Tamanho do texto

Estudos comprovam que a música de sua preferência libera substâncias no cérebro que dão sensação de prazer e até inibem a dor

O fone de ouvido pode ser um aliado e tanto para você na academia, na corrida no parque ou durante qualquer prática esportiva. Escutar música pode fazer com que o cérebro libere substâncias que contribuem para uma sensação de bem-estar e até fazem com você sinta menos dor durante os exercícios. 

Escutar música pode turbinar o treino
Creative Commons
Escutar música pode turbinar o treino



Música para relaxar: veja lista com sons que ajudam a desestressar

Segundo Roberto Debski, médico, psicólogo e especialista em medicina complementar, a vida é baseada em ritmo e movimentos, assim como a música. "Juntando o ritmo da trilha escolhida ao movimento, as atividades físicas são melhores executadas", afirma. Portanto, escutar música combina perfeitamente com movimento. 

"A música atua na região do cérebro onde estão os sentimentos e toca a emoção das pessoas. Ela estimula o circuito do prazer e recompensa e ajuda a liberar neurotransmissores como endorfina e dopamina", continua o médico. 

Ele ainda explica que a endorfina age como se fosse uma morfina produzida pelo próprio corpo. "Tem um efeito analgésico e de relaxante muscular", fala Roberto. "Já a dopamina é um neurotransmissor que aumenta a sensação de prazer e é produzida quando esse circuito de recompensa é estimulado", detalha o psicólogo, que é diretor da Clínica Ser Integral. 

Música durante e após cirurgia tem efeito analgésico, diz pesquisa

Roberto ainda cita um número animador: "Alguns trabalhos relacionam a diminuição de até 10% da percepção de esforço quando se escuta música". Ou seja, com os estímulos que a música proporciona, o corpo entra em um estado de bem-estar e passa a responder melhor aos exercícios e até a sentir menos dor. É aquele momento que você nem sente o tempo passar e, quando olha para o relógio, lá se foi mais de uma hora na esteira ou na corrida e você nem percebeu. 

Uma trilha para cada um

Para alcançar esses efeitos e turbinar o treino, escolha a música que mais tenha a ver com sua personalidade. Não necessariamente uma atividade intensa deve ser acompanha de uma batida acelerada, como diz Roberto. Se você se sente melhor com uma música clássica, monte sua playlist com esse ritmo. 

"A música pode ser lenta ou rápida. Ela será ritmada e vai atuar no circuito de prazer e recompensa e trazer benefícios e estímulo para a atividade física", arremata o médico. 

Acabe com a ansiedade e melhore a concentração ouvindo as músicas certas

Música nos esportes coletivos

Quando você está na academia, pode usar os fones ao fazer esteira ou musculação, mas terá de se adaptar ao ritmo das músicas nas aulas. Mas até isso pode ser benéfico. Uma trilha mais agitada pode te empolgar a participar de uma modalidade nova e se desafiar, por exemplo. 

E nem só a trilha durante a atividade serve como estímulo. Em casos de jogos e competições, por exemplo, Roberto afirma que o hino nacional pode servir para despertar essa sensação de bem-estar. "Esse momento mexe com a emoção e isso vai se refletir no desempenho", comenta. 

Sugestões de playlist

Uma dica para montar sua playlist é seguir os batimentos cardíacos . Alguns sites e serviços de streaming de música oferecem listas prontas de trilhas que seguem uma determinada frequência. Assim, escutar música até irá ajudar a manter o ritmo durante a atividade. E não se esqueça de escolher uma batida mais calma para finalizar os exercícios. Isso também pode ajudar a voltar à frequência cardíaca de repouso e relaxar. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.