Tamanho do texto

Ex-atleta olímpica e, atualmente, consultora e personal trainer, Rebeca conta como conseguiu definir o corpo mesmo após uma depressão e uma gestação

A relação de uma mulher com o próprio corpo é sempre muito forte, já que há muita pressão em relação ao corpo feminino. Imagina então quando o corpo da pessoa é também seu instrumento de trabalho. Este é o caso de Rebeca Gusmão, que ficou conhecida pelo trabalho como atleta de natação. O corpo super musculoso, importante para o desempenho que precisava nas competições, entretanto, sofreu grandes mudanças nos últimos dez anos.

Leia também: Mãe elimina 25 kg em 6 meses com dieta, exercícios e um recém-nascido

Corpo de Rebeca Gusmão sofreu muitas mudanças ao longo dos últimos dez anos, e, hoje, ela ajuda outras pessoas
Instagram/rebecagusmaooficial/Reprodução
Corpo de Rebeca Gusmão sofreu muitas mudanças ao longo dos últimos dez anos, e, hoje, ela ajuda outras pessoas

Como atleta olímpica, Rebeca Gusmão conquistou importantes marcas no esporte, mas um exame antidoping fez com que tudo mudasse a partir de 2008. A jovem, na época com 22 anos, precisou se afastar do esporte precocemente. Em pouco tempo, sua vida mudou por completo e uma depressão a atingiu. Aquele corpo definido perdeu a forma, e a balança passou a marca dos 100kg. Quem vê Rebeca hoje pode não acreditar que tudo isso possa ter acontecido.

Foi um período difícil, sim, mas que a brasileira conseguiu superar. A Rebeca de 2018 é personal trainer, consultora e palestrante. Com seus quase 1,80m de altura, exibe um corpo definido, mesmo carregando no colo um menininho de cabelos cacheados e apenas um ano e cinco meses, Zeus.

“Nunca fui vaidosa. Não me cuidava para agradar as pessoas, malhava para ser forte, para ganhar massa muscular, explosão e medalhas. Se eu estava parecendo um homem, não me importava. Depois aquilo mudou. Me vi querendo um corpo mais modelado, coloquei silicone, consegui mais curvas para o meu corpo e foi quando comecei a modelar, em 2013”, conta em entrevista ao Delas .

Em 2013, após a depressão e com um corpo visivelmente mais magro e modelado, a ex-atleta olímpica passou a trabalhar como modelo
Instagram/rebecagusmaooficial/Reprodução
Em 2013, após a depressão e com um corpo visivelmente mais magro e modelado, a ex-atleta olímpica passou a trabalhar como modelo

Neste meio tempo, além de mudar sua percepção sobre o próprio corpo, Rebeca também precisou superar a depressão. Foi difícil sair do esporte, ela engordou e se viu completamente fora do padrão do mundo em que estava acostumada a participar, mas com a ajuda de profissionais conseguiu passar pela doença. Sua recuperação também rendeu um livro, em que conta tudo o que viveu após aquele exame que mudou por completo sua vida.

Nova mudança

Como a evolução do corpo foi grande, algumas gordurinhas que não iam embora de jeito nenhum passaram a incomodar Rebeca Gusmão. Ela, então, decidiu fazer uma lipoaspiração para afinar mais as costas. Entretanto, nem conseguiu ver direito o resultado a operação. Apesar de os exames pré-operatórios indicarem negativo para a possibilidade de uma gestação, a personal trainer já estava grávida quando passou pelo procedimento.

Foi só no final de 2015 que ela descobriu que já estava de três meses, e mais uma montanha-russa de sentimentos a atingiu. ”Um novo corpo, uma nova explosão de hormônios e sentimentos. No início, me assustou, principalmente pela mudança. Mudança sempre gera medo. O conhecido só temos duas opções, continuar com ele ou não aceitar, mas o novo sempre gera medo.”

A gravidez veio bem quando Rebeca fechava alguns contratos profissionais após participar do reality show “A Fazenda”, da rede Record. Ela acabou cancelando os projetos, e foi até difícil aceitar que se tornaria mãe. A preocupação com o corpo, que continuava sendo seu instrumento de trabalho, foi inevitável.

A gravidez, inicialmente, assustou muito Rebeca, mas depois ela percebeu que precisava curtir a gestação e o filho
Facebook/Rebeca Gusmão/Reprodução
A gravidez, inicialmente, assustou muito Rebeca, mas depois ela percebeu que precisava curtir a gestação e o filho

Rebeca conta que até o sexto mês foi bastante complicado. Primeiro, ela ficou desesperada com o fato de ter feito uma lipoaspiração enquanto já estava esperando um bebê, mas, felizmente, a operação não interferiu em nada a formação do pequeno Zeus. A personal também ficou preocupada em engordar muito e cada vez que tinha de se pesar nas consultas com a obstetra era um pesadelo. A balança passou dos 90kg, depois dos 95kg até chegar aos 108,7kg, peso que estava no dia da chegada de Zeus. Foram aproximadamente 30kg ganhos, mas sem neura depois de uma mudança de pensamento.

Leia também: Como afinar a cintura? Veja mitos, verdades e dicas de especialista

“A única guerra que a gente não vence é contra os hormônios. Não tem como vencer. Eu fiquei desesperada no começo, mas depois relaxei. Eu quis curtir o momento. Nunca fui de comer besteira, muita fritura ou refrigerante, mas também não quis me privar das coisas que gostava por medo de aumentar o peso.”

Processo de emagrecimento

Depois da chegada de Zeus, o medo de desenvolver uma depressão pós-parto atingiu Rebeca Gusmão. Ela já tinha sofrido com uma depressão, então corria risco de ter problemas após o parto. “Eu chorava muito, do nada e até sem motivo. Não sabia explicar o porquê, mas a médica disse que era normal por conta da variação hormonal.”

Passado o susto, o olhar para o corpo voltou a ser uma preocupação. Para Rebeca, as mulheres criam uma expectativa de que, quando a criança sair, a mãe já vai perder alguns quilos, mas não é bem assim. Ela afirma que após o parto não perdeu nada de peso, e aconselha outras mães a ter paciência  e dedicar atenção total à criança neste momento.

“Eu tento passar para as mães que tudo acontece em seu tempo. Digo para as mães para quem dou consultoria: eu prometo que você vai voltar a ter o seu corpo, aproveita este momento porque ele é único e passa.”

Filho de Rebeca também ajudou a personal a ver a vida de outra forma, e, hoje, ela ajuda outras mães a recuperarem o corpo que tinham antes
Instagram/rebecagusmaooficial/Reprodução
Filho de Rebeca também ajudou a personal a ver a vida de outra forma, e, hoje, ela ajuda outras mães a recuperarem o corpo que tinham antes

Para se ter uma ideia, o melhor treino para Rebeca após o nascimento do filho tem nome e até idade: Zeus, 1 ano e cinco meses. A amamentação e as atividades que fazia com o pequeno, como uma caminhada logo cedo para ele tomar um pouco de sol, ajudaram a personal a voltar aos poucos ao seu peso. Ela também focou em uma dieta nutritiva, que ajudava no leite que estava produzindo e ainda promovia a energia que ela precisava para o dia a dia. Aos poucos, também, voltou para os treinos musculares.

A personal faz consultoria para o público em geral, mas também fala diretamente com mães. Rebeca percebe que, depois do primeiro aninho dos filhos, as mães começam a sentir mais as mudanças do corpo, ao mesmo tempo em que a energia ainda não está totalmente renovada. A dica da profissional é aproveitar bem o tempo com as crianças, que naturalmente já vão exigir certo gasto calórico dos responsáveis, e procurar ajuda de profissionais. No caso da própria Rebeca, uma endocrinologista a ajuda a manter uma dieta equilibrada.

As mães também devem sempre obedecer as orientações do médico que as acompanham, já que ele vai saber os limites de cada mulher. Caso a gravidez tenha sido sem complicações, e a mulher passou por um parto natural, mais rapidamente ela poderá voltar aos exercícios. Já se teve alguma complicação ou a mulher passou por uma cesárea, a recuperação é mais demorada.

Como mudar hábitos

Com 119 mil seguidores só no Instagram, Rebeca Gusmão também dá consultoria para que a segue nas redes sociais. São várias as dicas que ela dá para quem quer mudar o corpo, mas a dica principal que ela revelou para o Delas foi: defina seu objetivo. A personal explica que há três formas de perder peso. Quem precisa realmente perder muita gordura, deve focar em uma dieta. Já para quem não precisa perder tanto peso, a atividade física deve receber uma atenção especial. Agora, se seu objetivo é como o da ex-atleta, definição e diminuição de gordura, aí tem que seguir os dois.

Mas não pense que a profissional é adepta das dietas radicais. Para ela, tudo que é radical demais acaba interferindo negativamente no resultado final. Se você gosta de refrigerante, por exemplo, avalie o quanto que toma por semana. Se for um litro, por exemplo, baixe esse número para 200ml. Vá aos poucos mudando os seus hábitos até conseguir um estilo de vida mais saudável.

Rebeca Gusmão já exibe um abdômen trincado, mas quer mais definição e tem como meta manter a frequência nos treinos
Instagram/rebecagusmaooficial/Reprodução
Rebeca Gusmão já exibe um abdômen trincado, mas quer mais definição e tem como meta manter a frequência nos treinos

Além disso, tudo tem que partir de você – inclusive um pedido de ajuda. Relembrando que o processo de emagrecimento é o resultado de um trabalho em equipe, então o acompanhamento de profissionais é essencial.

Leia também: Mulher perde 50,5kg em processo de emagrecimento para conseguir engravidar

Outro ponto essencial é foco. Como é possível ver nas fotos acima, Rebeca Gusmão já exibe um abdômen trincado, mas ela quer mais. Hoje, ela vivem em Brasília, atende pessoalmente seus clientes como personal trainer, dá consultoria online e ainda se vê na criação de um aplicativo de consultoria que deve ser lançado ainda este mês, algo que vai deixá-la ainda mais próxima dos clientes. A profissional também é mãe, claro, pratica crossfit e tem como meta para 2018 manter a frequência nos seus treinos. Há dúvidas de que ela deve conseguir?

    Leia tudo sobre: Dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.