Descubra se você é um bom leitor das emoções através das expressões faciais

Em preto e branco. É assim que veríamos a vida sem emoção, um dos ingredientes mais importantes da existência humana. É ela que nos torna sensíveis às sutilezas da comunicação. Mas você sabe ler corretamente as emoções alheias em expressões faciais?

Podemos destacar sete emoções primordiais, as chamadas “puras”: alegria, tristeza, medo, raiva, supresa, nojo e desprezo. Elas são expressas na voz, na postura e nos músculos da face, a principal forma de linguagem não-verbal -- como um projetor do acontece em nosso interior. Há evidências de que as expressões faciais relacionadas a estas emoções são inatas: até recém-nascidos cegos conseguem demonstrá-las, segundo pesquisas.

No livro “As Expressões das Emoções no Homem e nos Animais”, de 1872, Charles Darwin defendia que tais expressões são inerentes ao gênero humano e, portanto, universais. Apesar de muito criticada à época, a teoria darwiniana da universalidade foi comprovada há 30 anos por estudos feitos pelo famoso psicólogo norte-americano Paul Ekman, que inspirou a série de televisão “Lie To Me”.

Por outro lado, a cultura também legisla sobre qual emoção deve ser proibida ou estimulada. Quem disse que homem não pode chorar ou sentir medo? No Brasil, em vez de demonstrar tristeza, se libera a raiva, emoção mais aceita socialmente. “Nossa cultura não deixa que a gente se expresse direito”, lamenta o psicólogo Ailton Amélio, doutor em comunicação não-verbal e modelo das fotos desta reportagem.

Fingimos e fabricamos expressões sem parar. Podemos atenuar, potencializar ou omitir a emoção para nos preservar

De acordo com o especialista, escondemos nosso estado emocional constantemente para evitar possíveis reações negativas do outro. “Fingimos e fabricamos expressões sem parar. Podemos atenuar, potencializar ou omitir a emoção para nos preservar”, afirma. “A gente mente a todo instante com as emoções”.

Teste: você lida bem com suas emoções?

Um exemplo clássico: aquele sorriso amarelo dado para disfarçar um constrangimento. Mesmo com todo cuidado para não nos expormos, uma hora a máscara cai e isso não é de todo mau. “O julgamento das expressões de emoções é muito útil para guiar nossas ações em relação às pessoas”, explica. Daí a importância de prestar atenção nos sinais faciais do outro.

Alegria e tristeza não são incompatíveis e podem se manifestar ao mesmo tempo
Edu Cesar
Alegria e tristeza não são incompatíveis e podem se manifestar ao mesmo tempo

Duração

A face é dividida em três áreas para descrição dos sinais emocionais. São elas: sobrancelhas e testa ( cuidado com o excesso de Botox nesta região );   olhos, pálpebras, ponta do nariz e regiões próximas; e boca, queixo e parte inferior do nariz. “A alegria e o nojo aparecem na boca. O medo e a surpresa, nos olhos. A tristeza também aparece nos olhos e na testa, e a raiva fica estampada nas três áreas”, explica Ailton.

Quando há uma mistura de emoções, sempre se vê mais uma do que outra. “Isso porque a natureza ensina o que o ser humano não pode perder. Por mais que seja uma micro-expressão, e dure frações de segundos, é possível captá-la”. Uma emoção não exclui a outra, por mais que pareçam opostas.

Leia mais: O que as linhas do seu rosto dizem sobre você?

Alegria e tristeza não são incompatíveis e podem se manifestar ao mesmo tempo. Um exemplo é recordar-se de uma história divertida sobre um familiar que já morreu. Todas as combinações são possíveis, segundo o especialista. 

Como ler as emoções?

Não é preciso um aprofundamento no assunto para reconhecer as emoções básicas nas expressões faciais de alguém. Basta bater o olho no semblante do outro para entender se ele está tenso ou nervoso. Mas quando elas se misturam ou se ocultam, é necessário um olhar mais afiado. Uma dica é concentrar-se no lado esquerdo do rosto, onde os sinais de emoções ficam mais marcados.

Leia também:   Transforme-se num detector de mentiras

Mas, afinal, fazer caras e bocas é bom para a comunicação? Em dose moderada sim. “Se houver exagero, desviam a atenção. De menos, parece que a pessoa não está envolvida na conversa”, diz o psicólogo. Achar o equilíbrio na linguagem não-verbal e compreender as expressões faciais é a chave das relações interpessoais bem-sucedidas. Até porque as expressões do rosto podem falar muito mais do que palavras ditas em alto e bom som. Veja abaixo o que caracteriza cada uma das emoções básicas, ilustradas na galeria no início da página:

Alegria:   os cantos da boca são puxados para trás e para cima, elevando as bochechas e empurrando as pálpebras inferiores para cima. Os olhos se fecham parcialmente, o que produz pequenas rugas no entorno, os chamados pés de galinhas.

Tristeza:   os cantos internos das sobrancelhas se aproximam e se elevam. Podem aparecer rugas horizontais no centro da testa e rugas verticais entre as sobrancelhas. A área abaixo das sobrancelhas e acima dos olhos assume uma posição triangular. Os olhos ficam semicerrados e os cantos internos dos lábios, abaixados.

Surpresa: as sobrancelhas se elevam. Geralmente aparecem rugas horizontais em toda a testa. As pálpebras superiores são elevadas e as inferiores abaixadas, podendo aparecer a parte branca dos olhos. Os lábios relaxam e a boca fica semi-aberta.

Medo:   as sobrancelhas são elevadas e aproximadas e aparecem rugas horizontais no centro da testa. Há tensão nos olhos e na boca. Os cantos dos lábios são puxados para trás, em direção às orelhas.

Raiva:   as sobrancelhas são abaixadas, diminuindo a área visível entre elas e os olhos. As sobrancelhas são aproximadas o que faz aparecer rugas verticais entre elas. Há tensão na região dos olhos, que podem estar mais abertos ou menos abertos do que o normal. Há tensão na região da boca e os lábios ficam mais finos.

Nojo:   os lábios inferiores ou são levantados, em direção aos superiores, e projetados para fora, ou são abaixados e projetados para fora. As bochechas são empurradas para cima, fazendo com que as pálpebras inferiores se elevem um pouco e estreitem os olhos. Podem aparecer rugas na ponte do nariz (franzir o nariz).

Desprezo:   uma parte do lábio superior abaixo de uma das narinas é levantada, podendo aparecer alguns dentes da arcada superior. Os cantos dos lábios são comprimidos e um deles é puxado para cima, como em um sorriso com um canto da boca. Pode haver a elevação de uma ou de ambas as sobrancelhas (“olhar de superioridade”) e o queixo pode ser levantado.

Medo e raiva expressadas simultaneamente: todas as combinações são possíveis
Edu Cesar
Medo e raiva expressadas simultaneamente: todas as combinações são possíveis

Faça o teste: você sabe reconhecer um sorriso verdadeiro?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.