Tamanho do texto

O professor de educação física foi elogiado nas redes pela forma que incluiu o aluno na atividade. Segundo ele, o pedido partiu de Heitor, de sete anos

A inclusão de pessoas com deficiência ainda é um tema que precisa ser muito trabalhado para que aconteça na prática, principalmente dentro das salas de aula. Porém, o vídeo do professor de educação física João Hoffmann pulando corda com seu aluno Heitor, que tem sete anos de idade e é cadeirante, se tornou exemplo sobre o assunto após viralizar nas redes. 

Leia também: "Representatividade importa", diz cadeirante que participou do clipe de Kevinho

João pulando corda com Heitor arrow-options
Reprodução/Facebook/joaohoffmann.personal
O professor João Hoffmann é professor de educação física e queria que Heitor, de sete anos, se divertisse na aula


No vídeo, é possível ver o professor com o menino no colo e pulando corda com outros alunos e, segundo João escreveu na legenda, foi Heitor quem pediu para que eles brincassem juntos. "'Tio!! Queria muito pular corda... Você pode pular comigo?'", lembra. "Aquela intimada que é praticamente impossível de dizer não! Obrigado senhor por minha saúde e por me usar para trazer alegria para a vida dessa criançada!!!", continua. 

O post tem mais de 900 mil visualizações, 14 mil reações e 18 mil compartilhamentos pelo perfil de João no Facebok; assista: 



Nos comentários, as pessoas elogiaram a atitude do profissional. "Parabéns! Esse sorriso foi emocionante. Tenho certeza que você é e sempre será um professor inesquecível para seus alunos", escreveu uma mulher. Parabéns pela sensibilidade, pela empatia e pela paixão com que exerce a sua profissão", disse outra. "Por mais 'Joãos' no mundo", comentou uma terceira. 

João, que dá aula em uma escola pública de Taubaté, em São Paulo, já havia registrado outras formas de incluir o aluno cadeirante nas aulas de educação física. Em outro vídeo, ele diz ter utilizado "uma abordagem diferente" ao correr levando Heitor nas costas para que o menino participasse da brincadeira de pega-pega com as outras crianças.

Leia também: Crianças surdas se sentem representadas com desenho animado em LIBRAS

"Tem hora que a gente põe a mão na massa e entrar na brincadeira junto com a turma toda!", escreveu o professor  na legenda da publicação.