Manter o animal hidratado é o primeiro passo para que a época do ano não seja um sofrimento – mas não é o único

Evite passeios entre 10h e 17h por conta da maior incidência solar
Thinkstock
Evite passeios entre 10h e 17h por conta da maior incidência solar

Verão é tempo de viajar com a família, fazer bagunça na praia e luaus no campo – e para que a festa seja sempre completa, o animal de estimação não pode faltar. As altas temperaturas, no entanto, podem dar um pouco mais de trabalho na hora de cuidar do bem estar do pet. Como proceder? Confira algumas dicas:

Hidratação é essencial. Os animais, principalmente os que tenham muito pelo, podem ficar bem desidratados no verão, por isso, certifique-se que ele esteja sempre ingerindo bastante água. “O segredo é deixar mais de um ponto de água espalhado pela casa, assim, se o animal fica com preguiça, ele tem como se hidratar facilmente”, diz Alexandre Sano, diretor da Sociedade Paulista de Medicina Veterinária. 

Evite passeios nos horários mais quentes. “O cuidado deve ser o mesmo que se tem com uma criança”, explica Sano. A faixa mais do dia com temperaturas mais altas está entre 10h e 17h, então o ideal é sair de manhã ou ao final da tarde.

Verifique se as vacinas estão em dia. Em viagens, fora do próprio ambiente, as chances de contrair doenças são maiores, portanto tenha certeza de que a carteira de vacinas do animal está em dia.

Evite água da torneira. No verão, regiões litorâneas sofrem com o abastecimento de água. “Em alguns lugares não tem como ter certeza da qualidade da água. O ideal é dar água filtrada”, aconselha o especialista.

Evite focinheiras. “A focinheira atrapalha porque o animal faz a troca de calor aumentando a frequência respiratória”, explica Sano. Se na sua cidade houver alguma lei que obrigue o animal a usá-la, opte em focinheiras mais leves feitas com redes.

Use filtro solar. Existem diversas marcas específicas no mercado. Procure passar nas partes menos cobertas por pelos, como pontas da orelha, barriga e nariz. “O único problema é fazer com que o animal não lamba o nariz”, brinca o veterinário.

Se ele comer menos, não se desespere. Assim como os humanos, os animais tendem a comer menos em dias de altas temperaturas. Se o ritmo de alimentação dele diminuir, não se preocupe, é normal.

Tosa, já! “Se o cão for muito peludo, é importantíssimo fazer uma tosa especial para o verão”, diz Sano. Ninguém gosta de vestir um casaco embaixo do sol escaldante, né?

CURTA A PÁGINA DO DELAS NO FACEBOOK E SIGA O @DELAS NO TWITTER

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.