Guia da Paquera: O que NÃO fazer no primeiro encontro

Por Júlia Reis, iG São Paulo

compartilhe

Texto

Experts em sedução listam os principais erros que costumamos cometer diante de um novo pretendente

Alexandre Carvalho / Fotoarena
Os consultores Ares (esquerda) e Alexandre (direita) recomendam evitar reclamações e polêmicas no primeiro encontro
Diz o ditado que a primeira impressão é a que fica. Isso vale também para a paquera: um primeiro encontro íntimo e agradável ou desastroso pode separar uma relação de sucesso de um fracasso. Mas como impressionar o pretendente e, principalmente, não fazer bobagem?

Veja mais sobre conquista:
Seu estilo de sedução é eficiente?
Namoro no trabalho exige cuidados
Como seduzir um homem de cada signo?

Não é preciso jogar no escuro: já existe treinamento para momentos como esse. Consultores de relacionamentos e autores do livro “Sedução Revelada”, recém-lançado pela Editora Thesaurus, Alexander Voger e Ares Bruno sugerem caminhos para uma relação bem-sucedida desde o primeiro encontro. Atração, conexão, conforto e confiança são os sentimentos que devem ser despertados, garantem os gurus da conquista. “Diminua a expectativa. Não considere que estão em um relacionamento até o terceiro ou quinto encontro”, recomenda Voger.

Não seja negativa nem fale como louca
Um bom bate-papo é fundamental para que o encontro dure e a conexão entre os dois aconteça. E nada mais animador para o casal que descobrir gostos e estilos em comum. A dica principal para garantir isso é desviar de pontos de choque e investir nos assuntos agradáveis para ambos. “Se ele diz que gosta de uma banda que você detesta, disfarce e leve a conversa para o estilo musical em geral, em vez de cortar o diálogo com uma negativa”, explica Voger. Evitar conversar sobre doenças, brigas, problemas pessoais e financeiros também garante que um clima positivo marque o encontro. “Não aborde polêmicas, tragédias, política e religião”, completa o consultor.

Para a psicóloga Ana Canosa, terapeuta sexual e apresentadora do programa “S.O.S. Casamento”, do SBT, reclamar demais é, sem dúvida, o que mais afasta um pretendente. “Evite fazer-se de vítima. E falar muito, sem dar espaço para o outro se colocar, também afugenta”, diz.

Se o excesso de palavras atordoa, momentos de silêncio ou perguntas banais também geram desconforto quando as pessoas ainda não se conhecem bem. Para preencher esse espaço, a sugestão é criar diálogos divertidos, abordando atividades de lazer. Perguntas abertas evitam que a pessoa fuja de respostas secas como “sim” e “não”. Voger exemplifica: “Não pergunte se ele gosta de cinema, e sim qual o melhor ou mais engraçado filme que ele já assistiu”.

Não demonstre ansiedade nem seja blasé
Adotar um ar blasé não é o caminho para valorizar o passe. “A segurança, a autoconfiança, a generosidade e o bom humor são características sedutoras. A insegurança, a rigidez e o moralismo o tornam um porco espinho”, aponta o terapeuta Sergio Savian. Segundo Voger e Bruno, é importante existir confiança mútua no primeiro encontro, o que requer um tom mais pessoal e inclui mencionar sonhos, ambições e experiências – desde que não assuste o pretendente logo de cara com planos detalhados de casamento e filhos. “Embora seja importante sinalizar a vontade de comprometer-se com alguém, falar que está louca por um amor para chamar de seu pode afugentar aquele homem mais medroso”, diz Canosa.

Divulgação SBT/ Roberto Nemanis
Para a terapeuta Ana Canosa, checar e-mails ou mensagens no celular é uma péssima atitude
Não fique distante e na defensiva
É preciso quebrar o gelo na comunicação não verbal também: descruze os braços, invista no contato visual, não altere demais o tom de voz e preste atenção no outro. “Falar ao telefone o tempo todo ou checar os e-mails no celular é ser, no mínimo, mal-educado”, diz Ana Canosa.

É natural que o contato físico comece de forma gradativa e um pouco desajeitada. “Os toques são rápidos, uma encostada de mão na perna no meio da conversa quando for enfatizar algo”, sugere Bruno. Mas cuidado: fazer um movimento brusco para dar ou receber um beijo pode gerar estranhamento. A recomendação é ir segurando as mãos do outro e continuar dialogando cada vez mais perto. Manter o olhar nos olhos e boca do parceiro gera segurança para uma aproximação.

Não tome a frente de tudo
Quando o romantismo e a independência da mulher entram em choque, é melhor não alongar a discussão. Para Ana, a mulher não deve tomar a frente de todo o encontro, escolhendo o restaurante, os pratos, chamando o garçom ou oferecendo-se para pagar toda a conta. Mas ser generosa é importante também. “Normalmente o homem tem a atitude de pagar, mas a mulher que espera que ele pague sempre não é legal”, diz Ares.

Não especule sobre a vida financeira
“Qual é o modelo do seu carro? Como é a sua casa? O que eu pai faz?". Não insista nas perguntas que tentam traçar o tamanho do patrimônio do pretendente. Você corre o risco de deixá-lo desconfortável e ser considerada interesseira. Ares lembra, inclusive, que o dinheiro gasto no primeiro encontro não é proporcional à vontade de estar junto. “Eles podem ir a um restaurante caro e ser chato ou só tomar um sorvete e se divertirem muito”, completa.

Não olhe para os outros
Dar atenção para outra pessoa durante um encontro é das coisas mais desagradáveis que alguém pode fazer. Olhar em volta demais ou parar os olhos naquele homem lindo que passou pela porta só te faz perder pontos. Tenha foco e mantenha a atenção em quem realmente interessa.

Não fique falando sobre o "ex"
No primeiro encontro, o foco deve ser a nova companhia – e não o passado! Mencionar relacionamentos anteriores no meio de alguma conversa não é de todo ruim, até demonstra experiência. Porém, não é recomendável ficar descrevendo o ex-namorado, os problemas que ele tinha ou reclamar que os homens não prestam! Esqueça os rancores ou desabafos nesse momento.

Leia também:
10 sinais de que ele (ou ela) está a fim de você
Erros e acertos no primeiro encontro
Como ocorre o frio na barriga

Leia tudo sobre: conquistapaqueraencontro

compartilhe

Texto

notícias relacionadas