Tamanho do texto

Treinos de força, como musculação e pilates, diminuem a letargia, o desânimo e a perda de interesse pelas atividades do dia a dia, sintomas da depressão

Não é nenhum segredo que os  exercícios físicos fazem maravilhas para a nossa saúde, não apenas física, mas também mental. Agora, um novo estudo está dizendo que exercícios de força e resistência, como a musculação e o pilates, auxiliam na diminuição e alívio aos sintomas da depressão .

A musculação e outros exercícios de força e resistência liberariam endorfinas contribuindo para aliviar a depressão
shutterstock
A musculação e outros exercícios de força e resistência liberariam endorfinas contribuindo para aliviar a depressão


O estudo é, na verdade, uma análise da Universidade de Limerick, na Irlanda, feita em cima de mais de 30 pesquisas diferentes e publicada no periódico especializado “JAMA Psychiatry”. Além de fortalecer o corpo, o levantamento afirma que os treinos de resistência e força muscular, ou seja, a musculação , podem de fato serem aliados no tratamento à depressão.

A análise levou em conta os efeitos do levantamento de peso em mais de duas mil pessoas e descobriu que a atividade diminuía o desânimo e a letargia provocados pelo quadro depressivo, bem como minimizavam a perda de interesse pelas atividades do dia a dia, outro sintoma bastante comum. Os resultados independiam do tipo de exercício realizado pelo participante, seu sexo, idade ou estado de saúde física.

A explicação disso seria a liberação de endorfina , o hormônio da felicidade e do bem-estar, provocada pelas atividades. Além da depressão, os pesquisadores acreditam que treinos de resistência também poderiam auxiliar no tratamento de outras doenças psicológicas crônicas.

Comentando os resultados dos efeitos da musculação

O ideal é fazer musculação pelo menos duas vezes por semana em treinos de até 45 minutos, recomenda pesquisa
shutterstock
O ideal é fazer musculação pelo menos duas vezes por semana em treinos de até 45 minutos, recomenda pesquisa


“O interessante é que os maiores impactos [benéficos, da atividade na saúde mental] foram observadas entre adultos com sintomas leves a moderados de depressão se comparados a adultos sem nenhum tipo de sintoma, sugerindo que os treinos de resistência podem ser particularmente eficiente em depressivos - mais até do que exercícios aeróbicos”, explicou Brett Gordon, um dos autores do levantamento, à revista “Time”.

Brett, contudo, não foi capaz de dizer quais exercícios especificamente têm mais efeito, já que incluíram diversos exercícios diferentes sob o mesmo guarda-chuva de treinos de força e resistência. Houve, entretanto, evidências de que treinos supervisionados de até 45 minutos duas vezes por semana seriam mais eficientes.

Entre as atividades de musculação que podem ser praticadas e que terão tais efeitos benéficos no corpo, além das “tradicionais” com pesos em academia, o pesquisador também citou pilates e yoga .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.