A tabela chinesa funciona mesmo?

Método que promete dizer o sexo do bebê antes de ele ser concebido ganha seguidoras mesmo sem prova científica. Leia relatos e dê sua opinião

Danielle Nordi, iG São Paulo |

Thinkstock/Getty Images
Método promete dizer sexo do bebê ante de sua concepção
É menino ou menina? Com o exame de ultrassom, o mistério acaba por volta dos três meses. Com o exame de sexagem fetal, bem antes: na oitava semana já é possível saber. No entanto, uma tabela muito popular na internet promete precisar o sexo do bebê antes mesmo da sua concepção, através de um cálculo feito com a idade lunar da mãe comparada ao mês da concepção do bebê. Mas será que a tabela chinesa funciona mesmo?

Leia também:
É possível escolher o sexo do bebê naturalmente?

Como escolher as lembrancinhas de maternidade 

“Essa tabela não tem respaldo científico. Muitas pacientes a utilizam para saber o sexo do filho e dá certo; com outras, dá errado. O padrão de ovulação é diferente de mulher para mulher e isso interfere se o bebê vai ser menino ou menina”, afirma a ginecologista e obstetra Viviane Monteiro.

Levando tudo na brincadeira, a arquiteta Juliana Martins, 32, confessa que estava ansiosa para descobrir o sexo do seu filho e usou a tabela chinesa. Depois de fazer pela segunda vez os cálculos – o marido tinha errado a idade dela na primeira tentativa – descobriu que, de acordo com a tabela, teria um menino. “Hoje tenho o Diego e vejo que deu certo. Mas uma prima tem os mesmos dados que eu e é mãe de uma menina. Vejo a tabela como uma grande brincadeira, entre outras tantas que existem.”

Idade lunar

Para chegar ao resultado do sexo da criança, as mulheres que fazem aniversário de março a dezembro devem somar um à sua idade atual. Essa seria a idade lunar delas. Quem faz aniversário nos outros meses do ano deve usar a idade atual sem acrescentar um. A partir deste número é possível cruzar a idade lunar com o mês de concepção e descobrir o sexo do bebê (veja a tabela no final da página e vote na enquete).

A biomédica Ana Luiza Martinez Masi, 26, desconfia da metodologia e encontrou um “jeitinho” da tabela funcionar. “Fazendo os cálculos como a tabela pede, eu teria um menino. Se eu deixar de aumentar em um a minha idade, dá certo”, conta a mãe de Bruna, de um ano.

Mas Ana Luiza descobriu que existe mais de uma versão da tabela disponível na internet. “Em uma segunda tabela que encontrei, mesmo somando um à minha idade atual vi que dava certo. Não dá para acreditar nisso cegamente."

Leia também:
A mãe francesa educa melhor seus filhos? 

Veja dicas e cuidados com o bebê desde o nascimento até o aniversário de 1 ano

Mês de concepção

Mas há quem acredite e se guie pela tabela chinesa para escolher o sexo do filho. A fotógrafa Natália Toledo, 27, usou o método na esperança de ter um segundo filho do sexo masculino. E funcionou. “Eu já tinha uma menina e sabia que meu marido sonhava em ter um menino. Acreditava que poderia dar certo. Adiantei os planos de ter um segundo filho porque a tabela dizia que o mês de concepção para ter um menino seria novembro. Antes disso, pensava em ter filho apenas depois de janeiro.”

Defensora do método oriental, Natália costuma dizer que a tabela não erra. “O problema é que nem todas as mulheres sabem dizer ao certo o mês de concepção do filho. Tem muita gente que era nessa etapa”, diz.

Para a ginecologista e obstetra Viviane Monteiro, não faz mal acreditar na tabela desde que não se crie uma expectativa exagerada em torno do resultado obtido. “Confiar demais no método pode gerar uma ansiedade e uma frustração muito grande se não der certo, o que acontece com muitas mulheres”, adverte. 

Arte iG
Embora muito popular na web, a tabela chinesa não tem comprovação científica










Veja também:


Gravidez Semana a Semana

Bebê recria cenas de filmes clássicos. Tente adivinhar quais são

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG