Usar tapetes felpudos, cortinas de tecido e plantas na decoração aumenta o acúmulo de pó e favorece o surgimento de crises alérgicas

Quem tem alergias de fundo respiratório sabe que o ideal é ficar longe de poeira e umidade, mas às vezes não imagina que uma decoração errada também pode contribuir para desencadear uma crise. Um dos perigos que poucos percebem é a biblioteca caseira, uma vez que acumular livros em um quarto fechado faz que o ambiente fique repleto de ácaros e fungos.

Leia também:  Saiba como limpar seu colchão

O perigo se encontra justamente no fato de as obras não receberem limpeza diária e, por isso, acabarem dissipando micro-organismos pelo ar. “Este problema também acontece com bichinhos de pelúcia e outros objetos que ficam em locais abertos”, afirma Maria Teresa Malheiros, alergista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, em São Paulo. “A saída é guardá-los em armários que não tenham contato com o ambiente externo”, completa. 

Livros guardados em locais abertos acumulam mais ácaro e poeira
Divulgação
Livros guardados em locais abertos acumulam mais ácaro e poeira
Diante da necessidade de manter o  longe de casa, os itens usados na decoração devem ser práticos e fáceis de limpar. Para cortinas, nada melhor do que modelos leves – com apenas uma camada de tecido, ou, de preferência, feitos de outros materiais. “As persianas acabam sendo mais vantajosas por apresentarem grande facilidade na hora da manutenção”, diz Wagner Moneda Telini, médico pneumologista da Unesp de Botucatu (SP).

Outro item a ser evitado na casa de alérgicos, segundo ele, é o carpete. Apesar de aquecer o espaço, favorece o acúmulo de ácaros, mesmo com limpeza frequente. Do mesmo modo, os tapetes, principalmente os mais felpudos , também devem ficar longe.

Mas os cuidados não param por aí. Na hora de escolher o sofá , é preciso ficar de olho no revestimento. Quanto mais rugosa for a superfície, mais difícil será a limpeza. “Além disso, caso a opção por tecido seja fundamental, dê preferência aos modelos com assentos e encostos removíveis, que podem ser retirados e levados ao sol”, lembra Telini. Assim como os colchões eles precisam ser ventilados ao sol de tempos em tempos.

Quanto aos pisos, mais do que buscar um material que combine com o estilo do ambiente, a preocupação deve ser com a presença de rugosidades na superfície e de frestas na união entre um bloco e outro. Tais espaços nas junções, como os existentes nos pisos de madeira, acabam por acumular ácaros e resíduos que prejudicam a saúde dos moradores.

Plantas x alergia

Pessoas alérgicas e plantas naturais não combinam em ambientes fechados. O motivo é parecido com o dos pisos: as rugosidades. Mesmo imperceptíveis a olho nu, as folhas das plantas possuem irregularidades na superfície que servem como “moradia” para os fungos, que são fortes indutores de alergia. Opte por plantas artificiais, que podem ser facilmente lavadas.

Saiba mais:

O melhor das mostras de decoração do interior de São Paulo

Casa pede reparos periódicos

Quando o porcelanato é a escolha certa?


Siga o  iG Delas  pelo  Twitter  e assine nossa  newsletter  para ficar por dentro das novidades.




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.