Tamanho do texto

Nicola Kinloch não teve medo de encarar uma viagem após dar à luz para que o marido que lutava contra um tumor no cérebro pudesse conhecer a filha

A história da britânica Nicola Kinloch é comovente. Segundo informações da BBC, a mulher viajou cerca de 30 quilômetros no pós-parto, menos de uma hora após o nascimento de sua terceira filha, Ariya, para que a pequena pudesse conhecer o pai que estava prestes a morrer.

Leia também: Pais de bebê com câncer terminal antecipam casamento para filho entrar na igreja

Nicola Kinloch deu à luz em uma cidade próxima a que o marido estava internado e viajou para lá  no pós-parto
Reprodução/Facebook
Nicola Kinloch deu à luz em uma cidade próxima a que o marido estava internado e viajou para lá no pós-parto

Brett, de 31 anos, lutava contra um tumor no cérebro e estava em um hospital próximo à cidade que Nicola teve o parto. Em entrevista à BBC, a mãe fala que o que ela mais queria após dar à luz era que o marido pudesse conhecer a filha colocá-la em seus braços por pelo menos alguns instantes, por isso encarou a viagem no pós-parto . “Eu só queria chegar até lá”, diz. E ela conseguiu.

Leia também: Criança envia carta para pai que está no “céu” e recebe resposta

Viagem no pós-parto

Nicola Kinloch percorreu 30 quilômetros no pós-parto para que o marido pudesse conhecer sua filha antes de morrer
Reprodução/Facebook
Nicola Kinloch percorreu 30 quilômetros no pós-parto para que o marido pudesse conhecer sua filha antes de morrer

Com a ajuda do NHS (o serviço de saúde pública do Reino Unido) e dos profissionais que trabalham nos dois hospitais, o que ela deu à luz e o que marido estava internado, Nicola conseguiu promover o encontro entre o marido e a filha.

“Nunca serei grata o suficiente. Todos eles fizeram o possível e o impossível para nos ajudar”, fala. Ela ainda comenta que a equipe fez de tudo para evitar o estresse no percurso e garantir que a família pudesse aproveitar tranquilamente os últimos instantes com Brett.

Nicola conta que 50 minutos após dar à luz ela, na companhia das outras duas filhas, partiu em direção ao hospital em que Brett se encontrava. “Eu a coloquei perto do rosto dele, peguei a mão dele e acariciei o cabelo dela”, conta sobre o encontro . A mãe fala que aproveitou para tirar algumas fotos dos dois, já que a menina não teria mais lembranças com o pai.

Leia também: Com câncer terminal, jovem de apenas 19 anos se casa com amor do ensino médio

De acordo com a mãe, o encontro foi “de partir o coração”, mas pelo menos aconteceu. “Parece horrível dizer isso, mas poderia ter sido muito pior. Ariya poderia ter nascido 24 horas depois”, diz. Aproximadamente quatro horas depois da viagem no pós-parto , Brett morreu. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas