Com tantos estímulos, não é fácil mudar alguns maus hábitos. Veja dicas que ajudam a manter a força de vontade

Tentação: diariamente somos expostos a estímulos que testam nosso autocontrole
Thinkstock/Getty Images
Tentação: diariamente somos expostos a estímulos que testam nosso autocontrole

Quem nunca se pegou pensando em comer mais um pedaço daquela torta de chocolate incrível, ou mesmo em tomar mais uma tacinha de champanhe? O mundo é cheio de tentações. Diariamente somos expostos a uma infinidade de estímulos que testam nosso autocontrole: sem moderação, comida, bebida, cigarro, drogas, jogos, compras e até sexo podem virar um tormento na vida de qualquer pessoa.

Leia: Vícios comportamentais também fazem mal

É difícil estabelecer quando um simples gosto está se tornando um vício. Segundo a psiquiatra Alexandrina Meleiro, é hora de prestar atenção quando a rotina muda em função de uma tentação, quando é o desejo por algo que comanda as atitudes.

“Se a pessoa prioriza algo a ponto de abrir mão de coisas importantes na própria vida e percebe que não consegue parar, ela está doente. Já não é mais uma tentação, é um vício” – afirma.

Exemplo disso são pessoas que deixam de buscar os filhos na escola para ficar jogando em um bingo. Ou ainda, aquelas que gastam dinheiro em coisas sem necessidade, mesmo já estando seriamente endividadas.

“É comum que busquemos o prazer. Comer um chocolate ou comprar uma bolsa vai ativar o nosso centro de prazer, o que nos dá a sensação de bem-estar. O problema começa quando há o abuso e com ele a pessoa começa a causar dano para si e para os outros” – explica a médica.

Para a psicoterapeuta Maura de Albanesi a busca da satisfação é instintiva, por isso, diante de toda a tentação é preciso refletir sobre a escolha: é algo bom para mim ou apenas gostoso? Vai me fazer bem ou estou fazendo apenas por impulso?

“Somos seres racionais e precisamos colocar a razão acima do instinto. Isso é o que nos distingue dos animais. Há o impulso instintivo (saciar a fome) e o impulso racional (como fazer para comer). O importante é a maneira como saciamos os desejos” – completa.

Mesmo que não exista uma relação de dependência, lidar com as tentações cotidianas não é das tarefas mais fáceis. Porém, algumas posturas simples podem ajudar no processo. Afinal, em alguns casos, resistir é preciso!


1. Evite o confronto direto

Se você está tentando parar de comprar compulsivamente, evite ir ao shopping. O mesmo vale para ir ao bar com amigos se você quer deixar de lado a bebida. Com o tempo você irá se sentir segura para lidar melhor com isso e poderá se expor mais às tentações, afinal, elas fazem parte do mundo.

2. Mude a rota

Está de dieta, mas tem um carrinho de pipocas “di-vi-nas” pertinho do ponto onde você pega o ônibus? Então trate de andar até o próximo ponto. Além de queimar calorias não é uma boa ideia ficar encontrando as tentações pelo caminho.

3. Escolha as companhias

É muito comum que alguns sabotadores tentem atrapalhar os seus planos. Por exemplo, se sua melhor amiga é uma fumante convicta, talvez seja hora de ter uma conversa sincera com ela. Explique que está deixando de fumar e peça a ajuda dela neste momento. Se ainda assim ela insistir que você deve dar só uma tragada, afaste-se! Segundo Alexandrina: “As pessoas tendem a querem atrapalhar o sucesso da outra, afinal perderam uma companhia para aproveitar a dependência”.

4. Estabeleça uma rede de apoio

No processo de luta contra o vício é fundamental ter apoio. Leve com você o telefone das pessoas que estão lhe dando força. Ao sentir que vai cair em tentação, ligue para uma delas. O mesmo vale quando for enfrentar uma situação difícil, como ir a uma festinha infantil durante a dieta. Nada de ir sozinha! Chame uma dessas pessoas que se importam com você!

5. Altos e Baixos: Ninguém é de ferro!

Algumas vezes, por mais que você tente, irá cometer deslizes. Entenda que isso faz parte do processo. A chave está em não se entregar e colocar tudo a perder. Você comeu um brigadeiro? Fumou um cigarro? Ok, siga em frente! O erro não justifica fumar o maço inteiro ou comer toda a bandeja de doces.

6. Faça as contas

Toda vez que pensar em gastar com a tentação, pense em quanto você está economizando ao evitar fazer isto. Uma boa tática é juntar a quantia que você teria gasto e, no final de um período, se dar um presente que queira muito. Afinal, você mereceu!

7. Invista em um hobby

É comum que a tentação nos atormente quando estamos de cabeça vazia. Por isso, não perca tempo e busque fazer algo que lhe dê prazer. Além de ocupar o tempo, produzir algo novo você se sentirá mais produtiva, feliz e realizada evitando as recaídas.

8. Adote um pet

É comprovado que os animais de estimação diminuem a ansiedade. O afeto e a proximidade com os bichinhos criam a sensação de conforto. Além disso, a ideia de ser responsável por outro ser, tão indefeso, nos faz pensar duas vezes antes de cometer algum deslize.

9. Respire

Nada melhor para os momentos de tensão extrema. Inspirar e expirar profundamente relaxa e acalma o corpo e a mente, dando clareza aos pensamentos. Se você está morrendo de vontade de cair em tentação, experimente respirar com os olhos fechados profundamente ao menos cinco vezes.

10. Questione-se

Só fazemos o que queremos e não o que precisamos! Segundo Maura de Albanesi você deve olhar para a situação e se perguntar o que realmente quer, o que sente em relação a isso e o que deve fazer a seguir. “Estas são as três instâncias que nos regem: o sentir, o querer e o fazer. Integrá-las em cada situação traz a força necessária para a mudança de atitude.”

11. Sabote seu vício

Não há nada mais eficaz do que colocar obstáculos entre você e a tentação. Por exemplo: não levar o cartão de crédito quando for ao shopping. Sua conta agradece! Ou então, sentar longe da mesa de doces na festinha infantil. O resultado na balança vai valer a pena.

12. Busque ajuda

Lembre-se: você não é a única pessoa com dificuldades para resistir a uma tentação. Não importa o tipo, se houver sofrimento, é importante procurar por um psicólogo ou psiquiatra. A terapia costuma ajudar, assim como medicamentos disponíveis no mercado, que podem ser receitados pelo médico e que ajudam a diminuir a compulsão, atuando na química do cérebro.

13. Comemore suas vitórias

Está sem beber há um mês? Evitou comprar mais uma bolsa durante a semana? Comeu apenas salada no almoço de domingo? Parabéns! Comemore mesmo as pequenas vitórias, compartilhando com os amigos e escrevendo um diário. Isto ajuda a manter a autoestima elevada e o foco nos resultados!

Leia mais: Já se livrou de seu mau hábito hoje?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.