Flavia foi assassinada por Alan
Reprodução
Flavia foi assassinada por Alan

Em apenas três dias, houve pelo menos quatro casos de  feminicídio no estado do Rio. Os  crimes ocorreram na capital, em Macaé, no Norte Fluminense, e em Nova Friburgo, na Região Serrana, entre sábado e segunda. Em todos os casos,  as vítimas foram assassinadas por companheiros ou pessoas com quem já haviam se relacionado.

Na última segunda-feira, Milênia Felinto Boaventura, de 21 anos, foi morta na Cidade de Deus, Zona Oeste, informou o site G1. O companheiro dela, identificado como Luis Paulo da Silva Germano, de 23 anos, foi preso após os familiares da vítima o apontarem como autor do crime. Ele se apresentou na 16ª DP (Barra da Tijuca) e contou que discutiu com a vítima após chegar de um baile. Segundo a Polícia Civil, Luis integra o tráfico de drogas na comunidade.

Também nesta segunda, a cuidadora de idosos Marcelle Monteiro, de 36 anos, foi morta a facadas e teve o carro incendiado em Nova Friburgo. O principal suspeito seria o ex-companheiro da vítima, João Carlos Hotz, de 45 anos. O assassinato de Marcelle ocorreu no distrito de Mury, na Estrada Sítio Azul.

Marcelle teria saído de casa e estava demorando a chegar no sítio onde trabalhava, quando colegas saíram à sua procura e encontraram o corpo na estrada e o carro incendiado. A polícia então foi chamada e realizou perícia no local. Uma testemunha contou na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Friburgo que passou mais cedo pela mesma estrada e viu a vítima em discussão com o ex-companheiro.

Leia Também

O corpo da designer de interiores Flávia Euflázia da Silva, de 44 anos, foi encontrado dentro de uma caminhonete capotada, no domingo, dia 13, em Vargem Grande, na Zona Oeste. O suspeito pelo crime foi identificado pela polícia como o caminhoneiro Alan de Oliveira da Silva, de 38, com quem Flávia tinha um relacionamento.

Alan conhecia a vítima há aproximadamente dez meses e teria discutido com a designer pouco antes do crime. Flávia foi morta com três tiros na cabeça e no pescoço. Logo após o assassinato, ele teria entrado na casa de Flávia, fugindo do local em uma motocicleta.

No último sábado, dia 12, o corpo de uma mulher foi encontrado dentro de uma geladeira, em Macaé. Ela e os tios foram mortos a marretadas e o suspeito é o marido da mulher, Luciano Alberto de Oliveira, de 43 anos. Ele foi encontrado morto na madrugada de domingo no quarto de um motel, na Tijuca, na Zona Norte. Segundo a polícia, o corpo estava com um lençol amarrado no pescoço, numa atitude típica de enforcamento.

Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostra que, em 2021, foram registrados 85 casos de feminicidio no estado do Rio. O número é 9% maior do que o registrado em 2020, quando houve 78 feminicídios. Em relação aos casos de tentativa de feminicídio, houve uma pequena redução. Em 2021, foram 263 vítimas. Já em 2020, houve 270.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários