Pesquisa revela que, nos Estados Unidos, as esposas tendem a se tornarem a principal fonte de sustento da família

Estudo mostrou que 28 por cento das mulheres norte-americanas passaram a um grau de educação mais alto que o dos maridos
Getty Images
Estudo mostrou que 28 por cento das mulheres norte-americanas passaram a um grau de educação mais alto que o dos maridos
Há quatro décadas, 28% dos homens norte-americanos casados possuíam um nível mais alto de educação do que suas esposas, enquanto apenas 20% das casadas haviam sido mais bem preparadas em termos educacionais do que seus maridos. O restante dos casais possuia um nível semelhante de educação. Atualmente, estas proporções se modificaram. É o que revela um recente estudo norte-americano realizado pelo Pew Research Center, em Washington, nos Estados Unidos.

No ano de 2007, o estudo mostrou que 28% das mulheres norte-americanas passaram a possuir um grau de educação mais elevado que o dos maridos, para 19% dos homens casados com um nível mais alto de educação. O restante dos casais norte-americados, 53%, segundo o estudo, tem o nível de educação semelhante.

No mesmo período, a proporção de mulheres ganhando mais do que seus maridos subiu de uma em 25 mulheres (4%) para uma em cinco (22%). Ainda, levando em consideração os ajustes da inflação, o salário feminino também obteve um aumento de 44%, enquanto o masculino aumentou somente 4%.

De acordo com o jornal britânico The Telegraph, D’Vera Cohn e Richard Fry, autores do estudo, afirmaram que essas mudanças vêm contribuindo para uma inversão de papéis entre homens e mulheres nos ganhos dentro do casamento. “No passado, quando o número de mulheres que trabalhavam era bem menor, o casamento costumava melhorar a situação econômica feminina. Recentemente, no entanto, os benefícios econômicos associados ao casamento estão atingindo aos homens”, afirmam os pesquisadores.

No Brasil, os números também mudaram. Segundo pesquisa realizada pelo IBGE em 2007, entre 1996 e 2006 o percentual de mulheres como chefes de família cresceu de 10,3 milhões para 18,5 milhões, e hoje elas chefiam um terço das famílias brasileiras .

Os pesquisadores norte-americanos acreditam que a recente crise econômica acelerou essa tendência nos Estados Unidos, ocorrida pela perda doe parte dos empregos masculinos em industrias. Porém, o salário masculino no país ainda é maior, com elas ganhando 77,9% do salário deles em cargos semelhantes .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.