FreePik
"Existe vida após o relacionamento tóxico", diz a psicóloga Alessandra Augusto

Na 21ª edição do Big Brother Brasil,  Carla Diaz e Arthur Picoli viveram momentos de altos e baixos no reality. Fora do programa, o crossfiteiro revelou que gostaria de conversar com a atriz e que está apaixonado por ela. A situação abriu vários debates na Internet. Uma das questões é: o que fazer quando o  ex  que já te decepcionou volta dizendo que te ama? 

A psicóloga Triana Portal explica caso você esteja decidida a superar, é importante não reabrir a porta desse relacionamento. Ou seja, não cair em tentação. "O problema é que a carência e medo de algumas mulheres de ficar sozinha as fazem aceitar qualquer coisa. Engolem o orgulho, atropelam a autoestima e perdem o bom senso. Se ele já pisou na bola, é muito provável que fará novamente", diz. 

Conforme indica a psicóloga Alessandra Augusto, é importante informar a sua decisão para o ex-parceiro(a), que o sentimento não é recíproco e que não deseja mais essa relação.  "É preciso ter consciência dos motivos que a fizeram sair dessa relação", diz.

A profissional aconselha refletir antes de tomar qualquer atitude, principalmente quando se trata da vontade de dar uma nova chance. "Se é um relacionamento tóxico, como toda substância tóxica, ela causa dependência e essa mulher também passa pelo momento de abstinência", explica. 

Igual ao Jason dos filmes de terror

Você finalmente se recuperou do fim e ele ressurgiu das profundezas, igual ao Jason do filme Sexta-Feira 13? Fique atenta, essa volta repentina pode ser sinal de jogo de ego.

Você viu?

“Muitos homens têm o prazer na conquista, na reconquista, no poder que exercem sobre a mulher, na sua capacidade de manipulação e de conseguir o que querem, como querem e quando querem. Veja bem, isso está longe dele ter amor ou respeito por você e seus sentimentos. Não caia na armadilha de justificar e querer entender o comportamento dele. Você não é mãe, nem psicóloga dele”, diz Portal.

Dependência emocional 


Em muitos relacionamentos, a dependência emocional é um grande fator responsável pelas de idas e vindas dos casais. A identificação dessa dependência é necessária para que o círculo vicioso se quebre. “Não volte. Corte o mal pela raiz e vá atrás da independência emocional”, diz Portal.

Além ajudar na superação de um término e evitar esse vai-e-volta afetivo, reconhecer a dependência emocional da sua parte é importante para aprender a desenvolver relações afetivas saudáveis no futuro. Conforme explica Augusto: “É preciso que buscar ajuda para sair da dependência, porque se não, ela só vai trocar de relacionamento. Ela vai sair de um relacionamento onde é dependente e vai para outro que ela é dependente”, diz.

Ela acrescenta que a dependência emocional está diretamente ligada a saúde mental. "Se eu não cuidar da saúde mental, eu não revitalizo a minha autoestima, eu não saio dessa dependência emocional”. 

E se ele passar dos limites?

Infelizmente, muitos homens não sabem como lidar com o fim de um relacionamento e acabam passando dos limites, fazendo com que a ex se sinta intimidada ou perseguida. Neste caso, não se trata mais de resistir a uma tentação, mas de algo que pode representar período à integridade física da mulher. Se esse for seu caso, denuncie.

“Se esse namorado for muito insistente, ai já podemos pensar em uma esfera judicial. Essa mulher pode se dirigir a uma delegacia da mulher, que vai ampara-lá não só no lado judicial, mas no psicológico também. Lá ela pode criminalizar ou apenas usufruir dos serviços disponíveis”, aconselha.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários