Tamanho do texto

Especialistas em sexo dão dicas de como procurar os produtos e também falam por que você deve ir a um sex shop pelo menos uma vez na vida

Você já foi a um sex shop ? Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico (ABEME), a estimativa é que 70% da  clientela dos sex shops sejam mulheres. Mesmo assim, o lugar continua sendo um misto de curiosidade e vergonha entre elas e, também, para os homens, principalmente pela falta de familiaridade com os produtos eróticos. 

Segundo dados, as mulheres são maioria dos clientes quando o assunto é procurar por produtos eróticos nos sex shops
shutterstock
Segundo dados, as mulheres são maioria dos clientes quando o assunto é procurar por produtos eróticos nos sex shops


Na opinião de Débora Pádua, fisioterapeuta pélvica, sexóloga e educadora sexual, muitas mulheres ficam envergonhadas de sair em busca dos produtos eróticos em sex shops ou boutiques eróticas, como essas lojas também são chamadas. "Elas pensam que vão encontrar conhecidos por lá ou que alguém vai ficar sabendo", diz. 

Por outro lado, a profissional também acredita existir certo preconceito, que transforma o sex shop em um tabu. "Muitos homens pensam que se as mulheres precisam usar esses itens para ter prazer, é como se eles não estivessem 'dando conta', como se fosse necessário usar alguma coisa para sentir prazer. Na realidade, não é nada disso, os brinquedos sexuais podem ajudar muito nisso, mas não são uma necessidade."

A psicóloga, terapeuta sexual e doutora em Ciências pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Margareth dos Reis, concorda que há um "mito" acerca do tema e é exatamente isso que faz com que as pessoas queiram agir com tanta discrição.

“Os sex shops envolvem sexo e prazer e, por isso, é como se isso inibisse as pessoas de alguma forma. Se, de um lado, elas querem acrescentar um pouco mais de entusiasmo na relação a dois, por outro lado, elas têm muita vergonha”, comenta.

Porém, apesar do constrangimento, a especialista afirma que a curiosidade é outro sentimento que move muita gente para ir atrás de uma boutique erótica. "As pessoas são movidas pelo interesse e como essas lojas trabalham com esses 'brinquedos de gente grande', isso acaba criando essa vontade de conhecer e saber sobre os produtos que existem lá."

Conhecer produtos eróticos no sex shop pode fazer toda a diferença

Antes de ir em busca dos produtos eróticos nas lojas, é importante lembrar que você pode fazer pesquisas pela internet
shutterstock
Antes de ir em busca dos produtos eróticos nas lojas, é importante lembrar que você pode fazer pesquisas pela internet


As duas profissionais concordam que, apesar de tudo, é importante que as mulheres  visitem um sex shop pelo menos uma vez na vida, mesmo que não vá comprar nada.  " Esse é um segmento que está disponível para qualquer pessoa maior de 18 anos e conhecer lugares assim ajuda a eliminar esses preconceitos", diz Margareth. 

Ela afirma que a visita vai depender do gosto de cada pessoa, mas ter conhecimento ou acesso à uma boutique erótica ajuda a "quebrar" com a idealização que muita gente ainda tem dos estabelecimentos que trabalham com conteúdo erótico. "Principalmente no passado, o sexo já foi considerado algo sujo e existe uma ideia de que o sex shop também é assim. As pessoas pensam em um local feio e que não é bem cuidado, mas essa ideia não é real", completa Débora.

Assim, para aqueles que nunca foram, ela recomenda escolher um bom sex shop ou boutique erótica. "Hoje em dia, a internet ajuda bastante nisso para criar essa boa impressão", lembra. E ela tem razão: é possível encontrar sites das lojas e, em alguns casos, existem até mesmo visitas virtuais para que a pessoa não precise se deslocar até lá, mas claro que nada pode substituir a experiência de ir pessoalmente. 

"É importante que a pessoa vá ao sex shop do mesmo jeito que ela vai à uma loja de roupa procurar por um produto. É realmente uma experiência, mas as pessoas criam esse imaginário de que só vão ver próteses e vibradores em formato de pênis ou que vai ser algo muito 'fora da realidade'. Por isso é importante escolher bem porque pode ser completamente diferente do que ela imaginou", afirma. 

Como começar a investir nos produtos eróticos dos sex shops?

Converse com o seu parceiro ou parceira antes de introduzir produtos eróticos no relacionamento mais íntimo de vocês
shutterstock
Converse com o seu parceiro ou parceira antes de introduzir produtos eróticos no relacionamento mais íntimo de vocês

Segundo Margareth, a primeira coisa que você tem que pensar se nunca foi à um sex shop ou boutique erótica antes é que você tem toda a liberdade de conhecer mais a respeito desse segmento, então deixe a vergonha de lado e aposte na curiosidade. "É importante que a pessoa tenha disposição para conhecer, em vez de criar essas expectativas fantasiosas."

Outra questão é avaliar para quem você vai escolher determinados itens eróticos. "Se a pessoa for comprar algo para usar sozinha, é importante considerar se ela vai mesmo utilizar o produto. Quando é para o casal, ela deve pensar se há abertura da relação para introduzir esses brinquedos."

A especialista explica que alguns brinquedinhos, mesmo que simples, podem causar um impacto na relação à dois. Então, se sua vontade é apimentar a relação com esses itens, converse com seu parceiro ou parceira. "É sempre legal imaginar como um produto vai ser recebido pela outra pessoa, considerando sempre o que pode ser mais divertido, instigante e gostoso para os dois." 

Já na loja, você pode olhar os produtos eróticos ou ir além e tocá-los, principalmente porque com o avanço da tecnologia as texturas realmente melhoraram muito. "É legal passar pela experiência sentindo as coisas e ir reparando como você reage ao estar em contato com esses brinquedos", recomenda. 

Débora afirma que outra questão que deve estar na mente de qualquer um que vá à um sex shop é que lá não vende apenas produtos em formato de pênis. "Quando o assunto são essas lojas de conteúdo adulto, as pessoas sempre têm pensamentos muito exagerados e imaginam que só existem vibradores em todos os lugares, mas existem alguns que você não percebe nem que é um vibrador, porque não tem um formato de pênis."

Segundo ela, na lista de produtos eróticos mais vendidos nos sex shop estão o que eles chamam de "cosméticos eróticos", ou seja, aqueles tipos de gel que podem ter cheiros diferentes e até permite sensações, como de frio ou calor, na região em que é aplicada. 

"Quando os assuntos são os vibradores, eu acho que existem algumas coisas bem interessante que vão além do formato de pênis, que é mais conhecido", diz. A recomendação para as mulheres são os vibradores específicos para o clitóris, chamadas cápsulas vibratórias. "Acredito que é algo que toda mulher deveria testar, mesmo que seja para dizer que não gostou."

Já para os homens, uma dica são os masturbadores, geralmente feitos com uma capa de silicone com texturas e que simula a entrada do canal vaginal. Lembrando que esses itens podem ser utilizados tanto quando a pessoa está sozinha, quando acompanhada. 

"Outra sugestão é o  anel peniano  . O item é colocado na base pênis, o que ajuda o homem a manter a ereção por mais tempo, e alguns tem uma cápsula vibratória para estimular o clitóris e a região íntima da mulher durante a penetração." 

Indo em busca dos produtos eróticos sozinha ou acompanhada

A experiência de procurar produtos eróticos sozinha ou acompanhada é diferente, mas é importante não ter vergonha
shutterstock
A experiência de procurar produtos eróticos sozinha ou acompanhada é diferente, mas é importante não ter vergonha

Da mesma forma que é importante conversar com o parceiro ou parceira antes de ir comprar produtos eróticos no sex shop, é legal perguntar se ele ou ela quer ir com você. "Isso vai depender da relação e se a outra pessoa topa viver um pouco dessa brincadeira", diz Margareth. "Um passeio em um ambiente que tem 'brinquedos de gente grande' pode ser uma atividade lúdica para o casal e o primeiro passo para introduzir esses itens no sexo." 

Débora complementa que ir com o parceiro pode ser uma experiência diferente. "Os dois podem se divertir, descobrir coisas para experimentarem juntos e acho que é algo que é muito válido de fazer, porque cria um outro nível de intimidade." 

Outra possibilidade é ir ao sex shop com as amigas ou sozinha. "São perspectivas diferentes porque eu acho que se a mulher que nunca foi à um lugar assim optar por ir sozinha, ela pode ficar muito tímida. Já quando ela vai com as amigas a experiência pode se tornar uma brincadeira, algo divertido", diz. 

Para quebrar com essa vergonha, é importante lembrar que sempre existe um funcionário para te ajudar. "O vendedor está ali para responder perguntas e é preparado para isso. Fazer as perguntas é legal para que ela não saia cheia de dúvidas da loja", diz Margareth. Segundo Débora, as perguntas mais importantes de serem feitas são sobre como usar cada item, como higienizá-los e, tambem, se é necessário usar preservativo. 

"O sex shop é uma possibilidade de ter prazer, tanto individualmente quanto se você está em um relacionamento. Como toda novidade, isso pode começar de um jeito um pouco 'atrapalhado', digamos assim, mas a partir do momento que você fica mais à vontade com o assunto, isso pode ser um bom estímulo para o prazer", lembra a educadora sexual. 

"As pessoas tem que pensar nos brinquedos eróticos e nos sex shops com um pouco mais de naturalidade, pensando que todo mundo faz sexo e pode gostar de usar esses itens. Se alguém que você conhece te encontrar dentro da loja, ela vai estar procurando a mesma coisa que você. Não é preciso ter vergonha", finaliza. 

Leia também: O que é transar? Para educadora sexual, o assunto deve ser debatido com jovens

Tem dúvidas sobre sexo, sexualidade, posições sexuais ou está buscando dicas para usar os  produtos eróticos  com seu parceiro ou parceira? Entre em contato conosco pelo email  sexo@igcorp.com.br e nós traremos um especialista para respondê-la com sigilo total!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.