Especialistas em etiqueta social afirmam que é de bom tom lembrar dos profissionais que facilitam o nosso dia a dia

Como lidar com as caixinhas de Natal?
Thinkstock/Getty Images
Como lidar com as caixinhas de Natal?
Eles recolhem o lixo, zelam pela segurança de nosso condomínio, entregam correspondências, limpam a casa, cuidam de nossa beleza e bem-estar. O que seria de nós sem porteiros, zeladores, carteiros, lixeiros, faxineiras, manicures, cabeleireiros e demais profissionais que trabalham para facilitar e melhorar as nossas vidas? Um bom jeito de reconhecer a importância dessas pessoas e agradecer pelos serviços prestados durante todo o ano é oferecer uma gentileza no período de festas, a famosa "caixinha de fim de ano".

De acordo com consultores de imagem e etiqueta social, esses agrados natalinos, apesar de não serem obrigatórios, são sinônimo de educação e delicadeza. "É uma questão de lembrança, de atenção e carinho com profissionais que fazem parte de nosso dia a dia", afirma a especialista em etiqueta e comportamento Cláudia Matarazzo.

Vale ressaltar, porém, que as caixinhas são apenas um adicional - ou, em outras palavras, um "plus" - ao tratamento dado a essas pessoas ao longo do ano. "Não adianta nada presentear no Natal se não cumprimentar, agradecer e tratar essas pessoas com educação todos os outros dias", avalia a consultora de imagem e docente do curso de Etiqueta Social do Senac Campinas, Mara Pusch.

Segundo as duas especialistas, devemos avaliar o grau de proximidade com a pessoa na hora de escolher o presente. No caso de porteiros, zeladores e faxineiras, por exemplo, Mara recomenda presentear com algo que possa ser usufruído e compartilhado durante a ceia de Natal. "São pessoas com as quais temos um convívio diário e, portanto, é natural que ao longo do ano a gente acabe dando algumas 'gorjetas' eventuais. Por isso, no fim do ano oriento a não dar dinheiro, mas sim algum tipo de lembrança", diz Mara. Uma boa opção de presente para esses profissionais é a clássica combinação de vinho e panetone. "Melhor ainda se for um panetone especial, daqueles que não são encontrados em supermercados", acrescenta a professora do Senac.

Já Cláudia não vê problema em presentear com dinheiro, desde que seja entregue em um envelope e, de preferência, acompanhado de um cartão personalizado. "Independente do que você escolher dar, lembre-se de todos os profissionais que dividem a mesma função, ou seja, s e seu prédio tem um zelador e dois porteiros, é essencial que você se lembre de todos na hora de dar as lembrancinhas", diz.

Nesta época do ano, também é muito comum presentearmos aquelas pessoas que semanalmente cuidam da nossa beleza e bem-estar. "Quando vamos ao salão, geralmente falamos sobre nossas vidas e trocamos confidências enquanto fazemos as unhas ou cuidamos dos cabelos. Com isso, é muito normal criarmos vínculos e intimidade com os profissionais", ressalta Mara.

Uma dúvida bastante comum, no entanto, é se podemos presentear apenas os profissionais que nos atendem e dos quais somos mais próximas. Cláudia Matarazzo esclarece: "Presenteie apenas quem você conhece". Só tome cuidado para não fazer estardalhaço na frente de todos na hora de entregar o presente: esse comportamento não é nem um pouco elegante , segundo Mara Pusch.

Caso queira presentear todos os profissionais do salão de beleza, uma boa opção é comprar algo que possa ser usufruído por todos - como um baleiro, por exemplo -, e encher de doces. Mara também sugere uma cesta de Natal que possa ser desfrutada em um happy hour após o expediente como alternativa de presente conjunto para os funcionários do estabelecimento.

Se você optar por presentear apenas a manicure e a cabeleireira que costuma atendê-la, procure algo que tenha a ver com a pessoa. "O mais elegante, é dar algo que a pessoa sinta que foi especialmente escolhido para ela. O valor é o de menos", afirma Mara.

A manicure Marta Santos Silva e a cabeleireira Sônia Pereira são proprietárias de um salão de beleza na região central de Campinas, interior do Estado. Como não dividem o espaço com outras profissionais, ambas contam com uma clientela bastante fiel há vários anos. "Nesta época do ano, recebemos vários presentes porque a maioria das pessoas que frequenta o salão é antiga", diz Marta, que já ganhou roupas, jóias e até perfumes importados de clientes.

A cabeleireira Sônia também vive ganhando uma série de mimos. "E nem é só no Natal; às vezes a cliente chega aqui dizendo que viu algo em uma loja, lembrou de mim e resolveu comprar, ou então que comprou alguma lembrancinha durante uma viagem ao exterior", conta. Um dos presentes mais criativos que ela diz já ter recebido foi uma caixa de chá acompanhada de um jogo de xícaras. "Ser presenteada é legal, claro, mas mais legal ainda é saber que as pessoas lembram da gente", completa.

Carteiros, lixeiros e demais prestadores de serviços geralmente pedem caixinhas no fim do ano. As duas especialistas em etiqueta social dizem que cada pessoa deve dar a quantia que quiser e puder. "Apenas procure colocar o dinheiro em um envelope e, se possível, entregue também um cartão de agradecimento pelos serviços prestados ao longo do ano", orienta Mara.

Para ela, como o fim do ano é uma época em que as pessoas geralmente param para repensar o que passou e renovar as energias para o ano que vai chegar, um simples gesto que demonstre atenção e reconhecimento pode fazer a diferença na vida das pessoas. "Nada pode ser mais chique do que ser delicado com o outro", completa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.