Tamanho do texto

Escritora britânica contou, no Twitter, que precisou sentar na mochila de um homem, depois que ele se recusou a tirar a bolsa de um assento vazio

A escritora Brydie Lee-Kennedy mora em Londres e passou por um apuro que muitas gestantes vão entender. Grávida de oito meses, a mulher pegou um ônibus e procurou um lugar para sentar, mas só encontrou espaço ao lado de um homem, que insistia em deixar a mochila dele em cima do banco que a britânica sentaria.

Leia também: "Acho que ela comeu um mexicano": obesa relata preconceito durante voo

Escritora grávida achou um absurdo a atitude do homem no transporte público, mas não deixou de tomar uma atitude
Reprodução/Twitter
Escritora grávida achou um absurdo a atitude do homem no transporte público, mas não deixou de tomar uma atitude


Sem espaço, o que restou a grávida foi se acomodar em cima da bolsa do desconhecido e a atitude, é claro, deu o que falar nas redes sociais. “Eu me pergunto como é viver em algum lugar com menos espírito de Jogos Vorazes ”, diz ela, ao relatar o que aconteceu e revelar que até esperava passar por isso em algum momento da gravidez, mas não imaginava que esse dia chegaria bem na reta final da gestação .

“Bom, até que fizemos um passeio muito tranquilo”, ironizou ela, enquanto ainda estava dentro do transporte público. Em pouco tempo, inclusive, o post ganhou mais de 20 mil curtidas e compartilhamentos. Várias mulheres aproveitaram para contar suas experiências negativas durante a gravidez e elogiaram Brydie por não ter ficado em pé e ainda ter comparado o comportamento de quem pega ônibus com os personagens dos Jogos Vorazes.

Grávidas relatam sofrimento e descaso no transporte público

Não foi só a grávida do post que já passou por problemas no transporte público: outras mulheres também sofreram
shutterstock
Não foi só a grávida do post que já passou por problemas no transporte público: outras mulheres também sofreram


A publicação da escritora, para alguns, viralizou de forma engraçada, já que Brydie saiu por cima. Muitas mulheres, porém, já passaram por situações parecidas e não falaram abertamente sobre o assunto, mas viram no post da britânica a oportunidade ideal para contar o que aconteceu.

Uma internauta, por exemplo, disse que chegou a ser empurrada quando estava com sete meses de gravidez e afirmou que as pessoas precisam de mais educação. “O cara me empurrou para o lado, só para poder sentar no lugar que estava vaziou. Reclamei e ele perguntou se era assim que eu também ia tratar meu filho, mas eu respondi dizendo que meu herdeiro não seria como ele, então não”, escreveu.

Leia também: "Senta como homem": atitude machista de pai provoca protesto silencioso

Outra grávida arrancou risos de outras mulheres ao contar que precisou pedir lugar, quando estava de quatro meses, e um homem não quis ceder. “Passei mal e vomitei nele, no jornal dele e no laptop dele. A cara de raiva, olhando para mim, foi ótima”, revelou em apoio à escritora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.