Pedro morreu aos 43 anos em 2019 devido ao um câncer de cólon
Arquivo pessoal
Pedro morreu aos 43 anos em 2019 devido ao um câncer de cólon






"Meu filho, meu amor. Não consigo ir dormir sem te dizer que o teu irmão já chegou. Estão bem. Queria tanto saber se tu estavas bem. Amo-vos tanto meus filhos", escreveu Assunção Fernandes no domingo. O recado deixado no mural do Twitter chama atenção pelo inusitado: trata-se de uma mensagem da mãe para o filho falecido em 2019.

Pedro foi vítima de um câncer de cólon aos 43 anos. Desde então assunção encontrou essa forma de se comunicar com primogênito perdido. Essa é uma das mensagens que Assunção Fernandes tem deixado para o seu falecido filho em seu Twitter. Devastada pela morte de seu primogênito, a mãe tem encontrado nas redes sociais uma forma de manter o elo que nem a morte pode romper. 

Emocionando tanto brasileiros e portugueses

Sua mensagem foi escrita em um post do filho com resposta automática, chegando até o atual momento a 13 mil curtidas e 500 compartilhamentos. Recebendo dos internautas apoio e consolo. 

Leia Também

"Assunção, que lindo o amor de vocês. Isso é eterno. Mandando muitas energias boas aqui do Brasil", publicou uma pessoa. "Fico sempre de coração partido quando a leio. Vejo nas suas palavras o amor que sente pelos seus e pelos outros. Ninguém neste mundo está preparado para a perda de um filho", comentou outra.

Em suas redes sociais, Assunção conta que não esperava toda essa repercussão, ela pensava que no máximo poderia chegar ao seu círculo de amigos e parentes, mas que um perfil com 2,9 mil seguidores acabou compartilhando o seu comentário, gerando toda essa repercussão. 

Leia Também

"Ontem alguém encontrou uma das minhas conversas, comoveu-se, retuitou e a onda solidária tem sido tão grande que ainda não acabou. Não consigo responder a toda a gente e alguns tuítes que vi mas não respondi ontem, já não os consigo encontrar", escreve a senhora em seu Twitter emocionada. 

A mãe também relatou que os comentários foram um modo de lidar com o luto e ainda se sentir próxima de seu filho mais velho, contando a ele sobre o dia a dia da família e demonstrando o seu amor pelo filho. 

"Para atenuar a minha dor, e não podendo falar nele em casa por causa do meu marido, aproveitei a página dele do Twitter onde ele tinha um tuíte automático", explicou em uma das publicações. 

Pedro era funcionário público em Braga, Portugal. Gostava de viajar e era descrito por seus amigos como uma pessoa alegre e reservada, segundo matéria da BBC Brasil. "Ele sonhava com um mundo sem barreiras. Nunca, desde bem pequeno, admitia as palavras normal ou anormal para classificar as pessoas. Ele dizia que cada indivíduo era diferente e era assim que devíamos aceitar e respeitar", diz Assunção à BBC News Brasil.

Ainda em entrevista, a família conta que Pedro gostava muito de tecnologia e que foi ele quem ensinou a sua mãe a mexer no Twitter. "Ele era muito ativo no Instagram, no Facebook e no Twitter. Ele até ia a encontros com pessoas que tinha conhecido no Twitter", relembra o irmão mais novo. 

Para os familiares, as redes sociais foram um modo de Pedro continuar ativo. Antes de sua morte, ele tinha programado o seu Twitter com um bot para fazer postagens de emojis diariamente.

** Daniela Ferreira é estagiária desde dezembro de 2021 das editorias iG Delas e Receitas. Estudante de jornalismo na Universidade Metodista de São Paulo, é apaixonada por tudo o que está ligado ao universo feminino e por poder ouvir e contar as histórias das pessoas à sua volta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários