Uma cartilha de educação sexual chocou Carl Lawrence, do Reino Unido. O pai de Emma, 14 anos, conta ao The Sun que a filha chegou em casa com o material que recebeu na escola e com a instrução de que deveria discuti-lo com os pais.

Leia também: Educação sexual das meninas deve começar em casa com vibrador, diz especialista

adolescente com cartilha de educação sexual
Reprodução/The Sun
A adolescente recebeu o folheto de educação sexual na escola e foi instruída a discuti-lo com os pais

Entre o conteúdo clássico de educação sexual , o material citava práticas como ‘chupar dedos do pé’, ‘morder as orelhas’ e ‘comprar roupas íntimas bonitas’ – o que deixou o homem chocado.

“Fiquei perplexo. Entendo que as crianças precisam estar cientes do mundo, mas deveríamos realmente promover fetiches no nono ano? Acho que não”, diz.

Leia também: Post de educação sexual para jovens é removido e mãe fica revoltada

Emma está no nono ano, mas fala que todos os alunos da escola receberam o material. A adolescente fiz que ela e os amigos também acharam o conteúdo bizarro e ficaram confusos. “Perguntamos à professora [sobre chupar dedos do pé] e ela disse ‘você não sabe se gosta até tentar’. Fiquei chocada”, relata.

O site entrou em contato com a escola, mas a responsabilidade foi passada para o conselho estudantil. Porém, disseram que o responsável seria a instituição de saúde comunitária.

Segundo essa terceira instituição, a Spectrum Community Health CIC, “o Programa de Relações e Educação Sexual da Spectrum oferece informações e apoio aos jovens durante toda a sua jornada do ensino médio, ajudando-os a fazer escolhas mais seguras”.

Leia também: Educação sexual ainda é tabu, e jovens preferem tirar dúvidas com parceiros

Eles ainda alegam que as dicas do folheto de educação sexual foram criadas pensando no contexto das aulas.

    Veja Também

      Mostrar mais