Tamanho do texto

Saiba quais os sintomas, os cuidados e como prevenir a hiperêmese gravídica

Tatá Werneck está vivendo a sua primeira gestação. No Instagram, a atriz e humorista compartilhou com seus seguidores que está repouso, pois enfrenta a hiperêmese gravídica.  

Leia também: Tatá Werneck tem descolamento ovular; entenda o que é e como acontece

undefined
Divulgação
A atriz e humorista Tatá Werneck precisa fazer repouso durante a gestação, pois está enfrentando a hiperêmese gravídica

“Você tem vontade de vomitar todos os seus órgãos no tapete da sala. Passo o dia basicamente olhando para o teto”, brinca humorista na publicação em que anunciou que enfrenta a  hiperêmese gravídica .

Ela não está sozinha nesse quadro. A apresentadora Fernanda Lima, que está em sua segunda gestação, também está sofrendo com as crises de vômitos e enjoos causados pela doença. As famosas trocaram experiências sobre esse momento em comentários no Instagram. 

Rodrigo Hilbert e Fernanda Lima anunciam gravidez
Reprodução/Instagram
Fernanda Lima anuncia gravdez


Tatá Werneck já havia escrito nas redes sociais que não vive sem um balde. Agora foi a vez de Fernanda Lima falar sobre o assunto: "Preciso te mostrar uma alternativa ao balde que tenho usado muito. Tu não vai acreditar!! Tenho intimidade com hiperêmeses. Dessa vez me aperfeiçoei!". 

Mas afinal, o que é hiperêmese gravídica?

Hiperêmese gravídica: entenda a doença

undefined
shutterstock
A hiperêmese gravídica é uma doença que causa vômito intenso, náuseas e tontura em excesso na gestante

De acordo com Maria Elisa Noriler, especialista em ginecologia e obstetrícia, a doença faz com que a gestante passe por vários episódios intensos de vômitos, náuseas e tontura durante um mesmo dia, podendo provocar desidratação, perda de peso e carência nutricional.

“No primeiro trimestre, a partir de cinco a seis semanas de gestação o quadro começa e, na maioria dos casos, dura em torno da 14ª a 16ª semanas. Em algumas exceções, as mulheres podem sofrer da doença a gestação toda”, explica Maria Elisa.

A especialista explica que existem algumas causas para a doença. A princípio, ela tem forte relação com a elevação do BHCG. Também pode estar relacionado com a presença de um corpo estranho, de acordo com a ginecologista, o feto agiria no organismo da mulher como um antígeno. Além disso, a causa da doença pode ser psicogênica.

Algumas medidas podem ser adotadas para evitar os sintomas da doença. Além do repouso, Maria Elisa explica que medicamentos antieméticos são recomendados desde o primeiro trimestre para aliviar o vômito, a tontura e as náuseas.

Recomenda-se também que a grávida passe a adotar uma alimentação mais leve e abuse de alimentos gelados, pois eles irritam menos a parede gástrica. “Líquidos como água de coco e isotônicos também são indicados, pois são ricos em eletrólitos que ajudam a controlar a desidratação”, completa a especialista.

Leia também: Sete dicas para uma gravidez saudavel

A ginecologista e obstetra ainda comenta que, dependendo das consequências da doença e da frequência dos vômitos, pode ser necessário que a gestante seja internada até se recuperar – como foi o caso de Kate Middleton.

Os cuidados também são válidos para quem está planejando uma gravidez . “Aconselhamos a fazer atividade física, tentar se afastar de situações estressantes. Fazer um bom planejamento da gestação. Manter-se sempre hidratada e quando estiver grávida não forçar alimentos que não esteja a fim de comer”, recomenda Maria Elisa.

Dessa forma, fica mais fácil amenizar os sintomas e até impedir o desenvolvimento da doença. Além disso, a ginecologista e obstetra comenta que diminuir o uso de produtos que podem estimular a náusea, como perfume e hidratante, é interessante.

Por fim, acupuntura, yoga e psicoterapia também ajudam a melhorar o quadro de hiperêmese gravídica

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.