Tamanho do texto

Diversas marcas fizeram parte dos cinco dias de desfiles da São Paulo Fashion Week para mostrar as novas coleções e tendências de moda

Considerado o maior evento de moda do Brasil e um dos mais importantes da América Latina, a 45ª edição da São Paulo Fashion Week (SPFW) aconteceu entre os dias 21 e 26 de abril. Em cinco dias de evento, diversas grifes apresentaram suas novas coleções e mostraram o que deve ser destaque nessa temporada de  moda . Confira: 

Leia também: Como acompanhar a SPFW e adaptar as roupas da passarela para o dia-a-dia?

Moda é cultura (e política) 

A cultura esteve presente na SPFW N45 com o Projeto Ponto Firme, UMA, Reinaldo Lourenço e Fernanda Yamamoto
Divulgação/Agência Fotosite
A cultura esteve presente na SPFW N45 com o Projeto Ponto Firme, UMA, Reinaldo Lourenço e Fernanda Yamamoto


A cultura brasileira apareceu na apresentação do Projeto Ponto Firme, que inovou e conseguiu emocionar o público com uma parceria entre o estilista Gustavo Silvestre e os detentos do presídio Adriano Marrey, em Guarulhos, São Paulo. Na coleção para a SPFW , apareceram muitos detalhes feitos em crochê e tric, com toques bastante coloridos. 

A apresentação da marca UMA também trouxe a questão cultural para a passarela. A coleção, com o tema "Origem", celebra a multiculturalidade do Brasil com peças como calças cargo fluidas, tricôs com amarrações e bolsas-sacola que apareceram no desfile  e remetem às longas viagens feitas por refugiados.

Reinaldo Lourenço trouxe influências de clássicos do cinema com os vestidos de inspiração vitoriana, listras "navy", rendas, peças xadrez, de seda e metálicas. O estilista também conecta referências de diferentes décadas, como dos anos 80, às tendências mais atuais que dão identidade para a coleção. 

Já Fernanda Yamamoto se inspirou nos ensinamentos da comunidade agrícola Yuba, de Mirandópolis, interior de São Paulo, e trouxe mulheres da comunidade para desfilar. Usando a arte e a natureza como influência, a estilista apresenta looks monocromáticos com tons de verde, amarelados e o rosa e violeta encontrado nas flores, além de técnicas de artesanato como tricô e macramê. 

Fabiana Milazzo, Lino Villaventura e Ronaldo Fraga também abordaram temas ligados à cultura e, em especial, política
Divulgação/Agência Fotosite
Fabiana Milazzo, Lino Villaventura e Ronaldo Fraga também abordaram temas ligados à cultura e, em especial, política


Com referências à cultura do Peru, Fabiana Milazzo levou à SPFW peças com bordados, aplicações e camadas de teares manuais coloridos bastante característicos da região das ilhas flutuantes de Uros, na cidade de Puno. A estilista ainda mesclou as influências ao estilo urbano e fácil de ser usado no dia a dia. 

Lino Villaventura resgata a própria história em comemoração aos 40 anos da marca e criou peças únicas com muitas cores, mas sem deixar de variar os looks escuros com os mais claros e leves. Além disso, as diferentes texturas dos tecidos deram volume para as criações. 

Já Ronaldo Fraga escolheu o desastre de Mariana como tema para seu desfile. Inspirado pelas pessoas que estão tentando retomar suas vidas depois de uma das maiores tragédias naturais dos últimos tempos, ele utilizou elementos da natureza, como plantas e sementes, mesclando-as com fotos de pessoas que foram encontradas em meio à lama.

Leia também: Moda retrô - inspire-se no que já foi sucesso e está voltando às passarelas

Moda é chic

Samuel Cirnansck, PatBo, Lilly Sarti, Modem e TOP 5 apresentaram coleções com peças elegantes e diversificadas
Divulgação/Agência Fotosite
Samuel Cirnansck, PatBo, Lilly Sarti, Modem e TOP 5 apresentaram coleções com peças elegantes e diversificadas


A moda de festa ficou aos cuidados de Samuel Cirnansck, que criou vestidos e conjuntos de alfaiataria com referências geométricas, recortes sobrepostos e renda. O brilho que compõe boa parte da coleção deixou cada peça glamurosa. A marca Patbo, da estilista Patricia Bonaldi, levou referências de décadas passadas e apresentou peças com misturas de xadrez, lurex, renda e bordado, além de composições com ombreiras, algo bem característico dos anos 80. 

A Lilly Sarti lançou uma coleção com cores pastéis, tecidos soltos e recortes. Ainda com referências retrô, a ideia foi estabelecer um equilíbrio entre os babados e modelagens em uma espécie de estilo "boho contemporâneo". Já a marca Modem fez sua estreia nas passarelas da SPFW com uma coleção leve que apresentou decotes e recortes em vestidos assimétricos, além de franjas como destaque das peças.

O projeto TOP5 apresenta quatro estilistas brasileiros e o destaque vai para a marca LED, que mostrou uma coleção recheada de cores e sobreposições, trazendo um conceito diferente sobre moda e estilo. 

As grifes Beira, Apartamento 03, Gloria Coelho, Juliana Jabour e João Pimenta apresentaram suas coleções na SPFW
Divulgação/Agência Fotosite
As grifes Beira, Apartamento 03, Gloria Coelho, Juliana Jabour e João Pimenta apresentaram suas coleções na SPFW

Já as criações da Beira seguem uma linha minimalista e simples, mas com modelagens bastante complexas. O que chamou atenção foram os materiais utilizados em algumas peças, como o jeans, por exemplo, que foi composto por uma combinação de algodão, PET e seda ecológica. Além disso, a marca traz a ideia de "moda sem gênero" e apresenta peças que podem ser usadas por qualquer pessoa. 

A Apartamento 03 apresentou bordados e padronagens inspirados na infância do designer Luiz Cláudia com costureiras — a quem deve seu gosto pela moda e, em especial, sua técnica. Gloria Coelho trouxe a tendência das transparências em roupas elegantes, Juliana Jabour mesclou a moda esportiva com cores pastéis para criar peças cheias de estilo e João Pimenta misturou diferentes estampas para criar a coleção feminina de sua marca. 

Moda é descomplicada

As grifes Osklen, Memo e A.NIEMEYER apresentaram coleções que focam na moda descomplicada  e confortável
Divulgação/Agência Fotosite
As grifes Osklen, Memo e A.NIEMEYER apresentaram coleções que focam na moda descomplicada e confortável


A Osklen trouxe o conceito da sustentabilidade na coleção "ASAP" — "as sustainable as possible" ou "o mais sustentável possível", em tradução para o português. As peças foram confeccionadas com tecidos ecológicos, que recriam efeitos dos tecidos tradicionais, como plumas e lurex, por exemplo. Como acessório, a marca trouxe as queridinhas da vez: pochetes, em modelagens e cores variadas.

O desfile da Memo fugiu completamente dos padrões clássicos. Com influências da moda esportiva, a marca apresentou as roupas em seu habitat natural: sendo usada por dançarinos que mostraram o quanto se movimentar pode ser divertido e estiloso. Além disso, o design colorido e as estampas informais chamaram atenção de quem gosta desse tipo de peça. 

A marca A.NIEMEYER levou peças confortáveis e que mostram composições com tecidos aconchegantes, como lã, tricô e tapeçarias, fáceis de serem adaptados pelos consumidores. Os elementos esportivos também apareceram nessa coleção e foram inspirados no estilo de vida de Montauk, cidade praiana de Nova York. 

As marcas Amapô, Ratier e Handred apresentaram peças
Divulgação/Agência Fotosite
As marcas Amapô, Ratier e Handred apresentaram peças "diferentonas" que apostavam nas cores e tecidos variados


A Amapô levou uma coleção que focava na personalidade das estilistas Pitty Taliani e Carô Gold. Cada modelo representava uma faceta da personalidade das duas e, a partir disso, elas criaram a coleção pensando em como cada um dos personagens escolhidos se vestiria se fossem elas com 20 anos. As referências a diferentes grupos, como punks, skatistas, etc., e moda dos anos 80 apareceram em bordados, moletons de mangas infladas, ombreiras, jaquetas esportivas e tênis com glitter.

Com influências do estilo alternativo e trazendo conceitos da moda jovem, a Ratier apresentou visuais modernos, cheios de recortes e cores. Já a marca Handred, que também apareceu pela primeira vez nas passarelas da Fashion Week, levou roupas cheias de elegância e estilo com muitas transparências e usando tecidos leves em composições influenciadas pela cultura marroquina.

Leia também: Maquiagem natural é destaque em desfiles de moda da SPFW N45

Moda é praia

As marcas Água de Coco, Amir Slama, Lenny Niemeyer e Salinas apresentaram as coleções que devem bombar no verão
Divulgação/Agência Fotosite
As marcas Água de Coco, Amir Slama, Lenny Niemeyer e Salinas apresentaram as coleções que devem bombar no verão


A marca Água de Coco apresentou a coleção "Brasil com Z", que tem inspiração na cultura brasileira, mas foca em clientes internacionais. As cores verde e amarela apareceram na passarela como verde musgo e mostarda em peças da moda praia, que também contém detalhes como babados, biquínis cavados e recortes.  

Amir Slama trouxe a referências do Palácio Imperial e, indo além do clima tropical, se inspira na arquitetura para criar peças que extrapolam a moda praia tradicional. Usando uma paleta de tons de verde, coral e preto, ele criou conjuntos com babados e recortes modernos. 

Lenny Niemeyer dedicou sua coleção às mulheres que desbravaram a fauna e a flora brasileira no decorrer da história. Com estampas de folhagens e muito verde, ela mostra diferentes texturas e modos de utilizar os tecidos ao longo do desfile. 

A moda praia da Salinas é inspirada em clubes e hotéis do Brasil, e trouxe um toque da moda esporte para sua coleção de biquínis com diferentes cores e formas para criar uma composição informal e divertida. Com certeza, essas serão influências fortes diretamente da SPFW para a temporada primevera/verão. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.