Tamanho do texto

Os bebês também podem participar dos tradicionais bloquinhos de rua! Saiba como proporcionar diversão garantindo a segurança e o bem-estar

Os bloquinhos de rua são sucesso nas principais cidades do país durante o carnaval. Com eles, a festa ficou ainda mais democrática, já que agrada todos os gostos e tem espaço para todo mundo, até mesmo para os bebês. Isso mesmo! Há uma série de blocos infantis que são adequados para você levar o seu filho e a família toda se divertir. 

Leia também: Saiba como deve ser a alimentação das crianças durante as festas de carnaval

Os bebês também podem participar dos bloquinhos de carnaval, desde que os pais ou responsáveis tomem alguns cuidados
Reprodução/Facebook/Bloco do Urubózinho
Os bebês também podem participar dos bloquinhos de carnaval, desde que os pais ou responsáveis tomem alguns cuidados

Mesmo o  carnaval também sendo uma festa para os pequenos, muitos pais acabam ficando receosos de levá-los para a folia por questões de segurança e bem-estar. No entanto, seguindo algumas dicas é possível preservar a rotina dos filhos e garantir uma boa alimentação e hidratação durante o tempo fora de casa. Assim, a família toda consegue curtir os bloquinhos sem preocupações.

A pediatra Ana Larissa Melo, do Hapvida Saúde, explica que o ideal é somente levar crianças a partir de seis meses para a festa, já que nessa fase as primeiras doses das principais vacinas já foram dadas. “Prefira blocos infantis ou com perfil familiar, que aconteçam durante o dia e em locais abertos, arborizados ou com sombra”, recomenda.

Em relação aos bebês de até dois anos de idade, não se deve passar por mais de duas horas nesses ambientes. “Maiores de três anos já podem permanecer até quatro horas. Sempre respeitando os limites da criança e evitando exageros”, fala. Além disso, quando a criança apresentar sinais de sono e irritação é hora de voltar para casa.

Mulheres que estão amamentando também podem curtir a festa com os filhos, mas é preciso muito cuidado com a hidratação. Ingerir uma boa quantidade de líquidos é fundamental. A pediatra indica que a mãe não deve ficar muito tempo na rua, evitando o risco de desidratação.

Leia também: Saiba como garantir a segurança das crianças no carnaval

Cuidados com o bebê no carnaval

É fundamental garantir a hidratação e a alimentação adequada, como frutas e sanduíches naturais, durante o carnaval
shutterstock
É fundamental garantir a hidratação e a alimentação adequada, como frutas e sanduíches naturais, durante o carnaval

Como geralmente a festa acontece na rua e longe de casa, o cuidado com os pequenos deve ser redobrado. Veja os principais pontos de atenção para aproveitar o evento com os bebês da melhor forma e sem se estressar:

  • Alimentação, hidratação e exposição ao sol

A pediatra explica que o ideal é seguir a alimentação normal da criança, sem grandes alterações. A dica está em levar frutas, sempre bem lavadas, sanduíches feitos em casa, biscoitos integrais ou oferecer picolé de frutas. “Armazene os lanchinhos em recipientes bem fechados e térmicos. Evite comida de rua, pois não se sabe como esses alimentos foram manipulados”.

Em relação à hidratação do bebê, é importante levar uma garrafinha de água bem abastecida para oferecer o líquido durante todo o trajeto do bloco. Água de coco e suco de frutas também são opções interessantes, sugere Ana Melo.

A exposição solar também requer atenção. O melhor horário para levar as crianças para a rua é até às 10h e após às 16h. Por isso, é indicado preferir os bloquinhos que começam bem cedo. Além disso, a proteção solar é fundamental. A pediatra recomenda a utilização de fator mínimo de FPS 30 a cada duas horas. Também é legal vestir os pequenos com bonés, chapéus e outros acessórios que protegem a pele.

  • Troca de fraldas

Durante eventos como os bloquinhos de carnaval, é preciso estar bastante atento em relação à fralda do bebê para evitar assaduras. É muito importante não deixar que a fralda fique muito cheia de urina. “Na presença de fezes, a troca precisa acontecer o mais breve possível”, orienta. A dica é levar lenços umedecidos e ter uma quantidade razoável de fraldas descartáveis extra de boa absorção.

  • Audição da criança

Outro ponto de bastante cuidado deve ser a audição da criança. Afinal, como sabemos, os bloquinhos costumam ter música bastante alta, o que pode incomodar os bebês e até machucar. “Em geral, não são necessários protetores de ouvido. Porém, se a criança se sentir incomodada é sempre bom ter disponível protetor auricular adequado para idade”, fala a profissional. No entanto, a atenção deve ser redobrada para as crianças menores de um ano de idade. No caso dos bebês, deve-se evitar ficar muito próximo às caixas de som.

  • Segurança

A segurança dos pequenos também é fundamental. Além de optar sempre por blocos infantis e familiares, utilize nas crianças pulseiras de identificação ou crachá com o nome, nome dos pais ou responsáveis e telefones para contato. Desse modo, a família consegue localizar a criança rapidamente se for necessário.

Leia também: 7 ideias de fantasias fresquinhas para as crianças

As fantasias de carnaval estão liberadas desde que tenham tecido leve, já a maquiagem, apenas para maiores de dois anos
shutterstock
As fantasias de carnaval estão liberadas desde que tenham tecido leve, já a maquiagem, apenas para maiores de dois anos


  • Fantasia e maquiagem

Quando pensamos em carnaval, fantasia, brilho e maquiagem vêm à mente. Mas, como ficam os bebês? De acordo com a pediatra, as fantasias estão liberadas, mas desde que tenham um tecido leve e arejado, como o algodão. Também é muito importante que não aperte o bebê. Quanto menos adereços, melhor. “Capas devem bater no máximo até a cintura da criança”, recomenda.

Ana Melo explica que não se pode usar qualquer tipo de maquiagem, glitter ou spray de cabelo em crianças com menos de dois anos. Após essa idade, já é possível fazer uso de alguma pintura antialérgica, atóxica e hipoalergênica, especialmente indicada para elas.  É recomendável optar sempre por marcas conhecidas e usar o produto com moderação, evitando alergias e intoxicações. Na hora de passar a maquiagem deve-se evitar a área dos olhos.

Outra coisa que os pais devem evitar é que a tradicional espuma de carnaval entre em contato com a pele do bebê. Ana Melo fala que o produto pode causar alergias e ardência nos olhos. “Sempre que possível, opte por confetes, evitando os de alumínio, que podem ser cortantes”, diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas