Tamanho do texto

Dama de honra teve que ficar substituindo os peixes que morriam durante a festa e ainda precisou cuidar dos 80 animais que sobraram após a celebração

Diferente do que acontece no Brasil, onde as damas de honra são crianças, em algumas culturas, esse papel exige muitas responsabilidades, desde manter a noiva calma até assegurar que tudo corra bem com a decoração de casamento.

Leia também: "Não vai combinar com a decoração", diz noiva sobre corte de cabelo de madrinha

Noiva e dama de honra aparecem de costas, segurando buquês
shutterstock
Dama de honra acaba tendo que cuidar de peixes vivos que a noiva quis colocar na decoração de casamento

O fato é que, seja aqui ou em qualquer outro país, nunca se sabe o que o dia do "sim" reserva e ter alguém para fazer com que as coisas não fujam do controle é sempre uma boa ideia.

No entanto, essa tarefa pode ser muito mais difícil do que se imagina. Um exemplo é o caso de uma mulher que foi nomeada dama de honra da festa de sua amiga e, no dia da festa, teve que cuidar da decoração de casamento e acabou  se vendo limpando um monte de peixinhos mortos. 

Em um fórum do Reddit, site onde pessoas pedem para que outros usuários da internet palpitem sobre suas publicações, a dama de honra faz um desabafo contando sua péssima experiência no “posto” que ocupava, escolhido pela amiga que iria se casar.

Ela começa contando que a noiva adora animais, especialmente peixes, é dessas que vive tentando ser vegetariana, luta pela causa animal e até se tornou um membro da PETA - People for the Ethical Treatment of Animals.

Para exaltar esse seu "lado", em seu dia especial, a mulher pediu recipientes cheios de peixes vivos como peças centrais da decoração do casamento. Além disso, ela também achou que seria uma boa ideia dar a cada convidado, ao final da celebração, um peixinho, como lembrança da noite especial.

Como missão, ela pediu que sua dama de honra cuidasse dos animais, certificando-se de que eles estariam bem, alimentados e substituindo-os, caso algum deles morresse durante a comemoração. "Bem, esse pode ser o seu trabalho durante a recepção. Basta ficar de olho nos mortos e substituí-los antes que alguém perceba”, disse a noiva.

Além de muito preocupada com o bem-estar dos peixes, a dama de honra conta que também estava pensando que nem todos os convidados poderiam querer adotar um animal de estimação no final do casamento. Mas quando falou disso para a amiga, ouviu que esse não seria um problema: “Eles só precisam sobreviver até a recepção”.

Leia também: Noiva invade jardim da vizinha para roubar flores e usá-las em seu casamento

Previsões da dama de honra estavam certas

Aquário com peixes dentro que fizeram parte da decoração de casamento
shutterstock
Ao fim da noite, dama de honra acaba tendo que levar para casa mais de 80 peixes que sobraram do casamento

Durante toda a festa, a dedicada dama de honra passou seu tempo livre de olho nas 40 peças de decoração com centenas de peixinhos dentro. Mas, infelizmente, suas previsões estavam certas, muitos dos animais não sobreviveram e ela teve que substituí-los. 

E isso não foi tudo. Como também previsto, muitos dos convidados não quiseram levar um peixe para casa e a dama de honra teve que ficar com mais de 80 deles ao final da noite. 

Como se não bastasse o transtorno, os noivos disseram que não podiam levar os animais para casa, “afinal, eles estavam em lua de mel”.

Por ser a única pessoa do casamento que restava no salão, a dama de honra conta que precisou dar um jeito nos animais, já que eles estavam em recipientes que foram alugados da empresa que ficou responsável pela decoração - e que pediu a devolução dos objetos ao fim da festa.

"Naquela noite, precisei ir a uma grande loja de animais de estimação com vestido de cetim vermelho até o chão, para comprar um grande tanque retangular, um filtro e comida para peixe para mantê-los vivos”, conta ela.

Leia também: Convidados querem levar 8 pessoas à casamento e web reage: “Não é um churrasco”

Na manhã seguinte, os peixinhos continuaram morrendo - e isso se estendeu pelos dias que vieram. A situação envolvendo o desastre com a decoração de casamento foi tão traumatizante para a dama de honra, que abalou totalmente sua relação com a amiga. "O último peixe durou cinco anos. Eu o chamei de Sol. Pelo menos ele durou muito mais do que minha amizade com a noiva, e mais do que o casamento dela", finalizou.