Tamanho do texto

Pode parecer assustador, porém a maioria das pessoas já incorpora práticas BDSM na cama mesmo sem saber; que tal experimentar um pouco mais?

Muitas mulheres têm medos ou ficam receosas ao ouvir a sigla BDSM. Para elas, o termo está associado àquela imagem de tortura, sofrimento e desconforto na cama, mas não é bem assim. As práticas BDSM são muito seguras e podem ser extremamente prazerosas. Por que não deixar o preconceito e a vergonha de lado e, quem sabe, explorar esse lado do sexo? Afinal, quem não tem suas fantasias e fetiches ?

Muitas pessoas já incorporam práticas BDSM na cama sem nem saber, como tapinhas, puxões de cabelo, entre outros
shutterstock
Muitas pessoas já incorporam práticas BDSM na cama sem nem saber, como tapinhas, puxões de cabelo, entre outros


As práticas BDSM - Bondage e Disciplina; Dominação e Submissão; Sadismo e Madoquismo - não são só aquelas estilo “50 tons de cinza” e você até já pode estar fazendo algumas delas com seu parceiro sem nem saber. Se vocês curtem tapinhas no bumbum e puxões de cabelo, por exemplo, já têm um pézinho no BDSM.

Mas, é claro, a prática pode ir muito além de tapinhas, puxões e algemas, envolvendo até fantasias e acessórios mais “agressivos”, como mordaças e chicotes. Para chegar nesse ponto e explorar essas possibilidades, basta o casal estar à vontade para se abrir, falando de desejos e dúvidas sem julgamentos. Vale de tudo, desde que, na hora dos finalmentes, tudo ocorra com consentimento, respeito e proteção.

A segurança também é importante. Ter palavras de segurança é essencial para que o casal saiba até onde pode ir. Afinal, a linha entre a dor e o prazer é muito tênue, e ninguém quer que a experiência se transforme em algo dolorido e desconfortável. Por isso, combine a palavra de segurança com seu parceiro antes de iniciar qualquer ato e não tenha medo de usá-la se sentir que chegou ao seu limite.

Posições que favorecem práticas BDSM

Veja posições que favorecem bondage e disciplina, dominação e submissão e sadomasoquismo, das práticas BDSM
shutterstock
Veja posições que favorecem bondage e disciplina, dominação e submissão e sadomasoquismo, das práticas BDSM


Lembrando que todas as siglas se relacionam entre si, confira nove  posições sexuais para começar a explorar os diferentes aspectos das práticas BDSM.

» Posições para Bondage e Disciplina:

O bondage é a restrição física dos movimentos de um dos dois durante o sexo, feita para demonstrar poder sobre o outro, inclusive disciplinando-o. Neste caso, quem está no comando, além de restringir o parceiro ou parceira fisicamente, também usará palavras de controle e “adestramento” com o parceiro.

1. Beijo do súdito e Oral clássico

Práticas BDSM: as posições de sexo oral podem ser boas maneiras de incluir bondage e disciplina no sexo
Renato Munhoz/Arte iG
Práticas BDSM: as posições de sexo oral podem ser boas maneiras de incluir bondage e disciplina no sexo


As posições de sexo oral são ideais para começar a praticar bondage e disciplina. No caso do Beijo do súdito, em que o homem se deita e a mulher se coloca por cima da cabeça dele, de joelhos, para a realização do oral, a mulher pode algemar as mãos do parceiro e, com o uso de uma gargantilha ou mesmo só com as mãos, enforcá-lo levemente durante o ato.

No Oral clássico, em que o homem fica de pé enquanto a mulher se ajoelha para realizar o oral nele, ela também pode ficar com as mãos algemadas por trás das costas - existem algemas que já acompanham gargantilha. O homem também pode puxar o cabelo da parceira e, se ambos gostarem de “gag”, ou seja, de engasgar o outro, o homem pode até inserir o pênis com mais força na boca da companheira para provocar esse efeito - com cuidado. Prendedores de mamilo também podem ser usados.

Durante o ato, quem estiver recebendo o oral pode usar palavras de comando, mandando no outro, para incorporar a parte de “disciplina”.

2. Mocinha e bandido

Práticas BDSM: a mulher é a submissa e o parceiro, o dominador, na pose Mocinha e bandido
Renato Munhoz (Arte iG)
Práticas BDSM: a mulher é a submissa e o parceiro, o dominador, na pose Mocinha e bandido


Nesta posição, a mulher se deita para que o homem se coloque por cima dela. Ele permanece de joelhos e ela usa as pernas para se enroscar no quadril dele, elevando o próprio quadril, para permitir a penetração. Enquanto isso, ele prende os braços da parceira à cama, limitando seu movimento.

Para quem está apenas começando a experimentar, só isso pode ser suficiente para dar início ao contato com as práticas BDSM. O homem pode usar seu peso para segurar o corpo da parceira na cama, realmente impedindo que ela se mova, sem o uso de qualquer acessório, e falando safadezas, implementando a parte da “disciplina” no ato.

3. A dominadora

Práticas BDSM:  use acessórios de bondage ao executar a posição A dominadora
Renato Munhoz (Arte iG)
Práticas BDSM: use acessórios de bondage ao executar a posição A dominadora


Agora quem manda é ela! O homem se deita de barriga para cima e a mulher senta no colo dele, permitindo a penetração, mantendo os joelhos dobrados e os pés apoiados na cama, ao lado do tronco dele.

A mulher pode experimentar prender os braços do parceiro à cabeceira da cama e vendá-lo, antes de dar início à posição, impedindo que ele saiba o que ela vai fazer. Para ir mais além, mordaças, prendedores de mamilo e coleiras também podem ser incorporados.

» Posições para Dominação e Submissão:

A dominação e a submissão são outro aspecto da troca de poder que acontece durante as práticas BDSM. Nelas, o homem ou a mulher sentem prazer em dominar o outro, enquanto este sente prazer em ser submisso. É possível sentir prazer nos dois e ambos revezarem entre a ´posição de dominador e submisso.

1. Esposa de Indra e Comando de joelhos

Práticas BDSM: a mulher que gosta de ser submissa deve experimentar a Esposa de Indra (esq) e o Comando de joelhos
Renato Munhoz/Arte iG
Práticas BDSM: a mulher que gosta de ser submissa deve experimentar a Esposa de Indra (esq) e o Comando de joelhos


Nestas duas posições, o homem fica de joelhos na cama e a mulher se deita de barriga para cima, na frente dele. Na Esposa de Indra, ele eleva o quadril da parceira para penetrá-la, mantendo o corpo ereto, enquanto ela apoia os pés no peito dele. Já no Comando de joelhos, ele inclina levemente o corpo para frente, também elevando o quadril dela para a penetração, e segura seus pés - unidos.

Em ambos os casos, quem domina é o homem. Além de controlar o ritmo e a profundidade da penetração, ele pode mandar na companheira de forma mais direta e assertiva, com palavras de controle, segurando seu corpo com força, sendo mais intenso durante o ato. Para ser submissa, a mulher deve obedecer o parceiro em tudo nesse momento.

2. Domando o garanhão

Práticas BDSM: a mulher é a dominadora e o homem o submisso na pose Domando o garanhão
Renato Munhoz (Arte iG)
Práticas BDSM: a mulher é a dominadora e o homem o submisso na pose Domando o garanhão


Aqui a relação de dominação/submissão se inverte. A mulher se coloca por cima do homem, que fica deitado de barriga para cima, como se fosse sentar no colo dele, porém inclina o corpo para frente para segurar seu rosto.

Além de controlar a movimentação, a mulher pode optar por usar acessórios para reforçar sua posição de dominadora - como algemas, coleiras e mordaças, que limitam a movimentação física do homem, deixando-o totalmente submisso naquela situação.

» Posições para Sadismo e Masoquismo:

Para muitas pessoas, o sadomasoquismo é a parte mais intensa das práticas BDSM e, por isso, temem explorar esse lado. Nele, um dos dois do casal tem prazer em sentir dor e o outro em causá-la. Pode parecer extremo, mas, o que a maioria não sabe, é que provavelmente já experimentou alguma prática sadomasoquista, por exemplo ao dar tapinhas no bumbum, puxar os cabelos, morder, arranhões e assim vai.

Mas, claro, o ato também pode ficar mais intenso e acessórios como chicotes e palmatórias podem ser utilizados.

1. Dominação de quatro

Práticas BDSM: experimente incorporar atos de sadomasoquismo com a pose Dominação de quatro
Renato Munhoz (Arte iG)
Práticas BDSM: experimente incorporar atos de sadomasoquismo com a pose Dominação de quatro


A Dominação de quatro é uma das poses mais fáceis para começar a experimentar com o sadomasoquismo, principalmente se for o homem que gostar de causar a dor e a mulher de recebê-la (isso também envolve a questão da dominação e submissão, ele deve querer ser o dominador e ela a submissa).

A mulher se coloca de quatro e ele vem por trás, de joelhos, ou fica de pé na beirada da cama, para penetrá-la por trás. Além dos clássicos tapinhas no bumbum e puxões de cabelo, que podem ser mais fortes, ele pode experimentar arranhar as costas da parceira e, quem sabe, experimentar com um chicote, que ele pode aplicar, com mais ou menos força, no bumbum dela. Ela também pode usar pregadores de mamilos para sentir dor numa região diferente.

2. Aos pés da rainha

Práticas BDSM: com os pés, a mulher enforca o parceiro durante a pose Aos pés da rainha
Renato Munhoz (Arte iG)
Práticas BDSM: com os pés, a mulher enforca o parceiro durante a pose Aos pés da rainha


Nesta pose, a mulher é quem provocará dor. Nela, o homem se deita de barriga para cima e dobra os joelhos, com os pés apoiados na cama. Ela se senta em cima do parceiro, virada para ele, se encaixando em seu quadril para ocorrer a penetração. Ela também dobra os joelhos e apoia os pés no peito dele.

Para incorporar o sadomasoquismo, a mulher pode usar os pés para enforcar o companheiro, com cuidado, lembrando sempre da palavra de segurança. Ela também pode dar tapas no rosto dele e arranhá-lo. Neste caso, o uso da palmatória pode ser interessante. O casal pode pensar em algum jogo de castigo e recompensa em que a mulher usa a palmatória para punir o parceiro.

Acessórios para práticas BDSM

Além dos brinquedos eróticos comuns, as práticas BDSM  têm acessórios próprios: algemas, mordaças e chicotes
shutterstock
Além dos brinquedos eróticos comuns, as práticas BDSM têm acessórios próprios: algemas, mordaças e chicotes


Reforçamos que as práticas BDSM não acontecem apenas com o uso de acessórios e brinquedos, e que estes são apenas uma forma de complementar o ato, ajudando na construção da fantasia. Para quem quiser explorar com brinquedos, é importante, antes de tudo, higienizá-los corretamente para o uso : com água e sabão neutro, sem submergi-los na água.

Se quiser se aventurar com os brinquedos, além dos acessórios eróticos clássicos, que também são super bem-vindos durante o ato - vibradores, plugs anais, entre outros -, conheça alguns dos principais itens das práticas BDSM:

  • Gargantilhas e coleiras: gargantilhas que podem ser ajustadas para apertar mais ou menos o pescoço de quem usa. Algumas são pensadas para servirem como coleira;
  • Algemas: entre os acessórios mais conhecidos do universo BDSM, são usadas tanto nos tornozelos quanto nos pulsos para a execução de diversas fantasias;
  • Vendas: as vendas são outro brinquedo conhecido. Máscaras que limitam a visibilidade também são usadas;
  • Fantasias: as fantasias, tipo aquelas de couro de dominatrix, também são bastante conhecidas, mas não são obrigatórias nem são usadas por todos os adeptos das práticas BDSM, sendo só mais uma forma de deixar o fetiche ainda mais interessante;
  • Mordaças gag: as mordaças gag são aquelas que mantém a boca de quem as usa aberta. Elas podem ser vir acompanhadas de coleiras, algemas e até prendedores de mamilo;
  • Prendedores de mamilo: os prendedores de mamilo entram nas práticas de sadomasoquismo, e podem ser usados tanto por homens quanto por mulheres;
  • Chicotes e palmatórias: dos brinquedos mais “agressivos”, estes são usados para realmente provocar dor. É principalmente pensando no uso deles que é importante ter palavras de segurança.

Tem dúvidas sobre práticas BDSM , sexualidade ou posições sexuais? Entre em contato conosco pelo sexo@igcorp.com.br e nós traremos um especialista para respondê-la com sigilo total!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.