Tamanho do texto

“Fiquei desesperada e não sabia o que estava errado comigo, mas, principalmente, não percebi que precisava de ajuda”, escreveu a mãe

Durante a gestação e o pós-parto, a mulher enfrenta uma série de mudanças que causam dúvidas, angústias e vários sentimentos que provavelmente ela nunca havia experimentado. Diante disso, sintomas de depressão pós-parto acabam sendo confundidos com emoções do período.

Leia também: Mãe enfrenta período fazendo exercícios depressão após a gravidez 

Blogueira faz relato sobre a depressão pós-parto e falo sobre a dificuldade de reconhecer os sinais da doença
Reprodução/Facebook
Blogueira faz relato sobre a depressão pós-parto e falo sobre a dificuldade de reconhecer os sinais da doença

Foi exatamente isso que aconteceu com Tova Leigh. Mãe de um bebê de quatro meses, a blogueira compartilhou uma foto nas redes sociais falando sobre sua experiência com a depressão pós-parto e a dificuldade que teve em reconhecer os sintomas.

“Eu era aquela mãe que ficava sentada ao lado do berço da criança por horas enquanto ela dormia apenas para me certificar de que ainda estava respirando”, começou escrevendo. Tova conta que o marido insistia para que ela dormisse, mas a única forma dela conseguir fazer isso era ele prometendo que ficaria olhando a filha enquanto isso.

Leia também: Homens também têm depressão após o nascimento dos filhos

“Na minha cabeça, ninguém além de mim conseguia cuidar dela devidamente. Lembro-me de estar sentada lá, completamente exausta, mas não conseguia ir embora”, continua. “O medo de que algo acontecesse com ela e o amor que eu sentia me deixou completamente louca”, fala.

Tova escreve que a situação só piorava cada vez mais e ela não conseguia se comportar de outra forma. “Fiquei desesperada e não sabia o que estava errado comigo, mas, principalmente, não percebi que precisava de ajuda”.

Leia também: Mãe "fora dos padrões" critica estereótipos sobre maternidade

Cuidado com os sinais

Tova continua, dizendo que aos poucos percebeu que seu comportamento, na verdade, se tratava de um quadro de depressão e que nem sempre é fácil reconhecer isso. “A razão pela qual eu estou lhe dizendo isso é porque eu quero que você conheça os sinais da depressão. Eu quero que você saiba que, para cada mulher, eles podem parecer diferentes”.

A blogueira finaliza o texto ressaltando a importância de buscar ajuda para enfrentar a depressão pós-parto. “Por favor, fale com alguém se você estiver sofrendo. Não sinta vergonha de pedir ajuda. Você não está sozinha”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.