Tamanho do texto

O procedimento é uma opção para combater a obesidade leve e chama a atenção por não ser cirúrgico. Influencer fez e aprovou os resultados

Emagrecer rápido é o sonho de muitas mulheres, especialmente daquelas que estão pouca coisa acima do peso ideal. Um procedimento conhecido como gastroplastia endoscópica, que surgiu no Panamá há cerca de oito anos e se difundiu pelo mundo, promete ser eficaz nesses casos.

Leia também: Após "choque de realidade", cozinheira consegue emagrecer 30 kg em 7 meses

alice salazar emagrece 17 kg em 3 meses com a gastroplastia endoscópica arrow-options
Arquivo pessoal
Alice Salazar, maquiadora e influenciadora digital, fez o procedimento e perdeu 17 kg em três meses


A maquiadora e influenciadora digital Alice Salazar se submeteu à gastroplastia endoscópica em abril de 2019 e já eliminou 17 kg desde então. Ela conversou com o Delas e explicou os motivos que a levaram a optar pelo procedimento para emagrecer rápido.

A gaúcha declara que estava difícil seguir qualquer dieta e emagrecer ficou cada vez mais complicado com o passar do tempo devido ao "metabolismo lento". Além disso, ela sofria muito com o efeito sanfona.

"Mesmo se eu emagrecesse, teria a chance de engordar de novo, foi assim das outras vezes. Então pensei que, com a cirurgia, isso pudesse funcionar nos dois pontos: ajudar no emagrecimento e efeito sanfona ", destaca.

O que é gastroplastia endoscópica?

Em entrevista ao Delas , Eduardo Grecco, endoscopista bariátrico do Instituto EndoVitta e responsável por realizar o método em Alice, explica que a gastroplastia endoscópica nada mais é do que uma técnica de redução do volume do estômago por meio da endoscopia, ou seja, não se firma como uma cirurgia.

O cirurgião bariátrico Rodrigo Dallegrave complementa: "O procedimento consiste na redução do estômago a partir da utilização de um dispositivo específico chamado de oversticth . Esse dispositivo é acoplado ao aparelho de endoscopia convencional, permitido ao médico a realização de pontos de sutura por dentro do estômago, sem a necessidade de cirurgia no abdômen".

Confira o vídeo explicativo divulgado no canal de Alice Salazar no YouTube:


Qualquer pessoa pode fazer?

obesidade arrow-options
shutterstock
A gastroplastia é uma alternativa para combater a obesidade leve, mas nem todas as pessoas podem realizar o método


Por não ser um procedimento cirúrgico, a gastroplastia é muito procurada para emagrecer rápido . Contudo, de acordo com Grecco e Dallegrave, não é qualquer pessoa que pode se submeter ao método.

"É indicada para pacientes com sobrepeso e obesidade leve, ou seja, pacientes com Índice de Massa Corporal (IMC) entre 28 até 35, que não tiveram resultados com outros tratamentos prévios, como dietas e medicações", recomenda Dallegrave.

Eduardo Grecco diz que o método é contraindicado para pessoas que já tenham realizado cirurgia bariátrica ou algum tipo de cirurgia gástrica e pacientes que têm quadros clínicos importantes ou alterações imunológicas e hepáticas que devem ser levadas em consideração.

Além disso, há uma restrição etária e recomendações específicas para o procedimento em crianças e adolescentes. "Existe uma idade mínima em torno de 14 anos ou 13 anos, mas que também depende de uma indicação de psicólogos infantil e endocrinologista infantil", conta Grecco.

Idade limite não existe, segundo o endoscopista bariátrico. "Se o paciente cumprir os critérios e estiver com os exames de acordo, ele pode realizar o procedimento", pontua ele.

As etapas do procedimento

Antes de tudo, os pacientes fazem diversos exames e passam pelos cuidados de equipes de tratamento multidisciplinar, como psicóloga, coaching , nutricionista, educador físico, endocrinologista, cardiologista e o apoio médico.

Leia também: É possível emagrecer 96 kg? Carla conseguiu: "Voltei a ter vontade de viver"

Alice relata que precisou abrir mão de muitas coisas antes e depois de ser submetida à gastroplastia. "A dieta é muito restritiva nos cinco primeiros dias, depois nos dois primeiros meses", afirma.

Grecco salienta que, com a diminuição no estômago, é necessário seguir uma nova rotina de alimentação para que o método seja eficaz e o órgão se recupere de modo adequado. "O paciente vai passar por diversas fases de dieta, começando com uma dieta líquida, depois cremosa e depois pastosa. Em quatro meses vai atingir a dieta normal. Nesse período inicial, o paciente tem uma expectativa de 15% de perda de peso", ressalta o especialista. "Por exemplo: um paciente com 100 kg vai perder de 20 a 25 kg", completa.

De modo geral, a gastroplastia ajuda a eliminar, aproximadamente, 20 a 25% do peso total do paciente. A maquiadora foi de 86 kg para 69 kg em três meses e conta que, se a dieta for seguida à risca, os resultados aparecem. "Seguindo tudo certinho, funciona de verdade. Só que é um momento muito difícil [logo após o procedimento], em que a gente precisa abrir mão de comer de tudo", confessa.

A vida depois da redução no estômago

Alice Salazar emagrece 17 kg com a gastroplastia endoscópica arrow-options
Arquivo pessoal
Alice destaca que a fase pós-procedimento é complicada por conta das restrições alimentares


A gastroplastia não é um procedimento cirúrgico, portanto, o paciente recebe alta logo após se recuperar da anestesia e segue com os cuidados em casa. Eduardo Grecco destaca duas preocupações fundamentais na fase de reabilitação.

"Primeiro: a qualidade do alimento. Segundo: a quantidade do alimento. Não adianta fazer uma gastroplastia endoscópica e comer leite condensado, doces. Portanto, é importantíssimo o acompanhamento médico e nutricionista", explica ele.

Rodrigo Dallegrave pontua que, se a pessoa não seguir as orientações corretas, acaba comprometendo a cicatrização das suturas feitas no estômago. Além disso, ele enfatiza que o tempo de recuperação é de três a cinco dias, "estando o paciente apto a retomar suas atividades em até 10 dias".

Os especialistas também frisam que é normal sentir algumas dores e desconfortos após a redução. Alice Salazar diz que passou por isso nos três primeiros dias. "É um sentimento que parece que mexeu no estômago, tira o apetite, mas não tive náuseas, enjoo e nada disso. A única coisa que durou mais ou menos de uma semana a 10 dias foi uma dor bem intensa e intermitente que aparecia e depois parava", declara.

Segundo a gaúcha, o médico receitou analgésicos e agora ela não tem mais nenhum incômodo. "O acompanhamento médico é total, estou com o telefone do médico e nutricionista, eles passam para a gente, então é um atendimento muito pessoal. Qualquer emergência, podemos entrar em contato", salienta Alice.

A gastroplastia é reversível?

Uma das preocupações de quem deseja se submeter a isso é saber se há chances de reverter a sutura e engordar novamente. Os especialistas, entretanto, garantem que ele é completamente irreversível.

"O procedimento produz uma cicatrização e uma fibrose no estômago, sendo de caráter irreversível. No entanto, devido às características do órgão, podem ser necessárias novas suturas para retomar o formato tubular prévio, ou seja, o procedimento pode ser reproduzido por mais vezes caso o paciente volte a ganhar peso", esclarece Rodrigo Dallegrave.

Para Grecco, o mais difícil é manter o peso e se controlar para não entrar na faixa da obesidade. "A gente brinca que o paciente tem alta do procedimento, mas a alta da obesidade não existe. Obesidade é uma doença crônica, incurável e é uma doença de controle", afirma o endoscopista bariátrico.

Gastroplastia endoscópica ou cirurgia bariátrica?

emagrecer rápido arrow-options
shutterstock
A bariátrica e a gastroplastia não são concorrentes. Ambas visam combater a obesidade, porém em graus diferentes


A cirurgia bariátrica não tem relação alguma com a gastroplastia endoscópica. "Na cirurgia existem cortes, se retira a parte do estômago, se muda o intestino de lugar. Na gastroplastia não se mexe no intestino, portanto não é uma ação de procedimento metabólica. A gastroplastia é um procedimento restritivo, só diminui o espaço e, portanto, não existe a necessidade de suplementação vitamínica", relata Grecco.

Outro fator que difere os métodos é o público-alvo. "O paciente de cirurgia bariátrica é o que tem seu IMC alto, ou seja, acima de 35. A gastroplastia endoscópica já é mais voltada para pacientes com sobre peso e obesidade leve", acrescenta o endoscopista bariátrico do Instituto EndoVitta.

O cirurgião Dallegrave, por sua vez, faz questão de ressaltar que os procedimentos não competem entre si. "Os dois são opções de tratamento para a obesidade, tendo cada um a sua indicação e seu público específico", diz.

Leia também: Jovem elimina 26 kg em 9 meses e dá dicas para emagrecer: "Acredite em você"

Vale a pena?

Alice Salazar fala dos resultados da gastroplastia endoscópica: arrow-options
Arquivo pessoal
A influenciadora diz estar feliz com os resultados e se sente melhor após a gastroplastia endoscópica


Alice Salazar conta que sua vida mudou muito após o procedimento e que isso teve impactos positivos em seus hábitos alimentares. "Antes, eu estava muito intoxicada, pois comia hambúrguer, doces, às vezes mais de uma vez por semana, em todas as refeições. Eu era uma pessoa que não se cuidava", declara.

"Meu paladar acabou mudando muito, e gosto muito de salada hoje em dia - bem temperada e gostosa, sou muito fã. Não gostava muito antes e comia apenas por obrigação", reconhece a maquiadora.

Para ela valeu a pena, visto que não conseguia perder peso de outras formas e, por meio do método, conseguiu emagrecer rápido. "Eu estava com muita dificuldade [para emagrecer] e não estou nada arrependida. Estou muito feliz", enfatiza.

Entretanto, Alice frisa que, mesmo com a gastroplastia endoscópica feita, não é fácil combater a obesidade. "Não é mágica. Quem vê de fora pensa que operou e agora é fácil, mas é bem complicado, uma alternativa que eu achei que tinha que ser pra mim, algo mais drástico para eu perder um peso maior e não voltar ao meu antigo peso", completa a influenciadora.