Tamanho do texto

O vínculo entre o bebê e os pais começa antes mesmo do nascimento, por isso, interações com a barriga podem ser uma forma de iniciar essa relação

No início de uma gravidez, as mães ainda não sentem o bebê na barriga, entretanto, segundo diversas pesquisas médicas, a criança já consegue ouvir “o mundo externo” e também já pode sentir os movimentos e toques a partir, geralmente, dos quatro meses de gestação. 

Leia também: Quando nasce o amor dos pais pelos filhos?

As interações com a barriga podem ser um fator importante para aumentar o vículo com o bebê
Shuttersock
As interações com a barriga podem ser um fator importante para aumentar o vículo com o bebê

Portanto, é muito comum sugerir que futuros papais e mamães apostem em formas de interagir com o bebê na barriga . E não é preciso esperar o próximo ultrassom para esse momento de interação. Se você se sentir à vontade com a ideia, pode conversar com o bebê, ler em voz alta ou "levá-lo" para passear. Veja detalhes dessas e de outras maneiras de interagir com o filho ainda na gestação. 

1. Conversar

Falar com o bebê é uma maneira perfeita de começar esse relacionamento. Converse sobre o que você está fazendo, onde você está indo, como foi seu dia ou se você quer mostrar algo para ele quando ele nascer — as possibilidades são infinitas. Esse tipo de interação ajuda a aumentar o vínculo com a criança e ajudar que ela reconheça a voz dos pais. 

2. Ouvir música

É bastante comum ouvir o relato de mães que sentiram o bebê começar a se mexer depois de colocarem música para tocar. Pode ser música infantil, clássica, canções de ninar ou apenas ritmos que você escuta normalmente. Seja livre para montar sua playlist de gravidez! Além disso, você também pode cantar e dar a seu filho outra oportunidade de ouvir sua voz

3. Tocar

O carinho gera uma sensação de conforto e também é normal que a criança responda ao toque e se mova dentro do útero. Uma boa dica é massagear de leve a barriga, o que, além de tudo, pode te ajudar a relaxar.

Leia também: Relação entre mãe e bebê: atividades que ajudam a fortalecê-la

4. Ler

Assim como falar, ler para o bebê é uma ótima maneira de interação. Você pode escolher ler histórias clássicas, poemas, contos infantis... Mas, também pode ler em voz alta qualquer outra coisa que estiver lendo, como um romance ou um livro de fantasia. O mais importante é que o bebê esteja ouvindo sua voz!

5. Responder aos movimentos

As futuras mamães sentem os primeiros movimentos do bebê na barriga por volta da 20ª semana de gestação. Reagir aos chutes de seu bebê é o mais próximo que você vai conseguir de comunicação antes do nascimento. E o mais fácil é que você pode fazê-lo a qualquer momento, onde quer que esteja. Esfregue de leve onde ele estiver se movendo e chutando e provavelmente ele pode continuar interagindo. 

6. Caminhar

Dar um passeio também pode ser uma forma de vínculo. É um exercício excelente e fácil de se encaixar em sua rotina diária. Fazer uma caminhada dá tempo para refletir sobre esse momento de sua vida sem muitas distrações ou interrupções. E você pode até ir conversando com o bebê durante o caminho. 

Se você não era uma pessoa muito ativa antes de engravidar, comece com algo mais suave e em um ritmo que seja confortável. Uma vez que você tenha o hábito de caminhar regularmente, você pode aumentar a duração do passeio. Mas atenção, é essencial consultar o obstetra para que ele indique a melhor forma de caminhar e qual o ritmo adequado para cada mulher. 

7. Tomar um banho

Tomar um banho morno pode ser bastante relaxante e um momento "eu" perfeito. Além disso, te ajudar a dedicar atenção ao bebê. Então, respire profundamente e imagine seu bebê. Tente ficar alguns minutos visualizando a si mesma segurando a criança depois do nascimento. Imagine com quem ele se parece, o que você pode dizer a ele e como será o sentimento desse primeiro abraço. Dá para aproveitar e massagear a barriga de leve durante esse momento.

8. Nadar

A natação é uma ótima maneira de imaginar como é a vida para o seu bebê. Além de se movimentar na água, flutue como o bebê está flutuando dentro do útero, isso é uma chance de conexão. Os benefícios de nadar também podem ser úteis nos estágios finais da gestação. Procure um especialista que possa te indicar aulas especiais para grávidas e, mais uma vez, busque liberação de seu obstetra para praticar exercícios de maneira segura e saudável para você e o bebê na barriga.

9. Ver o ultrassom

Uma foto do ultrassom no celular ou impressa é uma lembrança constante de que sua barriga é o lar de uma pequena pessoa. Nem todos os hospitais disponibilizam uma cópia para levar embora, mas pergunte se você pode ter uma.

Você também pode, inclusive, solicitar um ultrassom 3D ou 4D nas últimas semanas da gestação para ter uma visão completa das características de seu bebê. Você pode até mesmo saber de quem ele herdou o nariz!

Leia também: 10 aplicativos sobre gravidez, amamentação e maternidade

8. Compartilhe momentos com o papai

A maioria das mães experiencia alguns sintomas de gravidez logo no primeiro trimestre. Para algumas mulheres, isso é um incômodo, mas para outras as sensação lembram que há um bebê a caminho. Compartilhe esses momentos também com seu parceiro e converse com ele sobre as sensações que está tendo. Sabia que é comum que homens também sintam enjoo na gravidez da mulher

Ao longo da gravidez, ajude o pai a sentir seu bebê se mover e incentive-o a falar e a ler junto com você. Leve seu parceiro nas consultas pré-natais para que ele saiba o que esperar durante o parto e nascimento. 

Como criar uma criança é um belo trabalho em equipe, quanto mais cedo você e seu parceiro começarem a trabalhar juntos, melhor! Há muito o que ele pode fazer para ajudar, desde assumir algumas tarefas extra até fazer uma massagem e te ajudar durante o banho. Isso pode ajudar vocês dois a sentirem que estão nesta gravidez juntos.

Outros familiares

Todas as interações que estejam ligadas à voz ou ao toque também podem ser feitas não só pelos pais, mas também pelos avós, avôs, tios e demais parentes e amigos. Uma ideia para incluir os familiares se eles morarem longe é utilizar a tecnologia para gravar áudios ou vídeos conversando com o bebê na barriga. O vínculo da criança com outras pessoas também é intensificado ao escutar uma conversa ou massagem de alguém que não necessariamente é a mãe ou o pai. Esse é o momento de "curtir a barriga", por isso, aproveite!

    Leia tudo sobre: gravidez