
shutterstock
Costumamos levar adiante algumas ideias sobre sexo que nem sempre são verdade; que tal deixá-las em 2019?

Listamos abaixo as maiores besteiras sobre sexo que você deve deixar bem longe das relações no próximo ano. Confira:

1. As mulheres só atingem o orgasmo com penetração

Muito pelo contrário! Na verdade, dados da Sociedade de Obstetras e Ginecologistas do Canadá apontam que apenas 30% das mulheres têm orgasmos regularmente com a penetração. O restante precisa receber estímulo no clitóris – órgão com mais de 8 mil terminações nervosas que existe apenas para o prazer feminino – para sentir prazer.

Se você se identifica com essa estatística, pode ficar tranquila! Deixe a pressão de sentir prazer com a penetração em 2019 e descubra outros estímulos que te ajudam a chegar ao orgasmo .

2. Sentir dor durante o sexo é normal

O sexo deve ser um momento prazeroso para todos os envolvidos. Se alguém sentir dor, é porque algo não está certo. Ainda assim, muitas mulheres se queixam do incômodo na hora da relação. Diversos fatores podem explicar isso. A falta de lubrificação, por exemplo, é um deles. Se você sentir que está “seca”, aposte em um lubrificante para ajudar. Veja aqui como usar

Dispareunia e o vaginismo também podem ser a causa da dor. Na primeira condição, a mulher sente dores durante e até depois do sexo. Já na segunda, a penetração simplesmente não é possível, já que os músculos da vagina se contraem e impedem a entrada de qualquer coisa, o que deixa o processo doloroso.

Além disso, em entrevista prévia ao Delas, a educadora sexual e fisioterapeuta íntima Débora Padua explica que infecções ou DSTs podem causar o desconforto. Ela ainda ressalta que na maioria das situações, as causas são psicológicas. Medos, quadros de depressão e ansiedade podem afetar a relação que a mulher tem com a sexualidade, fazendo com que ela “trave”. Por isso, é fundamental buscar um ginecologista quando sentir dores e confortos durante o sexo.

Leia também: Sinto dor na penetração, por que isso acontece? Delas responde

3. Se eu não senti prazer, a culpa é dele (a)

É mais fácil chegar ao orgasmo se a outra pessoa for habilidosa, mas não é só isso. Um estudo publicado na revista Sexologies aponta que mulheres que têm pensamentos eróticos e focam nas sensações corporais durante o sexo tem mais chance de atingir um orgasmo. Ou seja, se concentrar no momento pode ajudar muito a chegar ao clímax.

Além disso, é interessante guiar o outro e indicar onde você gosta de ser estimulada. Como vão saber o que você gosta se não indicar? Lembre-se também que questões psicológicas podem atrapalhar na hora do sexo – como medos, ansiedade e depressão. A dica para 2020 é conhecer o próprio corpo (masturbação pode ajudar!) e buscar ajuda profissional se tiver dificuldade em sentir prazer. 

Também é importante ressaltar que o mesmo vale para o contrário. A outra pessoa não está conseguindo sentir prazer? A culpa não é sua! O segredo é sempre conversar e juntos encontrar uma forma de deixar o sexo mais confortável e gostoso para os dois.

4. Sexo anal não engravida, então não preciso de camisinha

Engana-se quem pensa que sexo anal não exige proteção só pelo fato de que o ânus não tem ligação com o útero. Considerando que durante a prática pode haver pequenas fissuras na região e que os fluidos podem carregar doenças, a camisinha nunca deve ser deixada de lado durante o ato. Afinal, esse é o único método que protege contra IST’s.

Vale lembrar que se o casal decidir mudar do sexo vaginal para o anal, por exemplo, a camisinha também deve ser trocada. A troca de orifícios exige a substituição do preservativo para que possíveis bactérias presentes em uma região não sejam transferidas para outra.

Leia também: Confira 8 mitos sobre o sexo anal esclarecidos

5. Se masturbar é errado

Corpo, prazer e masturbação feminina ainda são tabu. A prova disso é que existem muitas mulheres que evitam tocar o próprio corpo por medo, vergonha e até por achar que isso é errado. A verdade é que a prática é tão natural quanto o sexo. Inclusive, há quem chame o ato de "sexo solo". 

O que acha de aproveitar o início do ano para se conhecer melhor? Além de ser algo prazeroso, se tocar ajuda a entender os pontos de prazer do corpo, o que ajuda na hora da relação sexual. Veja aqui como começar a se masturbar .

6. O orgasmo é fundamental para o sexo ser bom

Algumas mulheres acreditam que o sexo só pode ser considerado bom se atingirem o orgasmo. Sim, ele deixa tudo mais prazeroso, mas, não, ele não é fundamental. É possível curtir a relação sexual sem chegar ao clímax.

Estudos apontam que, na verdade, a maioria das mulheres não tem um orgasmo todas as vezes que fazem sexo , o que não as impede de apreciar o momento. Em 2020, não fique tão focada no orgasmo. Concentre-se nas sensações, pensamentos prazerosos e curta o momento!

    Veja Também

      Mostrar mais